sábado, 9 de dezembro de 2017

Atletas nacionais movimentam Icó no VIII Jogo Beneficente neste sábado (09)

Na tarde desta sexta-feira, 8 de dezembro, o secretário dos Recursos Hídricos do Ceará (SRH), Francisco Teixeira - acompanhado pelo presidente da Cogerh, João Lúcio Farias, e o Superintendente da Sohidra, Yuri Costa – recebeu, no Palácio da Abolição, uma comissão de representantes das comunidades do entorno da Lagoa do Cauipe, no Pecém.

Durante o encontro, que contou com a participação da deputada estadual Rachel Marques (PT), o titular da SRH esclareceu detalhes do projeto da adutora que está sendo construída no lagamar do Caiupe, como também abriu o espaço para que a comunidade apresentasse suas perspectivas. Para isso, Teixeira garantiu que a intervenção seguirá paralisada até a próxima sexta-feira, 15 de dezembro, quando o grupo deverá voltar ao Palácio com uma pauta de reivindicações concernentes às atribuições da pasta.  

Esta é a sexta reunião promovida entre gestores públicos e população, sendo que cinco dessas agendas foram marcadas em pontos centrais da região e ônibus foram disponibilizados, garantindo a participação de integrantes de 27 comunidades. Um dos encontros, realizado no dia 25 de outubro, contou com a presença do presidente da Cogerh, João Lúcio Farias; do secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, e do Secretário Chefe de Gabinete do Governador, Élcio Batista.

Detalhes da intervenção

A decisão de implementar um projeto de captação de água do sistema Cauipe só foi adotado após estudo realizado pela Cogerh, entre os anos de 2011 e 2014, que comprovaram a sustentabilidade da intervenção. De acordo com o levantamento, no período de quadra chuvosa, a Lagoa sangra para o mar cerca de 20 mil litros de água por segundo. A ideia da obra é retirar apenas 200 litros por segundo enquanto a lagoa estiver vertendo, ou seja, 1% da vazão despejada no mar. Assim, a captação não interfere no nível da Lagoa, tampouco, representa qualquer risco ambiental. Por outro lado, a implementação desse projeto agregará ações de preservação da área.

Diante da falta de chuvas, registrada nos últimos seis anos, a intervenção foi uma das alternativas encontradas para complementar o abastecimento dos distritos de Umarituba e Catuana, em Caucaia; sede de São Gonçalo, e indústrias do CIPP. 

Enviar

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.