domingo, 22 de julho de 2018

Morre o jornalista José Rangel

José Rangel (Foto: Reprodução)


O jornalismo cearense perde José Rangel.

O colunista social morreu hoje, aos 72 anos, na Gastroclínica vítima de parada cardíaca.

José Rangel se internou na Gastroclínica há 15 dias para tratamento de uma pneumonia, provocada por problemas renais.

Rangel foi colunista social de O Povo, O Estado, Tribuna do Ceará, TV Diário, TV Verdes Mares, assessor do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e mantinha ultimamente um blog de notícias "José Rangel Conta".

José Rangel passou 30 anos no O Povo chegando a editor de Política e de Internacional, além de manter uma coluna diária de sociedade.

O presidente do Congresso Nacional, senador cearense Eunício Oliveira (MDB) escreveu sobre José Rangel:

"Com profunda tristeza, recebo a notícia de falecimento do jornalista José Rangel, uma das mais competentes e respeitadas vozes da comunicação cearense. 

Ao tempo em que envio minhas condolências aos familiares e amigos, destaco que a memória de José Rangel ficará marcada para sempre como um farol a ser seguido pelas próximas gerações de comunicadores.

Tendo atuado nos principais veículos do Estado, notadamente nas áreas de política, economia, internacional e sociedade, José Rangel deixa o exemplo de um profissional ético, apaixonado pela informação e compromissado com seu público".

O jornalista Antônio Viana lamentou a morte de José Rangel:

"Tomei conhecimento há poucos instantes do falecimento hoje em Fortaleza, do colunista social e ex-apresentador de programas em rádio e televisão, José Rangel. Há cerca de duas semanas sofreu problema de saúde e precisou internar-se para cumprir tratamento e hoje veio a falecer após parada cardíaca. Nossos sentidos pêsames à família enlatada. Zé Rangel foi nosso colega nos tempos de O Povo e mais recentemente no O Estado e na cobertura do dia a dia dos trabalhos na Assembleia Legislativa do Ceará".

A presidente do Sindicato dos Jornalistas do Ceará, Samira Castro, disse "que notícia triste! Meus sentimentos aos familiares e amigos do querido José Rangel".

O jornalista Celso Gondim destaca José Rangel: 

"Era pequeno quando via na TV Verdes Mares o pequeno programa - quase um spot - todo dia, antes do Jornal do Dez, "Sociedade com José Rangel", sempre encerrado com o bordão "em sociedade tudo se sabe"... Anos depois o tive como colega de profissão... Boa cepa, papo agradável - na maioria das vezes em francês -, tranquilo, calmo... Vá em paz... Merci pour tout, mon collegue journaliste... À quelque jour... Tu me manques..."

O radialista Cláudio Teran escreveu:

"Eu não queria ser o porta-voz da notícia do falecimento das pessoas, mas isso tem acontecido com frequência maior do que eu gostaria. Neste sábado encerrou-se o tempo do amigo jornalista José Rangel.

Ele faleceu nesta tarde (21) na Gastroclínica.

Segundo informações de familiares, foi internado para tratar problemas renais e uma pneumonia.

Aos 72 anos, estava em plena atividade. E foi um grande cronista do cotidiano no colunismo social. E na cobertura dos mais diversos eventos.

Passou pelo Centre de Formation et Perfectionnement des Journalistes (Paris) e resgatou o colunismo social na TV, na estréia da TV Diário (1998).

Zé Rangel, como a gente o chamava, era a mais perfeita tradução de um cavalheiro. Gentil, educado, bom papo, e detentor de uma leveza que dava a impressão por vezes que flutuava.

Quando eu dizia isso a ele, nos nossos seguidos encontros e papos pelos corredores da Assembleia ele rebatia: "cada qual com sua carga, a diferença e saber remar o peso do barco".

Um de meus papos mais frequentes com o Zé era sobre as mudanças na imprensa e na forma de abordagem das coisas. Ele migrou rápido para a
assessoria e as mídias on line, e dizia com certo orgulho que "o desafio para um veterano como eu é se manter contemporâneo e relevante", ao
que eu replicava que era desafio nosso.

O último encontro que tivemos foi há duas ou três semanas cobrindo o Plenário da Assembleia  Legislativa. Ele me pareceu muito bem.

Vou guardar do Zé Rangel aquele sorriso suave dele, os bons modos e o bom gosto. Era um cara viajado, atento, centrado e um disciplinado nas
técnicas do jornalismo, portando sempre um bloquinho de notas como nos velhos tempos, "mas armado do smart digital", dizia.

Fica a esposa, Zeneida Rangel e três filhos, e em nós uma saudade imensa..."


A última postagem de José Rangel no blog foi em quatro de julho passado com o título: "Deputado propõe 'Tribuna Livre' às sextas-feiras"

José Rangel entre os colunistas Pompeu Vasconcelos, Lêda Maria e Vicente de Alencar e do capitão dos portos do Ceará, Madson Santana durante almoço na Capitania dos Portos em quatro de julho passado (foto LC Moreira-Balada In)
O velório de José Rangel acontecerá, na Funerária Ternura, hoje (22) com missa de corpo presente, às dez da manhã.

Fonte: Blog do Lauriberto Braga

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.