quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Caixa Cultural Fortaleza - MONTAGEM TEATRAL IRMÃOS DE SANGUE ABORDA DELICADA RELAÇÃO ENTRE IRMÃOS




O espetáculo da Cia Dos à Deux faz curta temporada na CAIXA Cultural Fortaleza, de 27 a 29 de janeiro
Foto: Renato Mangolim

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 27 a 29 de janeiro de 2017, o espetáculo teatral Irmãos de Sangue, da Cia Dos à Deux. Com dramaturgia, direção, coreografia e cenário de André Curti eArtur Ribeiro, a peça é realizada no âmbito dos 15 anos de trabalho do grupo e foi saudadacom entusiasmo no Festival de Avignon 2013.




Em Irmãos de Sangue, André e Artur unem-se aos atores Raquel Iantas e DanielLeuback para contar a história de uma mãe e seus três filhos. A narrativa ampara-senuma atmosfera onírica, fazendo os personagens atravessarem o tempo em passagensde várias épocas. Em cena, laços fraternos e memória são expostos através de umaapresentação de gestos que primam pela excelência, ora em mímicas, ora em técnicascircenses, e até na utilização de bonecos e marionetes ao redor de uma imensagangorra. Conjugado à luz assinada por Bertrand Perez e Artur Ribeiro e à direçãomusical de Fernando Mota, a montagem captura o espectador do início ao fim.
O espetáculo retoma o tema da família presente nos dois espetáculosprecedentes, Saudade em Terras d’Àgua, prêmio do público no festival de Avignon de2005, e Fragmentos do Desejo, prêmio Shell 2010 na categoria especial.
O universo de Irmãos de Sangue é construído em torno da memória, a partir deobjetos que solicitam essa memória, como experiência comum”, conta André Curti. Ele diz, ainda, que todas as memórias elembranças dessa família fazem emergir os conflitos enterrados. “A história é feita de idas e vindas, de alternâncias entre o passado e o presente”, enfatiza o ator.
A últimaexperiência de André e Artur aqui no Brasil foi dirigir o ator Luís Melo no solo Ausência, que fez temporada na CAIXA Cultural Fortaleza, em novembro de 2015.O trabalho foi resultado de um processo de seis meses de trabalho inteiramente concebido eensaiado no espaço da companhia no Rio. “Estamos instalados na cidade e fortalecendo nossa presença cada vez mais na cena brasileira,” pontua Artur Ribeiro.
Em 15 anos de trabalho, a Cia Dos à Deux alicerça no teatro gestual a arquitetura dosnove espetáculos de seu premiado repertório. Assinando uma dramaturgia em que apalavra é substituída pelo corpo em movimento, ao longo deste tempo André Curti, Artur Ribeiro e grande elenco levaram suas montagens para toda a Europa, ÁfricaCentral, Ásia, Polínésia Francesa (Taiti), América do Sul, em mais de 1500apresentações por 50 países.
Sobre a Cia Dos à Deux: Rara companhia brasileira a estabelecer-se na Europa, mantendo repertório econtinuidade em sua linha de pesquisa, a Cia. Dos à Deux, dos atores Artur Ribeiro eAndré Curti, formou-se na França e hoje mantém trânsito entre Paris e Rio de Janeiro,onde criou uma sede também voltada à pesquisa e formação de profissionais no bairroda Glória. A companhia surgiu em 1998 com o espetáculo que lhe dá nome: Dos àDeux, peça inspirada no texto Esperando Godot, de Samuel Beckett. Com esta peça,realizaram centenas de apresentações em quase todos os países da Europa, além daÁfrica e Índia.








O repertório da Cia Dos à Deux, além de Aux Pieds de la lettre, é formado por Saudadeem terras d’água, Fragmentos do desejo, Ausência (solo com o ator Luís Melo), Dos àDeux 2o ato e Irmãos de Sangue. Estes espetáculos foram programados no ano de2012/2013 por 17 teatros parisienses.
André Curti é paulista, formado em teatro e dança no Jogo Estúdio, em São Paulo. NaFrança desde 1993, trabalhou na companhia LeG.R.A.L. De 1992 a 1998 esteve na Cia.de Dança-Teatro À Fleur de Peau, da brasileira Denise Namura.
Artur Ribeiro é formado em teatro pela UniRio e em dança pela Escola Angel Vianna,tendo trabalhado no Brasil com diretores como Márcio Vianna. Vivendo em Parisdesde 1994, diplomou-se pela Escola de Mímica Corporal Dramática de Paris e naUniversidade NouvelleSorbonne-Paris III, trabalhou sob a direção de Catherine Dubois, Mercedes Chanquia, Josef Nadj.
Ficha Técnica:
Dramaturgia, cenário, coreografia e direção: André Curti e Artur Ribeiro
Interpretação: Raquel Iantas, Daniel Leuback André Curti e Artur Ribeiro
Música original Fernando Mota | Violino: Fran Lasuen
Figurinos e marionetes: Natacha Belova
Acessórios, peruca e objetos: Maria Adélia e Marta Rossi com assistência de Morgan Olivier e Camila Moraes
Construção do cenário e contra-regra: Demis Boussu
Iluminação: Bertrand Perez e Artur Ribeiro
Teaser -Vídeo: Jean Luc Daniel
Produção executiva: Augusto Oliveira
Direção de produção - França : Nathalie Redant
Direção de produção - Brasil: Sérgio Saboya
Serviço:

Teatro: Irmãos de Sangue
Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 27 a 29 de janeiro de 2017
Horários: sexta, às 20h | sábado, às 18h e 20h | domingo, às 19h
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Ingressos:  R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)
Vendas a partir do dia 26/01 , das 10h às 20h, na bilheteria do local
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista gratuito no local 

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770
Enviar

Deixe seu comentário: