sexta-feira, 7 de abril de 2017

Cefaleias respondem pela maior parte dos atendimentos de emergência em Neurologia


Dentre os principais tipos, a enxaqueca é a que mais leva os pacientes a procurar atendimento no pronto socorro.

            A cefaleia, popularmente conhecida como dor de cabeça, acomete boa parte dos brasileiros. Segundo especialistas, 95% da população sofrerão deste mal em algum momento de suas vidas. Algumas pessoas sentem praticamente todos os dias e, consequentemente, passam a negligenciá-la. As causas podem ser as mais diversas e muitas vezes estão relacionadas com o estresse do cotidiano. Entretanto, além de ser um incômodo, a dor pode sinalizar problemas neurológicos mais sérios e que precisam ser tratados.
             Na vigência de uma crise de dor de cabeça, as principais situações em que os pacientes devem procurar atendimento médico de urgência são:
·         A pior dor de cabeça da vida;
·         Cefaleia progressiva (cada vez pior);
·         Início após os 50 anos de idade;
·         Dor de cabeça acompanhada de febre, confusão mental, convulsão ou paralisia;
·         Cefaleia que ocorre ao tossir, espirrar, durante atividade sexual ou após esforço físico;
·         Enxaqueca que não cedeu com medicação oral em casa.
            Existem diversos tipos de cefaleias, mas a mais prevalente no pronto-socorro é a enxaqueca, caracterizada por uma dor pulsátil (latejante) em um dos lados da cabeça, às vezes até nos dois, geralmente acompanhada de náuseas, fotofobia e fonofobia. Ela é a doença neurológica mais frequente nos países desenvolvidos, mais recorrente que a asma, a epilepsia e a diabetes em conjunto, que atinge cerca de 15% da população mundial, entre homens e mulheres.
            De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, no Brasil, a enxaqueca atinge 20% das mulheres e 5 a 10% da população masculina. Segundo o Ministério da Saúde, o mal é predominante em pessoas com idades entre 25 e 45 anos, sendo que após os 50 anos essa porcentagem tende a diminuir, principalmente em mulheres. Na infância, a doença ocorre em 3 a 10% das crianças, afetando igualmente ambos os gêneros antes da puberdade, mas com predomínio no sexo feminino após essa fase.
            Devido aos altos índices de incidência da doença, as cefaleias provenientes da enxaqueca são os principais motivos que levam a população a procurar atendimento em emergência neurológica. “Aqui no hospital os atendimentos referentes a enxaquecas correspondem a 45% dos casos”, conta o coordenador do Pronto Atendimento Neurológico do Hospital São Camilo Fortaleza, Dr. Lucas Silvestre.

Pronto Atendimento Neurológico do Hospital São Camilo Fortaleza
            Desde dezembro de 2016, o Hospital São Camilo Fortaleza passou a oferecer também atendimento de urgência na área de neurologia. O Pronto Atendimento Neurológico do hospital atende das 8h às 20h, de segunda a sexta, e, após esse horário e nos fins de semana, o atendimento é realizado em regime de sobreaviso.
            O corpo clínico da Neurologia no Hospital São Camilo é composto por oito médicos especialistas com vasta experiência em emergência neurológica, além de três neurocirurgiões de sobreaviso e dois médicos endovasculares.
            Além do atendimento neurológico de urgência/emergência, o Hospital São Camilo Fortaleza dispõe de atendimento de sobreaviso em Neurocirurgia, procedimentos de punção lombar e bloqueio de nervos occipitais em casos selecionados, exames de sangue e tomografia computadorizada.
            O Pronto Atendimento Neurológico do Hospital São Camilo atende os principais planos de saúde como: Amil, ASSEFAZ, Banco Central, Bradesco, CAPESESP, CAFAZ, CASSI, CONAB, FACHESF, FAMED, FUNSA, FUSMA, GEAP, Mediservice, Plano São Camilo (PAS), Petrobras, Postal Saúde, Saúde Caixa e SulAmérica.
Enviar

Deixe seu comentário: