segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Programação do Dragão do Mar de 14 a 20 de agosto

Imagem inline 1
Programação cultural
14 a 20 de agosto de 2017


FUNCIONAMENTO DO CENTRO DRAGÃO DO MAR

Geral: de segunda a quinta, das 8h às 22h; e de sexta a domingo e feriados, das 8h às 23h. Bilheteria: de terça a domingo, a partir das 14h.
Cinema do Dragão: de terça a domingo, das 14h às 22h.
Museus: de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); sábado, domingo e feriados das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
Multigaleria: de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
OBS.: Às segundas-feiras, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura não abre cinema, cafés, museus, Multigaleria e bilheterias.



[CINEMA] CINE CAOLHO
O CINE CAOLHO se propõe a ser um espaço de exibição e reflexão sobre as produções audiovisuais cearenses. Acontecendo mensalmente, sempre na primeira segunda-feira do mês no Cinema do Dragão, o Cineclube exibe filmes cearenses, sempre com a presença de seus realizadores para um debate com o público após as sessões.
Nesta edição, serão exibidos os filmes " Rua Rio Pardo", de Luciana Rodrigues, e "Topofilia", de Amanda Pontes e Michelline Helena. Este filme é inédito na cidade e participou da última mostra competitiva do Festival Guranicê no Maranhão, recebendo prêmio de montagem. Após a exibição, haverá debate com as realizadoras mediado por Rúbia Mércia, uma das curadoras do Cine Caolho.

/// Dia 14 de agosto de 2017, às 19h30, na Sala 2 do Cinema do Dragão. Acesso gratuito, com retirada de ingressos 1h antes da sessão.

Contato: Caroline Louise 85 99944.5888



► [TEMPORADA DE ARTE CEARENSE] PROGRAMA TEATRO DA TERÇAEspetáculo “Os Cavaleiros”Alumiar Cenas e Cirandas
O espetáculo “Os Cavaleiros” se passa na cidade de Ciranda, povoado fictício em que a visão sagrada e profana envolvem a vida de uma comunidade de vaqueiros. O folguedo do bumba-meu-boi e os sete pecados capitais são usados como arquétipos da essência humana, os brinquedos cantados e a religiosidade se entrelaçam como fios nas mãos dos personagens, que apresentam texto rico em torno do grande universo que é a Cultura Popular.
Os Cavaleiros traz a inclusão para a cena teatral. O espetáculo conta com a participação de intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e em suas primeiras apresentações contou também com a participação de um ator deficiente visual e com aparelhos e equipe de audiodescrição.

/// Dias 15 e 22 de agosto de 2017, às 19h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Duração: 110 minutos.

Contatos: Jayme Ricardo Silva de Souza - (85) 3016-7058 e 99686-3744 | jrichard@live.com




► [TEMPORADA DE ARTE CEARENSE] PROGRAMA NOVA CENAEspetáculo “Agulha Fina”Cia. Pulsar de Teatro
A Cia. Pulsar de Teatro, formada pelos alunos do Curso Princípios Básicos de Teatro (CPBT/TJA), em seu processo de formação desenvolveu o espetáculo “Agulha Fina”. Sob a direção da professora do Curso, Juliana Veras, a cena é rica em questionamentos sociais, utilizando-se de recursos do teatro de rua para propor um diálogo entre texto e música autorais. Na peça, jogos de cena celebram o aniversário de 400 anos de morte de Shakespeare e os 25 anos do CPBT, em meio à reflexão das complexidades do ser humano em busca da compreensão de sua identidade.

/// Dia 16 de agosto de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação etária: livre. Duração: 50 minutos.

Contatos: Rodolpho Rosemberg: (85) 99647-4550 e 98857-8326, rod.rosemberg@gmail.com




► [FOTOGRAFIA] GOLPE DE VISTATema: "Fotografia e memória"Com Dayane Araújo, Marieta Rios e Socorrinha Leite, sob mediação e curadoria de Iana Soares
Villém Flusser diz que uma função da memória tão importante quanto lembrar é a de esquecer. A fotografia sempre prometeu o eterno, mas a eternidade permanece mutante em cada fotografia. Produzimos reservas de futuro, como sugere Maurício Lissovsky, e imprimimos também ausências nas imagens.
Nesta edição do Golpe de Vista, conversaremos com fotógrafas que refletem sobre os lampejos do tempo e os rastros que impregnam histórias e vidas, sob diferentes perspectivas. Memória e arquivo; memória e patrimônio; memória e vida cotidiana. São muitas as estratégias para revirar o passado e, principalmente, inventar os caminhos que ainda virão.

