sexta-feira, 6 de outubro de 2017

“Polícia Federal – A lei é para todos” assume liderança do ranking de filmes nacionais em 2017

Especialista acredita que produção sobre Operação Lava Jato fechará o ano como o filme brasileiro mais visto

Com os resultados do fim de semana estendido de 28 de setembro a 1 de outubro, o filme “Polícia Federal – A lei é para todos”, que retrata a Operação Lava Jato, assumiu o primeiro lugar no ranking dos longas-metragens brasileiros lançados em 2017, segundo o portal especializado Filme B. O thriller político chegou ao acumulado de 1.215.832 ingressos vendidos desde a estreia em 7 de setembro e ultrapassou a produção infantil “Detetives do Prédio Azul”, que vendeu 1.193.095 ingressos.

Polícia Federal – A lei é para todos” já tem uma renda acumulada de R$19.046.103 e deve entrar, nos próximos dias, no clube seleto de filmes brasileiros com bilheteria superior a R$20 milhões.

O filme garantiu a posição de líder do ranking das produções brasileiras lançadas em 2017. Não vejo na lista de longas previstos para lançamento até o fim do ano nenhum filme capaz de desbancá-lo,” afirma Paulo Sérgio Almeida, diretor da Filme B e um dos maiores especialistas sobre o mercado cinematográfico brasileiro.

É importante ressaltar que o forte desempenho comercial de “Polícia Federal – A lei é para todos” acontece em um momento de queda do mercado. De janeiro a setembro de 2017, o público total dos filmes brasileiros caiu 34,8% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto a renda total diminuiu 22,5%.

O sucesso do filme, na minha opinião, se deve a dois fatores. Primeiro, as pessoas se interessam pelo tema do filme, a Operação Lava Jato. Segundo, e talvez ainda mais importante, é que a história do filme prende a atenção do espectador, que acompanha o desenrolar das investigações. O filme informa, mas, sobretudo, diverte o espectador. Afinal, as pessoas vão ao cinema para se divertir,” avalia o produtor Tomislav Blazic, da New Cine & TV e Raconto Produções.

Enviar

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.