Economia - Ceará é o terceiro do Brasil em exportação de rochas ornamentais

As pesquisas efetivadas pelas empresas cearenses e pelos novos investidores estão tornando o Estado uma das  principais fronteiras mundiais de granitos super exóticos e quartzitos. Atualmente o Ceará comercializa cerca de 500 milhões por ano, sendo o primeiro do Nordeste.

Nos últimos cinco anos, o Ceará deu um grande salto no setor de rochas ornamentais passando de 12 para 45 empresas operantes no estado, entre as quais estão as maiores  exportadoras do Brasil. A concentração da maior parte dessas empresas está no Noroeste do Estado (Sobral, Massapê, Santa Quitéria, Região de Banabuiú, etc). Com o mercado em ascensão, o Estado está hoje entre os três principais do Brasil em exportação com US$ 26,6 milhões e 39,5 mil toneladas, em 2017, evidenciando tendência de crescimento. Entre as pedras do Ceará que mais fazem sucesso no mundo e são extraídas exclusivamente do solo cearense e por empresas cearenses estão a Perla Santana, a Perla Venata, a Cristalo Pink e a ônix Vision. Uma dessas pedras, a Cristalo Pink, um quartzo rosa sinônimo de luxo, brilho e riqueza será um dos grandes destaques da feira.
As exportações de rochas ornamentais foram efetuadas por 16 estados brasileiros em 2017. Apenas Espírito Santo, Minas Gerais, Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte registraram faturamento superior a US$ 10 milhões para essas exportações. O Espírito Santo respondeu pela maior parte, 81,7% do total do faturamento, em seguida,  Minas Gerais com 11,8% e logo depois Ceará com 2,4%. O Brasil exportou rochas ornamentais para 117 países no ano de 2017. Os três principais destinos foram EUA, China e Itália, nesta ordem. Apenas para oito países as exportações superaram US$ 10 milhões.

No Ceará, a expectativa é que as exportações terão forte crescimento nos próximos quatro anos chegando a  US$ 200 milhões até 2021, quando o Estado será o segundo maior parque industrial e de exportações do Brasil. “Para atingirmos estes números, é fundamental que os agentes institucionais como a Agência Nacional de Mineração, a Semace e a ZPE possam exercer as suas funções com eficiência”, afirma Carlos Rubens Alencar, presidente do Sindicato da Indústria Mármores Granitos do Estado do Ceará, Simagran-CE.
O setor de rochas ornamentais é um dos qualificados como prioritários para instalação de indústrias na ZPE-Pecém. São 19 protocolos de intenções assinados e cinco projetos já estão em fase de modelagem. Em março de 2017, a Thor Granitos, historicamente a maior exportadora do Brasil em volume de CTNR, passou a atuar no Ceará. A empresa foca, agora, na zona rural de Santa Quitéria e, posteriormente, irá estruturar outra unidade na segunda etapa da ZPE. Hoje, a Thor Granitos exporta entre 450 e 550 contêineres de granito brasileiro.

Hoje, aproximadamente 45 empresas do Espírito Santo atuam no Ceará extraindo blocos de granito e quartzito, evidenciando o potencial do Estado. Por conta dos investimentos por parte dos empresariados, a região detém o segundo maior parque industrial nacional, o que pode consolidá-la como o terceiro mais importante pólo de rochas ornamentais do Brasil. “Apesar de não termos um número consolidado, podemos estimar que o mercado de empresas genuinamente cearenses, conservadoramente, comercializa através da sua capacidade produtiva atualmente instalada, algo como R$ 800 milhões anualmente”, completa Alencar.
As condições favoráveis para o desenvolvimento da indústria de rochas ornamentais tornaram o Ceará um grande representante nas exportações, a nível nacional. Dentre os fatores estão: a caracterização tecnológica das rochas encontradas em nosso território, a diversidade de rochas, a disponibilidade de reservas minerais, a infraestrutura adequada, o potencial de mercado e a localização privilegiada do estado, que o torna a fronteira mais importante de quartizitos de cor clara e o estado com uma das melhores logística de fretes marítimos internacionais.

Atualmente a região Nordeste responde por cerca de 26% da produção brasileira. Um dos responsáveis por essa relevância foi o incremento na produção de rochas exóticas e superexóticas (granitos e quartzitos) e de rochas carbonáticas (limestones) na chapada do Apodi (Ceará e Rio Grande do Norte)
O Ceará sempre esteve na vanguarda no que diz respeito à extração de Granito. O estado foi um dos primeiros a incrementar o uso das máquinas a fio diamantado, ainda no início dos anos 90. Da região, é extraído o granito mais reverenciado nas grandes obras realizadas no Brasil, reconhecido mundialmente como Branco Ceará. Empreendimentos como o novo terminal aeroportuário de Guarulhos, em São Paulo, e os shoppings RioMar Fortaleza e Recife, além do Shopping Iguatemi de Fortaleza, utilizaram esse granito.  Mensalmente, cerca de 4 mil m³ de granitos e quartzitos, com preço de comercialização em blocos brutos (entre USD 1 mil m³ e USD 2,5 mil m³), são levados do Ceará para a região sudeste, onde são beneficiados e transformados em chapas polidas na espessura de 3cm, seguindo para os Estados Unidos.
Atualmente, o Ceará tem inovado ainda mais em tecnologia para se tornar mais competitivo. Já estão sendo instalados na região (09) nove teares multifios, maior inovação no setor de rochas ornamentais, o que comprova o momento de investimentos pelo qual o setor está atravessando.

Novidades do evento -IBRO - Instituto Brasileiro da Rocha Ornamental

Dentro da programação da Brazil Stone Fair, acontece na tarde do dia 19 de Abril,  o 1º Fórum de discussão, com o tema: PENSANDO O SETOR EM 2068, realizado pelo IBRO - Instituto Brasileiro da Rocha Ornamental. Será uma discussão de especialistas sobre desafios e oportunidades para o ramo de pedra natural nos próximos 50 anos.

O IBRO foi criado no Ceará e atuará como um fórum permanente de avaliação e planejamento do setor, tendo um papel de formulador. Inicialmente será construído um mapa estratégico para que seja possível sistematizar os avanços.

           Para cumprir seus objetivos, o IBRO  terá um quadro de colaboradores, composto por técnicos e empresários, que pensem “fora da caixa” e com visão de futuro, mas estará muito atento ao presente, pois há lacunas enormes que exigem ação competente dos atores institucionalizados. Este ano, o 1º Fórum já tem presenças confirmadas do alemão PETER BECKER, uma das grandes cabeças mundiais do setor, Denilson Carvalho, um dos criadores do Centro Tecnológico do Mármore e Granito do Brasil, Miguel Frazão, um dos mais importantes empresários de Portugal, David Silveira, Vice-Presidente da WONASA (entidade mundial do setor), Tales Pena Machado, Presidente do Sindirochas-ES , dentre muitos outros empresários de renome mundial.

Fortaleza Brazil Stone Fair 2018

A Fortaleza Brazil Stone Fair chega a sua 4ª edição consolidando o sucesso dos anos anteriores. O evento, que vem crescendo junto com o setor, será realizado entre os dias 18 e 20 de Abril no Centro de Eventos do Ceará, no salão Almofala, e vai contar com o dobro de expositores. Na primeira edição foram 21 empresas expondo, este ano já são mais de 40 expositores. A feira é uma exposição internacional de mármores, granitos, quartzitos, limestones, pedras laminadas, máquinas, equipamentos e insumos para a cadeia produtiva das rochas ornamentais e de revestimento. Atualmente é um importante canal de divulgação no Brasil, no exterior e como geradora de um grande volume de negócios.

Um dos focos do projeto é a valorização das rochas naturais, motivo pelo qual está direcionado principalmente, aos profissionais de arquitetura, que são os responsáveis pelas especificações dos projetos. Além dos arquitetos, o evento também conta com a participação de marmoristas, atacadistas, distribuidores, importadores e exportadores de mármores e granitos, profissionais liberais que especificam e utilizam mármores e granitos em seus projetos e obras, construtoras, incorporadoras e empresas de engenharia, empresários e potenciais investidores no setor, estudantes de engenharia, arquitetura, geologia e de profissões técnicas relacionadas ao setor.

Promovida pelo Simagran-Ce , a Fortaleza Brazil Stone Fair tem investido forte na aproximação com os profissionais de arquitetura, de engenharia civil, pois são os grandes consumidores dos nossos produtos, através das obras civis. As construtoras -obras civis- consomem 85% do que é produzido no Estado e por isso o evento terá uma série de painéis dedicados a eles.


Serviço:

Fortaleza Brazil Stone Fair
18 a 20 de abril de 2018
Centro de Eventos do Ceará - Salão Almofala
www.fortalezabrazilstonefair.com

Nenhum comentário:

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.

Tecnologia do Blogger.