quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O que vem por aí - agenda cultural - ESPETÁCULO A MARCA DA ÁGUA, DA ARMAZEM COMPANHIA DE TEATRO, ENTRA EM CARTAZ NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

Sucesso de público e crítica, a peça transita entre sonho, realidade e poesia para contar uma história que mergulha nas profundezas do ser humano

​ 
Crédito: Mauro Kury

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 02 a 04 de fevereiro, o espetáculo “A Marca da Água”, da Armazém Companhia de Teatro. Com texto de Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes, que também assina a direção, a peça, eleita pelo Jornal O Globo com uma das melhores de 2012, recebeu o Prêmio Shell de Melhor Ator, Prêmio APTR de Melhor iluminação. Além disso, foi agraciada com o Prêmio Fringe First Award, durante o Festival de Edimburgo, na Escócia, em 2013.

O espetáculo apresenta ao público uma história que transita ente o sonho e a realidade de seus personagens. Vivendo numa aparente placidez, numa espécie de cotidiano automático e morno, Laura, aos 40 anos, é surpreendida pelo misterioso aparecimento de um enorme peixe em seu jardim. Esta perturbadora aparição traz de volta à vida desta mulher sintomas de uma doença neurológica causada por um acidente na infância. A partir daí, Laura passa a ter acesso profundo e muito nítido às suas mais antigas memórias e é arrebatada por uma música imaginária e constante dentro de sua cabeça.

Com tons e movimentos que reforçam o universo de “A Marca da Água” entre o real e sonhado, a busca e o delírio da personagem flagram estados sutis quando a fragilidade física pode se transformar em afirmação de vida. A encenação explora uma inspirada ambientação cenográfica, em que movimentos dentro de uma piscina e coloridas projeções auxiliam na condução da ação.

Antes de dar voz ao texto caprichado de Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes, que “bebem” em fontes como os livros do neurologista britânico Oliver Sacks, o elenco fez intenso preparo corporal para, em cena, conseguir, sem embaraço, atuar tendo que a quase todo instante se lançar num tanque com 3 mil litros de água. Os figurinos de Rita Murtinho, em neoprene e tactel, faz com que os atores alternem o visual molhado/seco ao longo da encenação.

Sobre a Armazém Companhia de Teatro

A Armazém Companhia de Teatro foi formado em 1987, em Londrina, em meio à efervescência cultural vivida pela cidade paranaense na década de 80 - de onde saíram nomes importantes no teatro, na música e na poesia. Liderados pelo diretor Paulo de Moraes, o senso de ousadia daqueles jovens buscando seu lugar no palco impregnaria para sempre os passos do grupo: a necessidade de selar um jogo com o seu espectador, a imersão num mundo paralelo, recriado sobretudo pela ação do corpo, da palavra, do tempo e do espaço.

Com sede no Rio de Janeiro desde 1998, a companhia completou, recentemente, 30 anos de sua formação. Sempre baseando seus espetáculos em pesquisas temáticas (com a criação de uma dramaturgia própria com ênfase nas relações do tempo narrativo) e formais (que se refletem na utilização do espaço, na construção da cenografia, ou nas técnicas utilizadas pelos atores para conviver com o risco de encenar em cima de um telhado, atravessando uma fina trave de madeira ou imersos na água), a questão determinante para a companhia segue sendo a arte do ator. Busca-se para o ator uma dinâmica de corpo, voz e pensamento que dê conta das múltiplas questões que seus espetáculos propõem. E a encenação caminha no mesmo sentido, já que é o corpo total do ator que a determina.

Apesar da construção de espetáculos tão díspares e complementares como A Ratoeira é o Gato (1993), Alice Através do Espelho (1999), Toda Nudez Será Castigada (2005) e O Dia em que Sam Morreu (2014), a Armazém Companhia de Teatro segue sua trajetória sempre investindo numa linguagem fragmentada, que ordene o movimento do mundo a partir de uma lógica interna. Essa lógica interna é a voz da Armazém, talvez a grande protagonista do mundo representacional da companhia.

O grupo conta com o patrocínio da Petrobras desde o ano 2000.

Ficha técnica
A Marca da Água
Dramaturgia: Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes
Direção: Paulo de Moraes
Elenco: Patrícia Selonk, Ricardo Martins, Marcos Martins, Marcelo Guerra e Lisa Eiras
Iluminação: Maneco Quinderé
Figurinos: Rita Murtinho
Direção Musical: Ricco Viana
Cenografia: Paulo de Moraes
Vídeografismo: Rico Vilarouca e Renato Vilarouca
Assessoria de Imprensa: Ney Motta
Projeto Gráfico: Jopa Moraes
Fotografias: Mauro Kury
Produção Executiva: Flávia Menezes
Produção: Armazém Companhia de Teatro

Serviço

Teatro: A Marca da Água
Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 02 a 04 de fevereiro
Horários: Sexta e sábado, às 20h, e domingo, às 19h
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia-entrada)
Vendas a partir do dia 01 de fevereiro, das 10h às 20h, na bilheteria do local
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista gratuito no local 
Paraciclo disponível no pátio interno

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.