Sobre o programa
O Golpe de Vista é um programa vinculado à Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. A ação consolida, há dois anos, uma série de encontros mensais, em que convidados e público trocam experiências sobre imagem e artes visuais, com ênfase na fotografia e seus desdobramentos. A iniciativa aprimora os conhecimentos fotográficos de forma coletiva, fomenta estudos, intervenções e discussões, além de destacar os novos atores visuais através do formato fotoclubista.

/// Dia 16 de agosto de 2017, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Contato: golpedevista.fotoclube@gmail.com / edenbarbosa.foto@gmail.com / 988363715 - oi (Eden Barbosa)



► [TEMPORADA DE ARTE CEARENSE] PROGRAMA QUINTA COM DANÇAEspetáculo “Encanta o Meu Jardim”Rosa Primo
O espetáculo é fruto do projeto de pesquisa de autoria de Rosa Primo, premiado pela Secretaria da Cultura de Fortaleza, denominado “Dance, uma conversa”. A pesquisa teve como centralidade o encontro, durante quatro dias, com cada um dos chamados três jovens coreógrafos de Fortaleza: Andréia Pires, Luiz Otávio e Marcio Medeiros. A partir desses encontros, Rosa Primo teria em sua corporeidade dançante elementos possíveis para pensar e propor um corpo em potência, possível de existir em termos de diferenças e de singularidades.
Segundo Rosa Primo, a motivação para “Encanta o Meu Jardim” partiu não somente do desejo de encontros a fim de responder a demandas variadas, mas do desafio de tentar apresentar um recorte preciso de um conjunto disperso. “Entender no corpo esse processo é vivenciar a busca de uma singularidade só possível porque diferente em si mesma. Partes, pedaços, restos compõem uma vida, um tempo, um jardim que se reinventa continuamente e mantém o encanto e o estranhamento”.

/// Dias 17 e 24 de agosto de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: Livre. Duração: 60 minutos.

Contatos: Rosa Primo: (85) 3239-3104, 98644-6533 | rosaprimogadelha@gmail.com




MOSTRA DE CINEMA NÓRDICO
As Embaixadas da Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega apresentam a Mostra de Cinema Nórdico, que dará ao público de Fortaleza a oportunidade de ver alguns de seus melhores filmes feitos nos últimos anos nesses países. O objetivo é oferecer um festival que celebra a cooperação nórdica, mostrando o quanto essas culturas têm a oferecer uma à outra. Em parceria com o Cinema Dragão do Mar, um total de quatorze filmes – entre documentários, ficções, dramas e comédias – serão exibidosgratuitamente durante os dias 17 e 23 de agosto.
O premiado documentário norueguês “Corações valentes” abrirá o festival. Ele apresenta quatro adolescentes diferentes antes e depois do ataque terrorista na ilha de Utoya em 2011. A diretora Karri Anne Moe quis fazer um documentário sobre jovens envolvidos em política, mas que acabaram no meio do ataque. É um documentário sobre tristeza e tragédia, mas também sobre risadas e amizade.
Outro documentário que será apresentado é o finlandês “Helsinque para sempre”. Nesse, o diretor Peter Von apresenta a história da sua cidade através do cinema, documentário, arquitetura, arte e política.
O público também pode esperar um pouco de drama, como no filme dinamarquês “Marie Kroyer”, que, baseado em fatos reais, conta a história de Marie – artista, esposa, mãe – e seu casamento infeliz com o pintor P.S. Kroyer. A Suécia trará risadas com “O centenário que saiu pela janela e desapareceu”, baseado no livro de Jonas Jonasson, que vendeu mais de 6 milhões de cópias no mundo todo e foi traduzido para mais de 33 idiomas.
O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura reforça, através do apoio à Mostra de Cinema Nórdico, seu comprometimento com a diversidade cultural representada pelas produções cinematográficas presentes nessa mostra.

O que é que o Cinema Nórdico tem?
Os países nórdicos podem ser pequenos em tamanho e população, mas seus filmes são abrangentes e diversos. Em geral, pode-se dizer que os cineastas nórdicos adoram experimentar novas técnicas e explorar novos gêneros. Também são curiosos por descobrirem mercados novos fora do domínio
tradicional nórdico. O resultado tem sido diretores e filmes que constantemente reavivam o cinema nórdico, gerando sucesso internacional e aumentando a demanda por diretores, atores e engenheiros de som.
O cinema nórdico tem recebido boas criticas nos últimos anos e diretores nórdicos estão sendo reconhecidos e premiados nos maiores festivais internacionais como Cannes, Tribeca e Berlim. Temos também uma nova geração de diretores que estão desafiando antigos estereótipos, criando novos caminhos e cativando públicos tanto locais como internacionais. Vários filmes nórdicos têm sido refilmados por Hollywood e há vários atores nórdicos fazendo sucesso em produções internacionais.

Programação

17 de Agosto
13h00: Corações Valentes
15h10: A Hora do Lince
17h: Asa Pequena
19h: Histórias de Estocolmo

18 de Agosto
14h30: O Hotel
16h30: Eu Sou Sua
18h20: Parentes são eternos
20h: Mergulho Profundo

19 de Agosto
14h: Asa Pequena
16h: Marie Krøyer
18h: Uma Família
20h: O centenário que saiu pela janela e desapareceu

20 de Agosto
14h: Uma Família
16h: O centenário que saiu pela janela e desapareceu
18h10: O Guardião das Causas Perdidas
20h: Helsinque para sempre

22 de Agosto
14h: Não chore por mim
16h: Histórias de Estocolmo
18h: Eu Sou Sua
20h: Corações Valentes

23 de Agosto
14h: Marie Krøyer
16h: Parentes são eternos
18h: O Hotel
20h: O Guardião das Causas Perdidas

/// De 17 a 23 de agosto de 2017, no Cinema do Dragão. Acesso gratuito.

Contato: 61 98168-8781 | gioreley.rios@gov.se




► [TEMPORADA DE ARTE CEARENSE] PROGRAMA DRAGÃO INSTRUMENTALDuo Nonato Lima e Samuel Rocha Show “Um toque cearense”
Da comum identificação musical entre o acordeonista Nonato Lima e o violonista Samuel Rocha, nasceu o Projeto “Um toque cearense”. Entre rodas de choro na noite fortalezense, shows e ensaios percebeu-se o gosto em comum por determinadas músicas e artistas da música instrumental brasileira.
Foi quando decidiram fazer apresentações em duo. Na medida em que essas apresentações aumentavam, a ideia de sistematizar um projeto que trouxesse para o palco suas características foi sendo consolidada em 2015. “Um toque cearense” trata-se de apresentar clássicos da música instrumental brasileira e composições destes jovens músicos enraizados no Ceará.

/// Dia 18 e 25 de agosto de 2017, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Contato: Fernanda Maia Gurjão | (85)3047-6205, 98759-6484 e 99712-0869 | fernandagurjao87@yahoo.com.br




► [DANÇA] Espetáculo “KKKK”Bu! Criações de Calabouço
O trabalhador em massa e suas outras possibilidades de estar. Com uniformes, os corpos se perdem no todo, e ao mesmo tempo se encontram ao criarem pontes de identificação com o público. O riso como reflexão sobre as condições e relações estabelecidas nos espaços de trabalho. Da cozinha para o quarto, do jardim para a garagem. Bater o ponto. Rir para não chorar. Constrangimento? Reação? É tão engraçado. É? Um convite para uma possível diversão. Possível.

/// Dias 18 e 25 de agosto de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: Livre.

Contato: Victor Hugo ((85) 99734-7792/vhportelaa@gmail.com)




► [TEATRO INFANTIL] Espetáculo "A Viagem de Felipe"Panelinha de Teatro
Um menino da cidade, engomadinho e fascinado na internet. Esse é Felipe, personagem central do espetáculo que conta a história deste garoto ao passar as férias na casa da vó, no interior. Lá não tem internet e ainda tem um prefeito muito malvado. E agora? Quais aventuras poderão acontecer nesse lugar tão misterioso? Como irá se divertir? Prontos para embarcar nessa viagem?

/// Dias 19, 20, 26 e 27 de agosto de 2017, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Classificação etária: Livre.

Contato: (85) 9 9807-9583 / grupopanelinhadeteatro@gmail.com




► [MÚSICA] PÔR DO SOM
O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura apresenta ao público uma programação para encher de boas vibrações o fim de tarde dos sábados, no centro cultural. É o projeto semanal Pôr do Som –que, todos os sábados, às 17h, traz em apresentação gratuita um grupo de instrumentistas em formações variadas, executando canções de compositores brasileiros e internacionais.
Nesta edição do dia 19 de agosto, confira a música do grupo Cais do Choro, formado pelos músicos Gabriel de Brito (Cavaquinhista), Lucas Bezerra (Percussionista), Pedro de Brito (Violão de sete cordas), Tiago Kemper (Violonista e solista) e Stepherson Queiroz (Violonista). O grupo que surgiu em 2017 na cidade de Fortaleza/CE tem como inspiradores grupos e artistas já consagrados no gênero do choro, artistas como Trio Brasileiro, Jacob do Bandolim, Hamilton de Holanda, Os 8 Batutas, entre outros.
Em pouco tempo, o grupo construiu seu projeto instrumental de choro alcançando um espaço no cenário musical da comunidade acadêmica e hoje atua além desse espaço, chegando assim no movimento atual da cidade.
O grupo Cais do Choro teve sua primeira apresentação no evento realizado pela RedBull, Break
Time Sessions, onde foi agraciado por um público que se encantou com o projeto. Hoje, o grupo busca ir além e alcançar mais fãs e público, com a perspectiva de enriquecimento cultural da música brasileira levando o choro a lugares e pessoas que não tiveram o contato com esse gênero ainda.

// Dia 19 de agosto de 2017, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Contato: Tauí Castro (085) 99913-3819 (TIM) | (085) 98890-9434 (CLARO)




► [MÚSICA] PRAÇA DO ROCKCom as bandas Canil e Soul de Calçada
Realizado pelo Dragão do Mar em parceria com a Associação Cearense do Rock, o programa mensal Praça do Rock apresenta, a cada edição, as várias matizes do rock cearense. Em agosto, confira shows das bandas Canil e Soul de Calçada.

Canil
É uma banda de rock alternativo formada no final de 2012 em Fortaleza-CE, cujas músicas geralmente exploram a temática dos relacionamentos humanos. O rock simples e sincero da Canil dá vazão tanto à digressões de caráter coletivo quanto a reflexões de cunho emocional.
O grunge que caracteriza a banda Canil, sem, no entanto, restringi-la, é um subgênero estético que atualmente possui poucos representantes tanto no Ceará quanto no Brasil. Além disso, dentro deste universo de bandas já escasso, a Canil conta com o diferencial de que suas canções são todas compostas em língua portuguesa.
Desde seu início, a banda se apresenta sistematicamente em bares, casas de shows e festivais em Fortaleza, tais como Ponto.CE, Órbita Bar, Maria Bonita, Teatro da Boca Rica, Rota 66, Boop’s Pub, Batukaya , Beach Club, Berlinda Clube e Casarão do Benfica. Em setembro de 2014, a banda lançou seu primeiro EP e, atualmente, se encontra em fase de divulgação de seu novo single, finalizado em março de 2016. Além disso, a banda divulga seu primeiro clipe, enquanto trabalha na pré-produção de um novo clipe e de seu novo single.
Mais informações sobre a banda podem ser encontradas em seu site oficial www.bandacanil.com.br e em links de mídias sociais como facebook (www.facebook.com/bandacanil), instagram  (www.instagram.com/bandacaniloficial) e youtube (www.youtube.com/user/bandacanil). O acesso às músicas pode ser realizado através de dispositivos móveis utilizando-se Spotfy, Deezers, iTunes, GooglePlay, Shazam, Xbox Music etc.

+

Soul de Calçada
Traz um ar boêmio e músicas envolvendo histórias pessoais sobre o cotidiano em relatos da vida na capital cearense. Já participou de vários projetos como Rock Cordel, Musicativa, ProCultura, dentre outros, ao qual apresentava sua musicalidade. Em 2015, apresentou-se em um especial de natal promovido pelo Casarão do Benfica. Em 2016, no Bolacha Mágica e Labomar. Atualmente, o grupo está produzindo um novo material, que será lançado ainda este ano, dando uma amostra de sua apresentação intitulada “Zine urbano”.

/// Dia 19 de agosto de 2017, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Contato: Amaudson (ximenes.amaudson@gmail.com / 98708-4223 / 3223-7641)



► [TEATRO] Espetáculo "Caio e Léo"Outro Grupo de Teatro
O Outro Grupo de Teatro apresenta temporada do espetáculo “Caio e Léo” aos sábados e domingos de agosto, no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, sempre às 20h. Em um texto de Rafael Martins com direção de Yuri Yamamoto, os atores Ari Areia e Tavares Neto dão vida aos personagens título da obra para contar uma história de desejo e descoberta que começa e termina na beira do mar aberto. Os ingressos custam R$ 5 (meia), R$ 10 (inteira), a classificação indicativa é 16 anos.
Caio e Léo” estreou em 2014, resultado do trabalho desenvolvido pelo Outro Grupo de Teatro na primeira turma do Laboratório de Pesquisa Teatral (LabT) do Porto Iracema das Artes. A montagem contou com importantes interlocuções artísticas como a de Gilberto Gawronski (RJ) que acompanhou o grupo durante os oito meses de processo, além de Antônio Januzeli (SP), Luís Fernando Marques (SP), Danilo Pinho (CE) e Andrea Pires (CE) que também deram importantes contribuições.
A temporada do espetáculo no Dragão do Mar compõe a programação da Mostra de Repertório da companhia que completa seis anos de atividades continuadas em 2017 e vai ocupar três teatros da cidade com três espetáculos de quinta-feira a domingo durante o mês de agosto. A atividade é parte do projeto de manutenção do grupo contemplado no Edital das Artes 2015 da Secretaria da Cultura do Governo do Ceará (Secult).

/// Dias 19, 20, 26 e 27 de agosto de 2017, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: 16 anos.

Contato: 85 9 88357619 (Ari Areia), 85 9 96209818 (Tavares Neto)




► Dragão Eletrônico
O veloz mundo da cibercultura e da música eletrônica ganha lugar fixo, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, com o lançamento do Dragão Eletrônico. Realizado pelo centro cultural em parceria com o Núcleo de Arte e Cultura Transcendental (NuACT), este programa propõe-se a oferecer uma série de atividades gratuitas, da formação ao entretenimento, abertas ao público. Com ações ofertadas uma vez ao mês, o Dragão Eletrônico chega à segunda edição, promovendo a mesa-redonda "Música, Drogas e Juventude: Cibercultura, Redução de Danos e Revolução", neste domingo (20), às 16h, no Auditório do Dragão do Mar.
A mesa-redonda contará com a participação de diferentes atores que trabalham na interface entre Cultura, Drogas e Saúde. A mediação será feita por Rafael Baquit, psiquiatra e membro do Coletivo Balanceará de Redução de Danos, movimento que há 6 anos promove ações e discussões sobre drogas e Redução de Danos em festas rave e outros ambientes festivos. Rafael convida pessoas que fazem parte de uma história que alcança diferentes territórios, culturas e protagonistas: ações locais e o intercâmbio entre Coletivos de Juventude das periferias de Fortaleza. Farão parte da discussão: Alécio Fernandes (Coletivo NaTora); Priscilla Souza (Coletivo ServiLost); Michel Vibration; Myllis Lima (NUCED/UFC); Livia Roots (Cuca Roots); Luana Apolinario; e Mario Farias (ZIOHM).
// Dia 20 de agosto de 2017, às 16h, no Auditório. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Contato: Paulo Tiago / nuactproductions@gmail.com / 85 99122-9980




► [TEMPORADA DE ARTE CEARENSE] PROGRAMA LEITURAS NO DRAGÃOEspetáculo “Poesia de Quinta”Versos e Canções
A intervenção lítero-musical “Poesia de Quinta” é uma gentileza urbana promovida pelo grupo Versos & Canções e nasceu do desejo de espalhar cotidianamente arte pelas ruas da cidade. Encontrando assim, por meio da poesia e da música este caminho. Objetivando a promoção da leitura, bem como a disseminação e a acessibilidade da arte, através da distribuição de balões e poemas escritos à mão, e apresentações musicais.
Com poesias autorais, e algumas homenagens a poetas cearenses consagrados como Patativa do Assaré, Juvenal Galeno, Cego Aderaldo, Rodolfo Teófilo e outros escritores de renome como Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Mario Quintana, trechos de poemas são escritos à mão e distribuídos como forma de despertar a sensibilidade e a curiosidade para a obra dos autores citados.

