quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Festival Jazz & Blues: Tributo a Eric Clapton, com Rafael Balboa, emocionou o público em Guaramiranga


Uma belíssima e intensa homenagem a um dos maiores mestres do blues e do rock em todos os tempos marcou a noite de domingo no Festival Jazz & Blues, em Guaramiranga. O cantor, guitarrista e compositor cearense Rafael Balboa foi muito aplaudido ao longo das duas horas de seu show Tributo a Eric Clapton, no Festival Jazz & Blues. Rafael e sua banda foram muito aplaudidos ao prestar homenagem a um dos maiores mestres do blues e do rock: o guitarrista, cantor e compositor inglês, um dos músicos mais influentes de todos os tempos e um dos que melhor souberam assimilar a herança da música negra norte-americana, reinventando-a para criar uma personalidade musical própria, capaz de cativar gerações e gerações de ouvintes.

Através do show "Tributo a Eric Clapton", apresentado na noite de domingo de Carnaval, Rafael Balboa (guitarra e voz) e outros grandes instrumentistas do Ceará - Márcio Holanda (guitarra, teclado e vocais),Dudu Jorge (contrabaixo), Argeu Herbster (teclado) e Ramon Jucá (bateria) - conduziram o público a um passeio pela longa e prolífica carreira de "Mr. Slowhand" ("mão lenta"). Desde os tempos do histórico power-trio Cream, passando pelos Yardbirds, pelo grupo Derek and The Dominoes, pela parceria com o beatle George Harrison, pela carreira solo e pelos discos em duo ou temáticos, ressaltando a obra de grandes lendas, como Robert Johnson, J. J. Cale e B. B. King.

O show em Guaramiranga também incluiu músicas de seus discos mais recentes, como "Reptile". Tudo preparado por Rafael Balboa, autor do disco "Birth" (2016) e nome destacado em inúmeros festivais e projetos, especialmente para o público do Festival Jazz & Blues.
O show foi dos clássicos "Bell bottom blues" e "Layla", da época de Clapton com o grupo Derek and The Dominoes, à recente "Change the world", uma das músicas mais tocantes de sua discografia. Da parceria com George Harrison em "Badge", no começo dos anos 70, à recente e irresistível balada-blues "Don´t let me be lonely tonight" e à blueseira "Got you on my mind", ambas do disco "Reptile". Do romantismo de "Wonderful tonight" à intensidade lírica de "My father´s eyes".

Do contagiante acento country-rock de "Lay down Sally" ao reggae de Marley que ganhou o mundo com Clapton em "I shot the sheriff". Do Robert Johnson de"Crossroads" ao J. J. Cale de "Cocaine", passando por "Sunshine of your love", dos tempos de Cream. De "Old love" a "Bad love", do álbum "Journeyman". Com direito a um breve set acústico, incluindo "Tears in heaven" e "Nobody knows you when you´re down and out", para relembrar todo o sucesso do disco de 1992, que catapultou o nome do guitarrista novamente às paradas de sucesso mundiais, fazendo-o ser "descoberto" por novas gerações.

Clapton 7.2

Aos 72 anos, Eric Clapton segue como um dos mais criativos e inquietos nomes da música em todo o mundo, lançando novos discos em que parece refinar cada vez mais seu som, entregando-se ao prazer de ser fiel à essência de sua musicalidade. O artista, cujos relatos de força e sobrevivência impressionam tanto quanto as conquistas no best-seller que se tornou sua autobiografia, recentemente colecionou críticas positivas pelo álbum "I Still Do" e está com novos shows marcados, para a Alemanha e a Inglaterra, em julho deste ano. Vida que segue, por meio da música.
Enviar

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.