sábado, 10 de março de 2018

Dragão do Mar inicia série de debates “As mulheres que fazem nossa história” nesta terça-feira (13)

Nos dias 13, 15, 20 e 22, pesquisadoras, ativistas e artistas mulheres debatem a invisibilidade do protagonismo feminino na história oficial do Ceará



Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 08 de março, o Centro Dragão do Mar segue com o ciclo “Bárbaras: mulheres do Ceará", programação que ofertará, durante todo o mês, atrações em linguagens diversas, a maioria delas gratuita. A programação homenageia figuras femininas que marcaram a história do Ceará e continuam a ser referência em diferentes campos, nomes como Bárbara de Alencar, Maria Luíza Fontenele, Rachel de Queiroz, Maria da Penha, Preta Simoa, Cacique Pequena, Violeta Arraes e Amelinha.
Além de shows, exposições, espetáculos teatrais e exibições de filmes, o ciclo traz em destaque a série de encontros “As mulheres que fazem nossa história”, debates que acontecerão nos dias 13,15, 20 e 22 de março, às 19h, no Auditório do Dragão. O acesso é gratuito, sujeito à capacidade do local. Sociólogas, artistas e lideranças foram convidadas a propor temas que versassem sobre a participação feminina na política, nas lutas, nos movimentos sociais, na arte e na cultura.
 Os debates serão divididos em dois eixos temáticos, cada um com dois encontros. Nos dias 13 e 15 de março, a temática abordada será “O Protagonismo feminino e a invisibilidade da mulher na História”. Na terça-feira (13),Maria Luíza Fontenele, primeira mulher a ser eleita prefeita de uma capital brasileira, e a socióloga Irlys Barreira abrem a discussão sobre as participações femininas na política, conversa mediada pela socióloga Paula Vieira. Na quinta-feira(15), a líder indígena Cacique Pequena, a primeira mulher a se tornar Cacique no Brasil, e a ativista Karla Alves, do Pretas Simoa, Grupo de Mulheres Negras do Cariri, conversam falam sobre a participação das mulheres nos movimentos sociais. O bate-papo contará com mediação da socióloga Monalisa Soares.
Mulheres na produção de narrativas nas artes” será o tema discutido, no dia 20 entre a historiadora Adelaide Gonçalves e a escritora Socorro Acioli, com mediação da escritora Isabel Ferreira Lima, e no dia 22 entre a atriz e diretora Grupo de Teatro Máquina Fran Teixeira e a bailarina e coreógrafa Wilemara Barros, que dialogam sobre o protagonismo da mulher cearense nas produções artísticas e culturais. A conversa será mediada pela cantora, atriz ecoordenadora de criação e produção da escola Porto Iracema das Artes Natasha Faria.
Segundo Paulo Linhares, presidente do Instituto Dragão do Mar, os encontros têm a finalidade de discutir a falta de visibilidade das mulheres na história oficial do Estado. “As mulheres cearenses sempre tiveram grande importância nos nossos processos históricos, a começar por Bárbara de Alencar, que foi fundamental no processo de autonomização do Ceará em relação a Portugal e na propagação da ideia de liberdade. Se temos uma ideia de liberdade enraizada por todo o projeto antropológico do Ceará, devemos isso a ela. Esse vanguardismo teve sequência em muitos outros nomes, mas ainda existe uma invisibilidade sobre a trajetória dessas precursoras, uma dívida histórica que precisa entrar em pauta de discussão”, afirma o gestor.

Serviço: “Bárbaras: Mulheres do Ceará” – Série de Encontros “As mulheres que fazem nossa história”Dias 13, 15, 20 e 22 de março, às 19h, no Auditório do Dragão do Mar. Acesso gratuito. 
A programação completa pode ser conferida no site www.dragaodomar.org.br.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.