quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Deputado Cabo Sabino vai para o Chile, em comitiva, para estudar a unificação das policias no Brasil

Com problemas similares aos do Brasil, o Chile soluciona 92% dos crimes e é considerado modelo em segurança pública. No país, são apenas duas corporações: Os carabineiros, considerados incorruptíveis, e equiparados a nossa policia militar, e a PDI – Polícia Investigativa, que se equipara a Polícia Civil no Brasil. No País é natural que, um dia depois a prisão de um criminoso, o réu esteja diante do juiz.

Essa agilidade é uma das causas da ida, em comitiva, dos parlamentares que integram a Comissão Especial destinada a estudar e apresentar propostas de unificação das polícias civis e militares, no último dia 23.

A ideia é implantar um novo sistema de segurança pública em que a mesma polícia faça o patrulhamento das ruas e investigue os crimes cometidos. Isso eliminaria a diferenciação de funções entre o Policial Militar e a Civil.

O colegiado tem até o fim desta legislatura para estudar modelos que unifiquem a atuação de aproximadamente 425 mil PMs e 117 mil policiais civis, que atuam nos estados brasileiros. A intenção é que, ao final, os parlamentares possam apresentar uma medida que atenue as sucessivas crises da segurança pública que culminou em recentes greves nas corporações e massacres em presídios.
O sistema de segurança chileno funciona e começa com os carabineiros. É uma força de quase 55 mil homens e mulheres bem treinados e equipados.

O Deputado Federal Cabo Sabino, vice-presidente da Comissão, em seu primeiro dia na cidade de Santiago, visitou a academia de formação dos agentes e investigadores da polícia, juntamente com os Deputados Vinicius Carvalho, relator, e Leonardo Souto, presidente da Comissão de segurança pública.
“A Polícia de Investigação do Chile possibilita que, 92% dos casos de homicídios no país sejam solucionados. Não há o que comparar quanto aos casos de resolutividade no Brasil, que não passam de 9%.” Frisou Sabino impressionado com a estatística do país.

O parlamentar reforçou a importância deste tipo de trabalho, in loco, e disse que ainda há muito para fazer. A previsão é que hoje os parlamentares visitem os carabineiros e, antes da partida para a Colômbia, consigam uma audiência com integrantes do Ministério Público, a fim de avaliar a forma como a instituição analisa e repassa os casos a serem investigados.
Enviar

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.