segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Oportunidade - Instituto Dragão do Mar traz Roberta Martinelli, Pena Schmidt e Alexandre Matias para falar sobre o mercado da música

Nova edição do programa Conversa de Proa será realizada nesta segunda-feira (22), às 19h, no Auditório do Dragão. Palestrantes vão falar ao público sobre “Posicionamento de carreira e audiência na música”. Programação é uma ação do Porto Dragão Música

          Por meio da aceleradora de projetos artísticos Porto Dragão, o Instituto Dragão do Mar realiza mais uma Conversa de Proa, nesta segunda-feira (22), programa que oferece ao público palestras formativas com grandes nomes do mercado brasileiro das artes. Esta edição terá como convidados Alexandre Matias, que é curador de música do Centro Cultural São Paulo e do Centro da Terra; o produtor musical Pena Schmidt, que foi executivo e diretor de gravadoras, como a Warner Music; e Roberta 
Martinelli, apresentadora do programa Cultura Livre, na TV Cultura, e uma das referências jornalísticas da área. A palestra terá como tema “Posicionamento de carreira e audiência na música” e se inicia às 19h, no Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

          Os convidados desta edição da Conversa de Proa, assim como os da última, estão entre os curadores do programa Porto Dragão Sessions, que vai selecionar bandas cearenses para produção de conteúdo musical e posterior distribuição digital desse material. “Estamos aproveitando a vinda dos curadores do Porto Dragão Sessions para que eles compartilhem com o mercado cearense o conhecimento mais atual sobre os novos desafios e fronteiras do mercado nacional e mundial da música”, afirma o diretor de Ação Cultural do Instituto Dragão do Mar, João Wilson Damasceno.


SOBRE OS CONVIDADOS

Alexandre Matias
Nascido em 1975, o jornalista brasiliense Alexandre Matias cobre cultura, comportamento e tecnologia há vinte anos e colaborou com os principais veículos de comunicação no Brasil. Sua produção está centralizada no site Trabalho Sujo (www.trabalhosujo.com.br), que mantém desde 1995 (@trabalhosujo nas redes sociais). Também atua como curador, tradutor, DJ e produtor de festas, palestrante e coordena cursos voltados para música. Atualmente é curador de música do Centro Cultural São Paulo e curador de música do Espaço Cultural Centro da Terra. Também possui um blog de cultura pop no UOL, uma coluna sobre música brasileira na revista Caros Amigos, é curador e cocriador da série de debates Spotify Talks, produz a festa mensal Noites Trabalho Sujo e coordena o curso O Ecossistema da Música no Século 21, no Espaço Cult, em São Paulo. Também faz parte do conselho consultivo da Semana Internacional da Música de São Paulo, do júri de música popular da Associação Paulista de Críticos de Arte e presta consultoria para o Prêmio Multishow de Música Brasileira.

Pena Schmidt
Produtor Musical, Pesquisador e Curador Independente. Inicia sua atividade em 1972, ao terminar o curso técnico de eletrônica e iniciar suas primeiras produções de disco, com artistas autorais como Novos Baianos, Moto Perpétuo, Som Nosso de Cada Dia, Walter Franco e Almir Sater. Trabalha na montagem do equipamento de som dos Mutantes e segue com eles em turnê pelo Brasil, operando a mesa. Continua a produzir discos, Rita Lee, Walter Franco e Almir Sater, participa dos primeiros Festivais - Hollywood Rock, Aguas Claras, São Paulo-Montreaux, Free Jazz (todos), como técnico de som e depois diretor de palco e diretor de eventos até 2003. Durante os anos 80, com André Midani e Liminha, na WEA, contrata e produz Ira!, Titãs, Ultraje, Mulheres Negras e Benjor entre outros. Nos anos 90 cria o selo Tinitus, que lança Karnak, Virna Lisi, Música Ligeira e mais dezenas de Cds. Em 1999 participa da fundação da ABMI - Associação Brasileira da Música Independente, da qual foi presidente em dois mandatos, monta a StageBrainz, empresa de produção técnica profissional, em 2003 foi Diretor Geral da gravadora Trama, em 2004 superintendente do Auditório Ibirapuera, de sua inauguração até 2012. Foi Diretor do Centro Cultural São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo entre 2014 e 2016. Atualmente pensa, faz curadorias, escreve e dá consultorias.

Roberta Martinelli
É apresentadora, criadora e curadora do programa Cultura Livre na Rádio Cultura Brasil e na TV Cultura. O programa completou em 2017 oito anos na grade da Rádio Cultura Brasil e 7 temporadas na TV Cultura mostrando a música brasileira que acontece hoje. O programa foi indicado pela APCA como melhor programa de televisão em 2014. É apresentadora do Prelúdio, o único concurso de musica clássica da tv brasileira. Apresenta e produz o programa Som a Pino diariamente na Rádio Eldorado. É colunista do jornal O Estado de São Paulo.Foi professora de jornalismo cultural em rádio na pós-graduação da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP/SP). Especialista em Canção Popular pela faculdade Santa Marcelin



PORTO DRAGÃO SESSIONS

          Projeto do Instituto Dragão do Mar (IDM), o Porto Dragão entra, em 2018, numa nova fase no processo de agenciamento da produção artística cearense, com o Porto Dragão Sessions. Trata-se de um programa que tem por objetivo criar conteúdo em música e depois distribuí-lo em plataformas digitais, com o intuito de fomentar a produção artística musical do Ceará. Para esta primeira edição do programa, serão selecionadas dez bandas profissionais e artistas – cearenses ou residentes no Estado – por meio de uma convocatória on-line. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até 19 de janeiro de 2018, no site www.dragaodomar.org.br.
          Para registrar, difundir e distribuir a produção musical cearense, o Porto Dragão Sessions vai produzir junto dos selecionados cinco conteúdos: uma coletânea da Nova Música Cearense, com 20 faixas, para difusão e distribuição em meio digital; um programa para veiculação numa emissora televisiva e canais na web; dois videoclipes ao vivo de cada banda/artista selecionado; duas faixas mixadas e masterizada, de cada banda/artista selecionado; e uma playlist com bandas/artistas selecionados para difusão em plataformas digitais. Além de Alexandre Matias, Pena Schmidt e Roberta Martinelli, são curadores ainda Fabiana BatistelaArthur Fitzgibbon e Daniel Ganja Man.



PORTO DRAGÃO
          O projeto Porto Dragão foi lançado em agosto de 2017 pelo Instituto Dragão do Mar, com o objetivo principal de fazer circular a vasta produção artística do Ceará, em diversas linguagens, dentro do próprio estado e também nacional e internacionalmente. Segundo o presidente do Instituto Dragão do Mar, Paulo Linhares, o Porto Dragão tem o intuito de desenvolver as cadeias de setores criativos como a música, as artes visuais e o audiovisual.
          Num primeiro momento, as ações do projeto se concentram na música, por ser uma das cadeias criativas de maior impacto na economia do Ceará. É o braço Porto Dragão Música, cujo objetivo geral é estimular e incrementar a produção musical cearense e a economia que se organiza em torno desse campo artístico, através da indução de investimentos públicos e também da articulação de parcerias privadas.
          “O Porto Dragão Música vai ofertar um conjunto de serviços de conhecimentos diversos e complementares, além de processos de capacitação e tecnologias para artistas, produtores, empreendedores, cooperativas, associações e empresas que atuam no campo musical. É uma verdadeira agência de desenvolvimento que vai proporcionar o apoio necessário para a transformação e promoção destas iniciativas”, define Linhares.


SERVIÇOConversa de Proa com Roberta Martinelli, Pena Schmidt e Alexandre MatiasQuando: dia 22 de janeiro de 2018
Hora: às 19h
Onde: Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)Acesso gratuito

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.