Igreja do Carmo recebe relíquias de são João Maria Vianney nesta sexta-feira


Cálice-relíquia e pedaço do coração estarão expostos durante todas a tarde ao público em geral.
Sexta-feira, 8 de junho, é comemorado na Igreja o sagrado Coração de Jesus e o dia mundial de oração pelos sacerdotes. Nesta data, a Igreja do Carmo, localizada no centro de Fortaleza, estará recebendo, direto da cidade de Ars, na França,  relíquias de São João Maria Vianney, patrono de todos os padres.
“Com imensa alegria vamos receber em nossa paróquia o cálice-relíquia de São João Maria Vianney e um pedaço de seu coração que ficarão expostos  durante a Tarde da Misericórdia aberto ao público em geral”, explica padre Douglimar Lucena, membro da Comunidade Shalom,  vigário da Igreja do Carmo.
As relíquias estão percorrendo algumas cidades do Brasil sob os cuidados do reitor da Basílica de Ars, Pe. Patrice Chocholski. O acontecimento se deve à comemoração do bicentenário da chegada de São João Maria Vianney à pequena cidade de Ars.
Na madrugada de quinta para sexta, as relíquias estarão expostas na vigília perpétua de adoração ao Santíssimo Sacramento na Diaconia Geral, sede do Governo Geral da Comunidade Shalom localizada em Aquiraz. Na manhã de sexta serão conduzidas para o encontro privativo dos padres da Arquidiocese de Fortaleza.
 A igreja do Carmo está situada  na avenida Duque de Caxias, sem número, no centro de Fortaleza. A Paróquia é administrada por padres da Comunidade Shalom.
Confira a programação da Tarde da Misericórdia
15h - Chegada das relíquias.
15h10 – Recitação do Terço da Misericórdia e intercessão por todos os sacerdotes.
15h45 -  Palavra do Pe. Patrice, Reitor da Basílica de Ars.
16h00 -  Benção do Santíssimo Sacramento.
17h -  Santa  Missa
Mais sobre são João Maria Vianney
Padre João Maria Vianney fazia suas próprias refeições e os serviços domésticos. Vivia em oração. Alimentava-se pouco, dormia apenas três horas por dia para dar conta de toda atividade que tinha como vigário. Dedicava tempo para socorrer os pobres em suas necessidades, fazendo todo o possível por eles. Quando recebeu herança por parte de seu pai, gastou tudo com os pobres. As almas aflitas encontravam em suas orientações o norte, a esperança e o consolo.
A fama dos dons e da santidade do Cura D’Ars se espalhou pela Europa. Por isso, muitos viajavam de longe para Ars a fim de ver o cura e confessarem-se com ele. Para isso, estavam dispostos a esperarem horas ou dias inteiros. Assim, o pequeno vilarejo de Ars tornou-se um grande centro de peregrinações. Com isso, o vilarejo, que não tinha possibilidades de atender tanta gente, teve que ir se transformando para atender a demanda da nova realidade. Os antigos donos de taberna passaram a ganhar a vida transformando suas tabernas em hospedarias e, depois, em hotéis. E Ars se tornou numa cidade por causa do Pe. João Maria Vianney.

Sem descansar um dia sequer, Santo Cura D’Ars faleceu serenamente, consumido pelo cansaço. Era o dia 4 de agosto de 1859 e ele tinha setenta e três anos. Mesmo em vida, era tido como santo por todos. Após sua morte, passou a ser venerado por todos e seu túmulo virou centro de peregrinação. Por causa dos trâmites relativos à sua beatificação seu corpo teve que ser exumado. Para surpresa geral, foi encontrado incorrupto e hoje pode ser visto na igreja de Ars, que hoje é um famoso centro de peregrinação na Europa. Sào joão Maria Vianney foi canonizado pelo papa Pio XI, no ano 1925. Foi proclamado padroeiro dos sacerdotes e no dia de sua festa passou a ser celebrado o Dia do Padre.

Nenhum comentário:

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.

Tecnologia do Blogger.