quarta-feira, 18 de abril de 2018

Estudantes de Fortaleza vão representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Linguística em Praga

Oito estudantes brasileiros do ensino médio, entre eles Brendon Diniz Borck e Catarina de Freitas Oliveira de Fortaleza, vão compor o time que representará o Brasil na Olimpíada Internacional de Linguística (IOL) entre 26 e 30 de julho na capital da República Tcheca. Os alunos foram selecionados no último fim de semana na terceira etapa da Olimpíada Brasileira de Linguística (OBL) que, pelo segundo ano consecutivo, conta com o apoio do Instituto Vertere em todas as etapas.
Não é a primeira vez que o Brasil marca participação na IOL. No ano passado, um grupo de quatro estudantes esteve em Dublin, na Irlanda. Na ocasião, Gustavo Palote da Silva Martins, de Londrina (PR), foi um dos destaques na competição e recebeu uma menção honrosa por se destacar na prova individual. Este ano ele repetiu a bom desempenho e vai para Praga também.
Abaixo, a lista dos classificados, que irão a Praga, com apoio do Instituto Vertere.
Ana Luiza Nunes - São Gotardo/MG
Artur Corrêa Souza - Porto Alegre/RS
Brendon Diniz Borck - Fortaleza/CE
Catarina de Freitas Oliveira - Fortaleza/CE
Gustavo Palote da Silva Martins - Londrina/PR
Jade Yarden Steinmetz - São Paulo - SP
João Henrique Oliveira Fontes - Rio de Janeiro/RJ
Pedro Marinho Rocha - Lauro de Freitas - BA

Olimpíada Brasileira de Linguística e Instituto Vertere
A primeira etapa da OBL aconteceu em setembro de 2017, via internet. Os estudantes fizeram o exame inicial por celular (ou computador), utilizando uma solução criada pelo Instituto Vertere. A utilização da aplicação, desde 2016, tem contribuído para ampliar o alcance Olimpíada. Em 2016, a OBL contou com 1464 inscritos; já na última edição, o número saltou para 5355 inscrições de 24 estados brasileiros.
A segunda fase foi realizada no formato presencial em outubro passado.  Além de auxiliar no contato com os polos de aplicação da prova, o Instituto Vertere forneceu todo o apoio logístico viabilizar a prova, deixando a organização da OBL focada na parte pedagógica.  
A terceira etapa foi concluída na semana passada em evento presencial, a Escola de Linguística de Outono, sediado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Durante uma semana 60 estudantes de 13 estados participaram de uma  intensa programação sobre o universo da Linguística, incluindo palestras, debates e provas olímpicas que elegeram os oito participantes para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Linguística (IOL). Os estudantes contaram com o Instituto Vertere para viabilizar a ida ao evento em São Carlos.
“As Olimpíadas de Conhecimento têm o poder de transformar o ambiente escolar. Longe de criar um clima competitivo, as Olimpíadas geram um estado de encantamento pela disciplina ao conduzir os alunos a uma experiência desafiadora, com uma pedagogia diferente da em sala de aula. A pedagogia baseada em problemas, aplicada nesse tipo de evento, permite que o aluno desenvolva autonomia e, consequentemente, resgate sua auto-estima” explica Daniel Lavouras, que compõe a direção do Instituto.

Instituto Vertere e as Olimpíadas
O Instituto Vertere é apoiador da OBLING desde 2015, atuando na captação de recursos e oferecendo soluções logísticas e tecnológicas. Um exemplo desse suporte é aplicativo da OBLING, que facilitou a participação de estudantes de todas as regiões. Graças ao suporte do app, a Olimpíada atingiu, este ano, 5.355 inscritos. Antes da implantação dessa solução, em 2016, foram apenas 626 inscritos.

Sobre a OBLING
A Olimpíada Brasileira de Linguística acontece desde 2011, envolvendo alunos do Ensino Médio de diferentes partes do país em torno de temas envolvendo línguas, linguagem, cultura e cognição. Cada ano ela recebe uma ênfase e um nome diferente: já foi Kytã, Noke Vana, Paraplü, Vina, Òkun, Ñanduti e em 2018, Mărgele, plural de mărgea, que quer dizer “miçanga” em romeno. http://www.obling.org/

Sobre o Instituto Vertere
O Instituto Vertere tem atuado como catalisador de pessoas, iniciativas, tecnologias e soluções no âmbito da educação e do conhecimento como forma de impactar positivamente a educação no país. O objetivo é conectar professores e alunos, a curiosidade ao saber, a escola ao mundo. A principal causa apoiada pelo Instituto são as Olimpíadas de Conhecimento e Científicas.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.