terça-feira, 23 de maio de 2017

Espetáculo Urubus na Rede Cuca

O REI MORREU!!!
UMA CORTE FRÍVOLA DE URUBUS-CARNIÇA INVADE A REDE CUCA
O espetáculo Urubus, da Cia Prisma de Artes e Pavilhão da Magnólia, está de volta de 25 a 27 de maio com apresentações gratuitas



33062763110_08001d9a31_z.jpg
Foto: Carol Veras


Uma corte que se acha dona de tudo e alheia aos problemas de um reino. Um povo que não sabe muito bem o que fazer e se torna inerte. Quem são os urubus? Quem é a carniça?
URUBUS traz para a Rede Cuca, de 25 a 27 de maio, provocações pertinentes ao nosso conturbado contexto político atual, mas que são, da mesma forma, atemporais. O espetáculo é uma criação teatral no espaço urbano, uma espécie de teatro de invasão que se divide em três blocos. No primeiro bloco, há três cenas que acontecem simultaneamente, e o público-povo tem o poder de escolher o que ver. As cenas são intituladas: Estultícia Violência; Estultícia Corrupção e Estultícia Meio Ambiente. Já no segundo bloco, se dá o encontro de toda essa corte, que agora dança uma valsa para o povo e para si, uma corte que aos poucos vai revelando outras camadas até ir se decompondo em caminhada para o terceiro bloco, perdendo todos os seus ornamentos. Deixamos aqui uma pergunta: Eu, você, nós, acaso temos sangue azul?
A peça é uma montagem colaborativa dos grupos cearenses Pavilhão da Magnólia e Cia Prisma de Artes a partir do texto “O Palácio dos Urubus” de Ricardo Meireles, com direção de Héctor Briones, coordenador do grupo de pesquisa Laboratório de Poéticas Cênicas e Audiovisuais (LPCA) do Instituto de Cultura e Arte da UFC. O projeto foi contemplado no IX Edital Incentivo às Artes da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará e pelo Prêmio Funarte Artes na Rua 2014.
O espetáculo estreou em setembro de 2016 numa temporada que ocupou as praças José de Alencar e do Ferreira, no Centro, e Praça da Gentilândia, no Benfica, sendo denominado, em dois cadernos de cultura da imprensa local, destaque do ano na produção teatral de 2016. O espetáculo fez parte da programação do XII Festival Popular de Teatro de Fortaleza, III Festival Nacional de Teatro de Rua do Ceará e IX Festival dos Inhamuns. Em 2017, integrou a programação da II Noites Brasileiras e do Férias no Dragão.


  • Mais sobre
Transpirado do texto O Palácio dos Urubus, de Ricardo Meirelles, deglutindo sua problemática poético-política, assumimos aqui uma ação para nosso tempo, uma espécie de Agit-Prop da perplexidade. O que pensar da nossa cidade, da nossa política? Quem são hoje os urubus? Quem são as carniças? E os urubus-carniça? O que pensar da democracia, esse governo bastardo do povo? Ai!!! O Povo!!! O que pensar do teatro para o povo? Ai!!! Não conseguimos abrir mão, pé, olho, ouvido da desabrida sintonia das nossas boas vontades cidadãs. Como se a conformidade com a corte governante geral fosse o maior prêmio político da nossa era. Já era. Já foi. Depois das catástrofes é comum pensarmos, “nunca mais”, mas a realidade é o “sempre mais” da arrogância, da miséria, da estultícia. O que há sempre será, perda. Serão três estultícias, oh, quer dizer, três cenas, uma de cada canto, depois o encontro fortuito em uma praça da corte. Da nossa corte… oh esse sangue azul! Salvemos a democracia, essa anarquia ativa para reorganizar o tempo, para combater o ódio. Com esta peça queremos pensar o insidioso, estúpido e perigoso ódio atual. Esse ódio chamado colonização ou neocolonização ou pós-colonização, vá saber. Sejam bem vindos à corte real! Mais saibam de uma vez: O REI MORREU!!!           

Serviço:
URUBUS
Dia 25/05 (quinta-feira): Cuca Barra - 15h
Av. Presidente Castelo Branco, 6417

Dia 26/05 (sexta-feira): Cuca Mondubim - 15h
Rua Santa Marlúcia, s/n - Mondubim

Dia 27/05 (sábado): Cuca Jangurussu - 17h
Av. Gov. Leonel Brizola, s/n

Apresentações gratuitas
Enviar

Deixe seu comentário: