MPF e instituições parceiras implementam projeto de acessibilidade ao esporte

Projeto piloto leva pessoas com deficiência visual a estádio para assistirem a partidas de futebol

O projeto piloto Esporte Acessível, realizado pelo Ministério Público Federal (MPF) e mais 12 instituições públicas e privadas, está promovendo a inclusão de pessoas com deficiência visual - alunas ou assistidas pelo Instituto dos Cegos do Ceará -, nos jogos de futebol realizados no Estádio Castelão, em Fortaleza (CE).

Em termo de ajustamento de conduta firmado em 2017, com a Procuradoria Regional do Direitos do Cidadão (PRDC), órgão do MPF, as instituições se comprometeram a adotar medidas para garantir, além da ida daquelas pessoas cegas ao Castelão, também as ações para assegurar toda a estrutura que elas precisam para aproveitar ao máximo a experiência proporcionada pelo jogo.

Os primeiros beneficiados do projeto, cuja duração prevista é de um ano, assistiram ao jogo no domingo, dia 22, entre Ceará e São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. Contaram com transporte até a Arena Castelão, estacionamento em vaga reservada, acomodação em Camorote e receberam lanche. Todos usavam camisas do Ceará Sporting Clube, com seus respectivos nomes gravados em braile. Tiveram acesso ao gramado e chutaram bola ao gol, depois acompanharam toda a partida com serviço de áudio descrição – narração diferenciada que traduz a imagem visual de uma forma acessível às pessoas que de outro modo não teriam condições de acessar plenamente o evento.

A procuradora regional dos Direitos do Cidadão, Nilce Cunha, e o procurador da República Márcio Torres acompanharam o grupo durante todo o tempo do evento, constatando o efetivo cumprimento das condições firmadas no TAC. “Avalio de forma muito positiva o primeiro dia do projeto, pois foi muito gratificante ver a emoção e alegria de todos, jovens e adultos, participantes, e conferir que tudo correu bem, as instituições parceiras cumpriram fielmente com a parte que lhes cabia e assim obtivemos pleno sucesso”, afirma Nilce.

São parceiras do MPF no projeto: Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Cedef), Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para os Idosos e as Pessoas com Deficiência, Secretaria Estadual de Esporte, Secretaria Estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social, Ceará Sporting Clube, Fortaleza Esporte Clube, Arena Castelão Operadora de Estádios S/A, Sociedade de Assistência aos Cegos (Instituto dos Cegos), Unimed Fortaleza Sociedade Cooperativa Médica Ltda e Federação Cearense de Futebol.

Nenhum comentário:

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.

Tecnologia do Blogger.