quinta-feira, 6 de julho de 2017

Filme “Os Pobres Diabos” estreia em Fortaleza e Juazeiro do Norte no dia 6 de julho



Com direção de Rosemberg Cariry, longa-metragem é estrelado por Chico Diaz, Gero Camilo, Sílvia Buarque e Everaldo Pontes

A partir desta quinta-feira (6), o longa-metragem cearense “Os Pobres Diabos”, dirigido por Rosemberg Cariry, estreia em cinco salas de Fortaleza (Cinema do Dragão, Cineteatro São Luiz, Cinépolis RioMar Fortaleza, Cinépolis RioMar Kennedy e Arcoplex Shopping Aldeota) e em uma de Juazeiro do Norte (Orient Cariri Garden Shopping), trazendo a magia e as lutas de uma trupe circense que viaja pelo interior do Ceará. A obra também chega ao circuito de outras 11 cidades brasileiras. Novas salas devem ser confirmadas para as próximas semanas de exibição.
Com um elenco de estrelas formado por Chico Diaz, Sílvia Buarque, Everaldo Pontes, Gero Camilo, Zezita Matos e Sâmia Bittencourt, entre outros nomes, o filme apresenta ao público o Gran Circo Teatro Americano, uma companhia mambembe e muito pobre, que perambula por pequenas cidades do sertão nordestino até armar a tenda em Aracati, no litoral do Ceará. A obra venceu os troféus de Melhor Filme pelo Júri Popular e Prêmio TV Brasil no 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
Cariry mostra-se sereno e atento aos mínimos detalhes, na condução do seu modo de fazer cinema, com um toque autoral. Embora se veja favorecido pela revolução tecnológica em curso na área, explora a sua faceta humana, natural e artesanal. Sabe que depende sempre ainda da expressão dramática de atores e atrizes, do rigor da fotografia, da generosidade da luz solar, da criatividade diligente e inspirada da direção de arte.
Sob o rigor de uma narrativa que se propõe simples, a exemplo das narrativas da literatura de cordel, o filme recria e funde artes e artimanhas, saberes e sentimentos, arquétipos e sonhos, tradições perdidas e relidas, tempo presente e pretérito, em busca de um sentido estético capaz de vencer o vazio individualista e globalizante, na era do desfazimento de tudo, em especial, da dissolvência cultural da chamada pós-modernidade.
A discussão sobre o significado de cultura e especificidade cultural é um desafio para o qual devemos estar sempre atentos. Nesse sentido, como artistas de circo, os personagens têm em comum a característica de viajantes e nômades: com o passar do tempo, eles vão adquirindo características de tantos lugares por onde passaram e/ou viveram, que já não é possível identificar de onde eles vieram, ou que lugar ou cultura representam. Esta decisão está refletida na escolha que fizemos dos atores e atrizes de 'Os Pobres Diabos', vindos de várias regiões do país”, conta.
SINOPSE
O “Gran Circo Teatro Americano” perambula por pequenas cidades dos sertões, até chegar à cidade de Aracati, onde monta uma peça teatral. No cotidiano do circo, acontecem aventuras, nas quais os personagens agem ao modo picaresco dos anti-heróis do romanceiro popular. As dificuldades se acumulam, mas a arte ajuda a superar desventuras e tragédias. O espetáculo não pode parar.
SOBRE O DIRETOR
O cineasta Rosemberg Cariry nasceu em Farias Brito – Ceará, no ano de 1953. Realizou doze filmes de longa-metragem como, Corisco e Dadá (1996), Patativa do Assaré, Ave Poesia (2007) e Siri-Ará (2008). Para a TV realizou dezenas de seriados, documentários e programas. É jornalista, escritor, poeta e pesquisador das culturas populares brasileiras, tendo publicado vários livros. Participou de várias entidades nacionais de cineastas e lutou pela diversidade do cinema brasileiro, sendo um dos responsáveis pelo processo de “regionalização” dos meios de produção audiovisual, que tem mudado o panorama do cinema brasileiro.
FICHA TÉCNICA
Diretor: Rosemberg CariryElenco: Chico Diaz, Sílvia Buarque, Everaldo Pontes, Gero Camilo, Zezita Matos, Sâmia Bittencourt, Nanego Lira, Georgina de Castro, Reginaldo Batista Ferro, Letícia Sousa Perna e Sávio Ygor RamosProdução executiva: Bárbara CariryDireção de produção: Teta MaiaRoteiro: Rosemberg CariryFotografia: Petrus CariryMontagem: Rosemberg Cariry e Petrus CarirySom: Yures Viana e Érico Paiva (Sapão)Desenho sonoro e mixagem: Érico Paiva (Sapão)Direção de arte e figurino: Sérgio SilveiraCenografia: Sérgio ChavesTrilha sonora original: Herlon RobsonParticipação musical especial: Son da Madera (México)Coordenação de Produção: Willa LimaAssistente de direção: Frazão
Enviar

Deixe seu comentário: