quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Cineteatro São Luiz recebe nesta quarta, às 12h30, o Maracatu Az de Ouro, com entrada franca

Após apresentações dos maracatus Nação Fortaleza, Vozes Da África e Solar, nas três primeiras quartas-feiras de fevereiro, o público poderá conferir neste dia 22/2, no intervalo do almoço, o Az de Ouro, grupo de maracatu mais antigo em atuação no Ceará

Um encontro entre a riqueza cultural do maracatu cearense e toda a beleza e a tradição de uma das mais belas casas de espetáculo de todo o País. Os maracatus vão ao Cineteatro São Luiz, todas as quartas-feiras de fevereiro, sempre no horário do almoço. É o projeto Curta São Luiz, que realiza apresentações de diversas linguagens, começando às 12h30, como forma de contemplar o público do Centro da cidade: estudantes, comerciários, trabalhadores em geral e pessoas que vão ao bairro fazer compras, resolver questões, consertar objetos, pegar ônibus, estudar ou simplesmente passear desfrutando o ventinho e os bancos da Praça do Ferreira, para bons dedos de prosa.

No mês de fevereiro, de tradição carnavalesca, o Curta São Luiz promove a programação especial Batuques de Maracatu, saudando os 80 anos do maracatu mais antigo em atuação no Ceará, o Az de Ouro, que se apresenta neste dia 22 de fevereiro, e destacando também outros grupos que de forma singular e plural representam essa herança: Maracatu Vozes D'África, Maracatu Nação Fortaleza e Maracatu Solar.

O Maracatu Az de Ouro foi fundado em 26 de setembro de 1936 por Raimundo Feitosa (Raimundo Boca Aberta) e seus irmãos: Zé Neguinho e Alcides (em memória), no antigo Beco do Limão, hoje Nogueira Acioli.
Dirigido por Joaquim Pessoa de Araújo (mestre Juca do Balaio) de 1970 a 1978, o Az de Ouro foi campeão do carnaval de rua de fortaleza neste período.

No ano de 2016, o grupo de maracatu completou 80 anos de existência. O grupo vem fazendo história no Ceará, fazendo apresentações e participando de eventos com o Encontro Mestres do Mundo”, Mostra Sesc Cariri das Artes, Conferência Estadual de Cultura do Ceará, Teia de Pontos de Cultura, Cortejo dos Confederados, Festival Folclórico de Olímpia em São Paulo e do evento Praça Brasil, em Brasilia, representando o Ceará.

O Az de Ouro promoveu um bloco de pré-carnaval “Batucada 75”, e, no ano de 2011, realizou um intercambio cultural com o G.R.E.S Acadêmicos dos Salgueiros, em projeto aprovado no edital de Incentivo às Artes da Secult. Atualmente organiza o acervo do memorial “Mestre Jucá do Balaio”.

Os maracatus
As primeiras notícias dos maracatus, os cortejos simbólicos de representação de coroação de uma rainha negra, no Ceará, datam do final de século XIX. Contudo, foi com a criação do maracatu Az de Ouro, em 1936, que essa manifestação veio a se consolidar e proliferar na cidade de Fortaleza. Atualmente são 14 grupos na capital cearense, e muitos receberam influências diretas ou indiretas do maracatu Az de Ouro.

Enviar

Deixe seu comentário: