sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Economia - Trajetória de recuperação da indústria cearense se consolida em dezembro

A Sondagem Industrial sobre o Ceará revelou continuidade da trajetória de recuperação da indústria em dezembro no Estado. O mês é usualmente um período de ajuste para a indústria, após o ápice da produção, que ocorre nos meses de outubro e novembro, entretanto, as reduções ocorridas em dezembro de 2017 são menores que as ocorridas no mesmo mês dos anos anteriores, seja na evolução da produção, do pessoal empregado, com estoques próximos ao planejado pelas empresas e utilização da capacidade produtiva mais próxima ao que é considerado usual para dezembro.

A produção industrial cearense registrou decréscimo em dezembro, comportamento usual para o mês, com indicador de 45,1 pontos, ou seja, abaixo da linha divisória dos 50 pontos. Entretanto, a menor intensidade da redução é evidenciada por ser o melhor resultado para o mês de dezembro desde 2012. Com isso, apesar da Utilização da Capacidade Instalada da indústria situar-se abaixo do usual para o mês, com 44,4 pontos, ainda representa o melhor resultado para dezembro dos últimos cinco meses, fato também ocorrido para a evolução do número de empregados. Desta forma, a indústria opera com estoques dentro do planejado. As expectativas dos industriais cearenses são bastante positivas para os próximos seis meses.

Os índices de perspectivas quanto a demanda, a compra de matérias-primas e a quantidade exportada registram valores acima dos 55 pontos, reforçando o otimismo por parte dos industriais cearenses no mês da coleta, ou seja, em janeiro de 2018. A intenção de investimento por parte dos industriais cearenses situou-se acima da média histórica de 49,66 pontos (calculada desde novembro de 2013), mas ainda permanece distante do período pré-crise (71,7 pontos em dezembro de 2013). Essas foram as principais conclusões da pesquisa Sondagem Industrial, realizada pelo Núcleo de Economia e Estratégia da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria – CNI.
Enviar

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.