Secovi apresenta projeto de segurança para contribuir com o Estado

A partir do sistema de câmeras dos condomínios, o projeto Zona Protegida compartilha informações que vão ajudar as Forças de Segurança Pública
Com o crescimento descontrolado da violência no Ceará e com objetivo de unir forças com o Governo para combater a criminalidade, o Secovi-CE (Sindicato da Habitação) apresentou nesta quarta-feira, 7, na Agência do Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), uma proposta de parceria público-privada na área de segurança, o Zona Protegida. O projeto foi anunciado pelo presidente do Secovi-CE, Sérgio Porto, e pelo vice-presidente de shopping center, Flávio Pinto, ao presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Indústria Imobiliária do Ceará (CS Imobiliária), Gama Filho, e demais representantes do setor com assento no colegiado.
O Zona Protegida é uma rede social que compartilha as infraestruturas de segurança de condomínios em uma região limitada, através da comunicação correta e ágil dos incidentes para as Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal. Complementando as chamadas telefônicas, a proposta é possibilitar que o público transmita textos, vídeos, áudios, imagens e geoposicionamento aos Centros Integrados de Operações da Segurança Pública. As Forças de Segurança passariam a contar com uma rede bem maior de informações no combate à criminalidade.
Para o presidente Sérgio Porto, o projeto traz inovações para a área de segurança no Estado e beneficia toda a sociedade.  “O Secovi, como representante dos condomínios, tem como objetivo contribuir para a segurança da população. E acreditamos que o projeto Zona Protegida irá ajudar a esclarecer crimes e até mesmo inibir assaltos e outros tipos de delitos nas zonas residenciais. Por isso, a parceria público-privada é essencial para o sucesso dessa iniciativa que terá abrangência em toda a cidade”, finaliza.
Após a exposição do presidente do Secovi-CE, os participantes da reunião se pronunciaram e elogiaram a iniciativa que deve reunir toda a cadeia produtiva. O presidente da CS Imobiliária, Gama Filho, confirmou que irá marcar um encontro com os presidentes das outras 26 câmaras setoriais para que o Zona Protegida seja apresentado aos demais setores da economia e da sociedade. “Quando o assunto é segurança, por mais que a gente espere do poder público, temos a consciência de que o Governo não pode resolver tudo sozinho. É então a partir de projetos como esse que nós, iniciativa privada, podemos dar nossa contribuição”, salientou.
A Câmara
A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Indústria Imobiliária do Ceará (CS Imobiliária) é um órgão colegiado, de deliberação coletiva, de caráter normativo e consultivo vinculado à Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará S.A. – ADECE, e instituída através da Portaria nº 012/2013 de 15/02/2013, tendo por finalidade propor, apoiar e acompanhar projetos e ações visando o desenvolvimento sustentável do setor imobiliário do Estado do Ceará.
A CS Imobiliária é composta por representantes do setor a ela vinculados diretamente ou através de apoio logístico ou consultivo, para atuar na identificação de oportunidades e entraves impeditivos ao desenvolvimento do setor, articulando agentes públicos e privados e definindo ações prioritárias de interesse comum, visando a atuação integrada dos diferentes segmentos envolvidos.

Nenhum comentário:

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.

Tecnologia do Blogger.