quarta-feira, 26 de julho de 2017

Oscar Arruda apresenta Tributo a Leonard Cohen neste sábado, 29/7, no Café Couture


Um dos nomes mais destacados da cena musical cearense, Oscar Arruda apresenta neste sábado, 29/7, às 21h, no Café Couture, o show "Bird on the Wire", uma apresentação em homenagem a um dos grandes artistas da música universal: o cantor, compositor e escritor canadense Leonard Cohen. O grande autor de canções, que se despediu em 2016 deixando um vasto legado musical e literário, aplaudido pela crítica e ainda a ser melhor conhecido pelo público no Brasil, será celebrado pelo cantor e guitarrista cearense, ao lado de outros representantes do primeiro time da cena de Fortaleza.

Em um show apoiado pelo projeto Ceará Jazz Series, o público terá a oportunidade de apreciar a recriação de canções de várias fases da obra de Leonard Cohen: dos anos 60 à década de 80, chegando a composições mais recentes do compositor do clássico "Dance me till the end of love", trilha de vários filmes, séries e comerciais.

A atmosfera cool, noir, a um tempo sutil e intensa, simples e complexa, musical e poética, abstrata e metafórica mas também realista e direta nos matizes de Mr. Cohen será reconstruída no palco do Café Couture por Oscar Arruda (voz, guitarra e violão), Ayrton Bob Pessoa (teclado, hammond, sintetizador e efeitos), Claudio Miranda (contrabaixo),Marcelo Holanda (bateria) e Natasha Farias e Rafaela Miller nos vocais, tão característicos às gravações e aos shows do grande compositor canadense.

Como surgiu o show

"Como um grande fã da obra do Leonard Cohen há bastante tempo, esse show surgiu como a consequência de um antigo desejo", aponta Oscar Arruda, artista que, além de desenvolver um trabalho autoral, tendo recentemente lançado o disco "Egomaquia", em CD e vinil, colabora com vários nomes da nova cena musical cearense, tendo a ousadia estética e a pesquisa de timbres, texturas e ambiências sonoras como diferenciais de seu trabalho.

"Fiquei muito impressionado, desde o começo, com as canções do Leonard Cohen e sempre ouvi muito, durante todos esses anos, principalmente a primeira fase, dos anos 60, dos discos 'Songs of Leonard Cohen', 'Songs from a Room' e 'Songs of Love and Hate'", detalha. "Uma coisa que sempre me marcou muito é a profundidade dele como compositor, a tristeza e a verdade com que ele trabalha. É uma obra extremamente pessoal e marcante".

O DVD lançado em 2012 com um show de Cohen foi a porta para um novo mergulho de Oscar Arruda na obra do compositor. "Foi uma retomada pra mim. Li a biografia dele, comecei a ouvir músicas de outras fases, dos anos 70, 80, produções mais recentes... Até que se impôs essa ideia de fazer um projeto com as canções dele", conta Oscar.

"A ideia do show vem de bem antes de ele falecer, em 2016. Eu já vinha tirando as músicas dele, numa coisa quase compulsiva de tirar as harmonias, entrar nas letras, traduzir, entender o sentimento de cada canção daquela, nessa ideia de homenagear um grande compositor, poeta, cantor, escritor".

Música e reencontros

Para pular do papel para o palco, o projeto ganhou contornos mais concretos no convite aos músicos, que compartilham da admiração pela obra de Cohen. Com o contrabaixista Claudio Miranda veio a oportunidade de reviver os tempos da banda Somfusão, entre o final dos anos 90 e o começo da década de 2000. Com Ayrton Bob Pessoa, a identificação com o som e o estilo "tranquilos" no teclado e no acordeom, bem como com a profundidade do trabalho autoral de Bob.

Com o batera Marcelo Holanda a chance de voltar a tocar juntos, como na turnê do disco "Revoluções", de Oscar, em que os dias na estrada eram preenchidos com as canções de Cohen. Já as cantoras Natasha Farias e Rafaela Miller, obrigatórias pela sempre-reverência de Cohen às backing-vocals, são estudantes de música e têm experiência nos vocais, mesmo ainda bastante jovens.

Repertório: difícil escolha

O repertório do show vem em grande parte dos três primeiros discos de Leonard Cohen, citados por Oscar. "São seis a oito músicas dessa primeira fase, que é mais caracterizada pela presença muito forte do violão dele, pelos arranjos bem suaves, sem bateria. Digamos que é a fase mais folk dele, das canções mais extensas... Final dos anos 60 até o comecinho dos anos 70". indica.

"Da segunda fase, dos anos 70, tem uma do "New skin for the old ceremony", de 1974, tem uma desse disco. E talvez mais uma do "Death of a ladies´ man", cogita, citando o álbum de 1977

"Dos anos 80, uma coisa um pouco mais pop, do 'Various positions', de 85. Já com bateria, uma parte do show mais pra cima. Aí tem 'Dance me to the end of love', 'Hallellujah'... Do "I´m you Man", de 88, vamos ter algumas também", antecipa.

"É muito difícil escolher, porque a discografia dele é muito extensa. Optamos por incluir canções que as pessoas já tenham ouvido. Mas teremos algumas surpresas também". Convite feito para esse encontro com a obra de Leonard Cohen, revisitada por grandes músicos do Ceará.

SERVIÇO: Show "Bird on the Wire - Tributo a Leonard Cohen". Com Oscar Arruda e banda. Sábado, 29/7, às 21h, no Café Couture (Rua dos Tabajaras, 554, Praia de Iracema). Couvert: R$ 15,00. Informações: Facebook BirdontheWire/ Facebook Café Couture.
Enviar

Deixe seu comentário: