quarta-feira, 17 de maio de 2017

Sobrado Dr José Lourenço abre nova exposição "Museu Indígena Pitaguary" neste sábado, dia 20/5, dentro da Semana de Museus

O Museu de Arte Sobrado Dr. José Lourenço, da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), sedia a partir deste sábado, 20/5, às 10h, a Exposição Museu Indígena Pitaguary, do artista contemporâneo Benício Pitaguary. A atividade integra a Semana Nacional de Museus. Durante a abertura da exposição, o público poderá participar do Café do Zé, uma das atividades âncora do Sobrado, que proporciona integração entre artistas, críticos de arte, curadores, professores, pesquisadores, produtores e gestores culturais com os artistas. A atividade neste sábado inclui ainda uma performance do artista Benício Pitaguary.

Trabalhando corpo, identidade e memória, Benício foi convidado para expor no Sobrado Dr. José Lourenço e trouxe consigo o Museu Indígena Pitaguary, coordenado por Rosa Sousa. A sua pesquisa a respeito das identidades indígenas através do processo criativo da pintura corporal com tinta de jenipapo nos instiga a pensar/sentir a partir de um campo expandido da arte que é geopolítico, cronopolítico e, portanto, descolonial” destaca Carolina Ruoso, Curadora da Exposição sobre o trabalho que compõe a nova exposição do Sobrado.

Circulação
Pintar o corpo, para Benício, é afirmar-se indígena, traçar na pele a voz de um povo que luta. E, é com o corpo marcado pela duração da tinta de jenipapo na pele, a presença do desenho, das linhas, das curvas, dos desejos de estar pintado, de ser indígena, que o processo criativo de Benício circula o Brasil, com oficinas colaborativas de fabricação ou reinvenção de poéticas para o corpo indígena, sua voz afirmativa.

É exatamente essa afirmação da cultura indígena que os visitantes do Sobrado Dr José Lourenço poderão conferir, de 20 de maio a 17 de junho, no resultado de uma pesquisa sempre conectada ao Museu Indígena Pitaguary, lugar de memória que através da arte, da criação, da pesquisa histórica e ambiental narra a trajetória do Povo Pitaguary.

“A presença da memória do Cacique Daniel e do Pajé Barbosa nesta exposição transmite a importância das referências políticas e espirituais na construção da sua existência como artista indígena”, destaca a curadora.

Segundo Carolina Ruoso, o Museu Indígena Pitaguary conta com muitos colaboradores. Todos, de alguma maneira, se encontram presentes a essa exposição. Para fazer dela um momento de criação e fortalecimento do Museu Indígena Pitaguary, ocupando os mundos da arte, o Sobrado convidou outras duas pessoas essenciais para a concepção do projeto: Janete Melo, que pensará uma instalação que traga a floresta e suas referências ancestrais para o projeto, e Clécia Pitaguary, que trará seus filtros dos sonhos para compor essa narrativa artística sobre a história do Povo Pitaguary.

:: SERVIÇO:
Exposição “Museu Indígena Pitaguary”, com o artista Benício Pitaguary
Abertura: 20/5, às 10h
Em cartaz até 17/6
Gratuito
Local: Museu de Arte Sobrado Dr. José Lourenço
Rua Major Facundo,
+ Café do Zé, às 10h
# Fotos: Iago Barreto
Enviar

Deixe seu comentário: