sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Inovação - Tecnologia blockchain será objeto de cooperação entre BNDES e KfW


·        Memorando que será celebrado entre os bancos de desenvolvimento do Brasil e da Alemanha prevê teste conceito no Fundo Amazônia 

Com o objetivo de conhecer o panorama geral do mercado, buscar oportunidades de negócios e formar parcerias, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vem trocando experiências com empresas, centros de pesquisa e instituições financeiras que se dedicam desenvolvimento da tecnologia blockchain. Nesse contexto, a diretoria do BNDES aprovou a celebração de memorando de entendimento com o KfW, o banco de desenvolvimento alemão, para promover a cooperação entre as duas instituições no aprimoramento do software TruBudget. 

A ferramenta foi desenvolvida pelo KfW para aprimorar a transparência e a eficiência no uso de recursos públicos que financiam o desenvolvimento. Embora seja baseado em tecnologia similar à do bitcoin, o TruBudget não envolve o uso de uma moeda virtual: trata-se de uma ferramenta de fluxo de trabalho que utiliza uma blockchain privada, e não pública, como a do bitcoin. 

Até maio, o BNDES fará um teste-piloto do aplicativo no Fundo Amazônia. O Fundo, que é gerido pelo BNDES, tem o banco alemão como um dos doadores e realiza operações financeiras não reembolsáveis, que são o foco do memorando. 

Pelo acordo, o KfW fornecerá ao BNDES acesso ao repositório de software e gerenciará todas as outras plataformas e ferramentas relacionadas necessárias para colaborar e trabalhar na melhoria do TruBudget. O banco alemão também oferecerá suporte técnico à aplicação da ferramenta. 

Durante os testes, o BNDES compartilhará regularmente entre os participantes informações sobre o uso do TruBudget. O Banco não o usará para fins comerciais nem reivindicará a propriedade intelectual para o software ou uma versão modificada dele. Durante a execução conjunta do projeto, o KfW pretende formalizar a licença do TruBudget na modalidade de código aberto.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.