/// Dia 20 de agosto de 2017, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Contatos: Julie Ane: (85) 98857-9683 | 99824-9788 | julieproducoes@outlook.com








//// TODA SEMANA NO DRAGÃO DO MAR

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Sempre de sexta a domingo, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores animam a criançada.
Todos os domingos, das 16h às 19h, na Praça Verde. Gratuito.

Fuxico no Dragão
Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos em design, moda e gastronomia agitam as tardes de domingo.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.




//// PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura informa que o Planetário Rubens de Azevedo passa por manutenção corretiva. Está, portanto, temporariamente fechado para atendimento ao público amplo, funcionando apenas para escolas agendadas. Informações: 3488.8639 ou www.dragaodomar.org.br/planetario



//// MUSEU DA CULTURA CEARENSE (MCC)

► Exposição “Miolo de Pote: a cerâmica cearense primitiva e atual”
Reunindo uma série de peças feitas de barro, a mostra apresenta o dinamismo e vivacidade desta arte ancestral e milenar, no Ceará, além de trazer ainda a contribuição de artistas plásticos e visuais como Bosco Lisboa, Gentil Barreira e Tiago Santana.
Potes, panelas, alguidar, caco de torrar café, brinquedos. A exposição Miolo de Pote revela um Ceará uno e múltiplo, similar e diverso, em dia com as heranças indígenas, africanas, ibéricas. “Primitiva e atual, a arte no barro mantém características próprias em cada localidade ou região, seja no tipo de material, no desenho, nas técnicas, seja no resultado final”, define a curadora Dodora Guimarães. Além dela, a mostra tem ainda a contribuição curatorial da historiadora e diretora de museus do Centro Dragão do Mar, Valéria Laena.
Miolo de Pote reúne, sobretudo, duas coleções públicas: a do Museu da Cultura Cearense (Instituto Dragão do Mar), feita entre 1997 e 1998, que cobriu a Região do Cariri, Saboeiro e Iguatu; e a da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Governo do Estado do Ceará), adquirida em 2005 e 2006, durante o Projeto Secult Itinerante, que percorreu todo o Estado. Algumas peças advindas do Projeto Comida e da exposição O Fabuloso Mundo do Barro, ambos do MCC, enriquecem a mostra que conta ainda com a participação dos artistas plásticos e visuais Bosco Lisboa, Gentil Barreira, Liara Leite, Sabyne Cavalcanti, Tiago Santana, Tércio Araripe, Terry Araújo e Túlio Paracampos.

Instalação de Bosco Lisboa
Em julho, o MCC e o artista Bosco Lisboa desenvolveram uma oficina gratuita, aberta ao público, cujas peças produzidas agora são parte de uma instalação inédita, nesta exposição. Nas aulas ministradas de 19 a 22 de julho, no ateliê da Praça Verde do Dragão do Mar, o artista ensinou as técnicas para se trabalhar com argila.
Natural de Juazeiro do Norte (CE), Bosco desenvolveu, por mais de dez anos, uma pesquisa com artesãos do Sítio Touro e do bairro Tiradentes, tradicionais redutos da cerâmica de sua cidade natal. Em 1994, passou a moldar o barro tendo em vista sua relação com o cotidiano. Por seu trabalho, recebeu menção honrosa no Salão dos Novos em 1993, em Fortaleza. Entre as exposições coletivas de que participou, destacam-se 1ª Bienal do Cariri (Juazeiro do Norte, 2001), Bienal Naif’s (Sesc Piracicaba, 2004) e Projeto Abolição Tudo É de Barro, no Centro Cultural do Abolição (Fortaleza, 2005).

Em cartaz por tempo indeterminado, no Piso Intermediário do MCC. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.


► Exposição Vaqueiros
Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.
Em cartaz permanentemente, no Piso Inferior do Museu da Cultura Cearense. Devido à manutenção, a mostra está aberta somente para visitas agendadas de escolas. Contato: (85) 3488.8621. E-mail: agendamentomuseus@gmail.com.


Ações do Núcleo Educativo do MCC

[PROJETO ANUAL]AMPLIANDO OS OLHARES / DIALOGANDO COM A OBRA
Visitas mediadas para o público espontâneo, sem necessidade de agendamento prévio.
É imensurável a diversidade de experiências e aprendizados dos diferentes públicos quando visitam exposições. Os acervos expostos costumam suscitar inúmeras questões: de onde veio? Quem fez? Qual significado? Por que está neste lugar? Para alguns, o diálogo com o educador é essencial para significar o acervo exibido.
Todas e todos os (as) interessados (as) em “ampliar os olhares” para as exposições do MCC e “dialogar” com o acervo por meio de atividades diversas (oficinas, contações de história, cine clube, jogos, descoberta dirigida, etc) estão convidados a participar desta programação.

QUANDO: aos sábados e domingos de agosto, a partir das 17hONDE: Somente na exposição “Miolo de pote”QUEM MEDIA: Educadores do MCC.PÚBLICO ALVO: Famílias, amigos, casais, crianças, estudantes. Público livre.Informações: 85 3488.8621 ou educamcc@gmail.com




[PROJETO ANUAL] MUSEU VAI À ESCOLA
Projeto que leva o MCC e a educação patrimonial para dentro da sala de aula.
O “Museu vai à Escola” é uma ação voltada para jovens estudantes dos diferentes níveis de ensino. Sua proposta é contribuir, a partir de reflexões e atividades sobre o patrimônio cultural do Estado do Ceará, com uma educação que aponte para questões recorrentes na sociedade atual, suscitadas pelas exposições e acervo do MCC, estimulando os estudantes a pensar sobre o patrimônio cultural brasileiro e fazê-los reconhecer e respeitar a diversidade cultural dos povos e de sua própria localidade, através de ações interdisciplinares em parceria com professores.
A atividade é realizada em dois encontros: no primeiro, a equipe do Núcleo Educativo do MCC vai até a escola. Lá, com suporte de materiais didáticos como quadros, imagens ampliadas,
réplicas de obras do acervo, fotografias, dentre outros, os educadores realizam discussões dirigidas, palestras e oficinas com a turma, com foco no conteúdo supracitado. Encerra-se esta etapa com a apresentação do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, do Museu da Cultura Cearense e de suas exposições.
O segundo encontro (não obrigatório) é realizado com a visita da turma às exposições do MCC.
Os professores, coordenadores pedagógicos e demais interessados em realizar a ação com suas turmas, devem entrar em contato com o Núcleo Educativo do MCC pelo telefone 3488-8621 ou pelo e-mail educamcc@gmail.com para agendar a atividade.
DATA E HORÁRIO: mediante agendamento prévio.CONTATOS PARA AGENDAMENTO E INFORMAÇÕES: 3488-8621 / educamcc@gmail.com



/// MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CEARÁ

► Exposição "O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos"
A mais completa mostra sobre a obra de um dos grandes nomes da fotografia no Brasil pode ser visitada até o dia 3 de setembro no Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC) do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Realizada pelo Instituto Moreira Salles (IMS), do Rio de Janeiro, e a Terra da Luz Editorial, do Ceará, a exposição "O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos", apresenta cerca de 400 fotografias, além de objetos, livros, recortes, exibição de filmes ("It's All True", "Cangaceiros"), documentários sobre ele, vídeo sobre o livro Mucuripe, entrevistas, entre outros.
Nascido há 100 anos (25 de abril de 1917) e falecido há 16 (26 de dezembro de 2000), "Seu Chico" como era chamado por tantos amigos, colegas e admiradores de sua obra, foi o precursor da fotografia na publicidade no Brasil e fez escola com sua arte que foi, é e será sempre uma grande referência. O pioneirismo, suas múltiplas habilidades e seu extremo domínio da luz e da técnica o levaram ao patamar de mestre de gerações de fotógrafos Brasil afora. "Essa exposição pretende apresentar ao público a maestria de Chico Albuquerque, que teve uma rica trajetória de mais de 65 anos na fotografia brasileira", diz Patricia Veloso, da Terra da Luz, que divide a curadoria com Sérgio Burgi, do IMS.
Muitas fotografias são expostas pela primeira vez no Ceará. Elas são parte do acervo de cerca de 75 mil imagens produzidas pelo fotógrafo cearense em São Paulo entre 1947 e 1975, que está preservado na Reserva Técnica Fotográfica do Instituto Moreira Salles por meio de convênio com o Museu da Imagem e do Som de São Paulo. Esse material foi digitalizado no IMS, que fez, em seguida, um minucioso trabalho de recuperação das imagens, boa parte delas bastante degradadas. Outra parte da exposição é composta por fotografias mantidas no Ceará, sendo, pois, um encontro de acervos, dando uma visão de toda a obra, resultando na mais completa mostra já realizada sobre ele.
"O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos" apresenta as várias fases de sua vida e obra. Uma das salas lembra o período de 1934 a 1945, que são os primeiros anos da ABAFILM, fundada em Fortaleza por seu pai, Adhemar Bezerra de Albuquerque, e o início da carreira profissional de Chico, que esteve à frente do estúdio da empresa de fotografia do pai. É dessa época o trabalho de still do filme It's All True, do cineasta Orson Welles, do qual participou Chico Albuquerque, e os registros do cangaço feitos por Benjamim Abrahão, cujo serviço foi contratado pela ABAFILM.
Em 1945, Chico Albuquerque mudou-se para São Paulo, onde abriu seu estúdio e destacou-se como um dos melhores retratistas do país, tornando-se um ícone da fotografia publicitária no Brasil, atividade que iniciou em 1949 junto às maiores agências de publicidade nacionais e internacionais.
Do período que residiu em São Paulo datam a série de cerca de 50 retratos de artistas, políticos e outras personalidades, as fotografias de arquitetura, moda, indústria automobilística e as imagens urbanas da capital paulista, produzidas nas décadas de 1960 e 1970, nunca expostas em Fortaleza. Na mostra há também um espaço dedicado ao fotoclubismo, movimento que participou como membro do Foto Cine Clube Bandeirante e que projetou a fotografia brasileira no cenário internacional.

Mucuripe, Frutas e Jericoacoara – Do acervo que permanecem no Ceará, estão séries como Frutas, de 1978, Jericoacoara, sendo esteo último ensaio que realizou, em 1985, e Mucuripe, a famosa documentação sobre os jangadeiros na praia de Fortaleza registrada por Chico Albuquerque em duas épocas distintas. A primeira vez foi em 1952, gerando uma grande repercussão nacional, com exposição no MASP e divulgação em revista de circulação nacional. A segunda, 36 anos depois, em 1988, cujas fotografias compuseram a primeira publicação do livro Mucuripe, lançado no ano seguinte. Editora e curadora também dos livros sobre a obra de Chico Albuquerque, Patricia Veloso lembra que as duas primeiras edições de Mucuripe tiveram o acompanhamento do fotógrafo nos serviços de impressão em São Paulo.

Recortes e afetos – A exposição reserva um espaço que é chamado pelos curadores como Sala dos Afetos, com registros de pessoas que fotografaram Chico Albuquerque, fotos pessoais, da família e lugares onde morou.

Em cartaz até o dia 3 de setembro de 2017, no MAC-CE. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.




/// MULTIGALERIA


► II Mostra Videografias Performativas
Uma das maiores expressões da arte contemporânea, a performance cearense tem uma rica produção que se encontra na segunda edição da Mostra Videografias Performativas. Em cartaz de 11 a 30 de agosto de 2017, na Multigaleria, a mostra traz a exuberância prática e reflexiva sobre os campos da performance.
Serão exibidos "Bela, recatada e do lar", do Comedores de Abacaxi S/A; "Centauro", de Marina de Botas; "O batedor de bolsa", de Dalton Paula; "Café Colônial", de Naiana Magalhães; "Zeitgeist", de Paul Setúbal; "Malacon", de Marcos Martins; "Performance magia política e ativismo psíquico", de Marcelo Gandhi; "marxha das cem tetas", de Marie Carangi; "Mamilo proibidão", de Raoni Shaira; "Desaba", da Inquieta Cia.
Parceria
Neste ano, a Mostra Videografias Performativas será realizada em parceria com o Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança, do Rio de Janeiro. Neste ano, pela primeira vez, o festival, que está na 15ª edição, será realizado em Fortaleza. De 11 a 30 de agosto, no Dragão do Mar, o Dança em Foco apresenta a Mostra Internacional de Videodança, Masterclasses e Palestras (MIV) também na Multigaleria.
Em cartaz até 30 de agosto de 2017, na Multigaleira. Visitação: de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Acesso gratuito.
Enviar

Deixe seu comentário: