quarta-feira, 2 de maio de 2018

Centec participa de diagnóstico sobre a tilapicultura brasileira


O Instituto Centec, por meio de cooperação técnica com a Embrapa Pesca e Aquicultura, participou de quatro publicações que traçam um diagnóstico sobre a cultura da tilápia no Brasil. A coordenadora da área de pós-graduação e pesquisa do Centec, Elda Tahim, foi a responsável pelo acompanhamento e colaboração na pesquisa de campo e elaboração do diagnóstico da tilapicultura cearense. Tahim já faz parte da instituição há 21 anos, é engenheira de Pesca e doutora em Economia.

A pesquisa conjunta resultou na publicação de dois livros e dois documentos sobre o tema. Os livros foram disponibilizados ao público no início deste ano: “Dimensão socioeconômica da tilapicultura no Brasil” e “Diagnóstico da cadeia de valor da tilapicultura no Brasil”. Os documentos foram finalizados em 2015: “Gerenciamento genético da tilápia nos cultivos comerciais” e “A importância da organização da cadeia de valor da tilápia na gestão da crise hídrica”.

Segundo Tahim, a coleta dos dados ocorreu durante todo o ano de 2015 com os produtores da região dos açudes Orós e Castanhão, os dois maiores polos de produção de tilápia do Ceará. Também fazem parte das publicações, a Universidade Estadual da Bahia (UENB), Universidade Estadual Paulista (UNESP), a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Santa Catarina (EPAGRI), a Ematerce do Paraná e Coordenadoria de Assistência Técnica Integral de São Paulo.

 “Estas produções já foram avaliadas por diversos pesquisadores como de grande importância para a área, pois realizamos uma extensa pesquisa de campo mostrando a realidade da produção de tilápia no Brasil. O Centec participa da Câmara Setorial da Tilapicultura e essa é uma grande contribuição da nossa instituição para as pesquisas neste setor e para o Estado. Estamos firmando um novo acordo de cooperação, desta vez com a Embrapa Algodão, para desenvolver pesquisar na Fatec Sertão Central, em Quixeramobim”, informa a pesquisadora do Centec. Todos os livros encontram-se disponíveis à comunidade científica para download:

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.