Pular para o conteúdo principal

DCE Unifor debate a presença de LGBTs nas eleições


O quadro político LGBT na disputa institucional brasileira muda lentamente. Um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) revela que 377 LGBTs concorreram nas eleições municipais de 2016. 

Trata-se do maior número de concorrentes desde que a organização começou a realizar a pesquisa. 

Destes, 25 vereadores e um prefeito foram eleitos. Se por um lado houve aumento do número de candidatos, diminuíram os vitoriosos. Em 2012, 110 participaram e 29 se elegeram. 

Pensando nisto, o Diretório Central de Estudantes (DCE) da Universidade de Fortaleza (Unifor), realiza nesta terça-feira (25), um debate sobre a presença de LGBTs nas eleições 2018. 

"Os tempos não são dos melhores, mas se não reagirmos o amanhã poderá ser ainda pior", diz comunicado do Diretório.

 A mesa será uma introdução à 4ª edição do Simpósio LGBT Unifor, organizado pelos estudantes da instituição, evento que acontece no próximo mês de novembro. 

Como acontece no simpósio, grandes nomes que pesquisam e discutem o assunto, estarão presentes.

 Participam do debate: Germanal Amaral, presidenta da União da Juventude Socialista do Ceará; Silvia Cavalleire, vice-presidente da União Nacional LGBT; Helena Vieira, escritora e transfeminista; Erika, estilista; Ari Areia, ator e jornalista e Ítalo Alves, Mestre em Relações Internacionais e cofundador da startup Todxs. 

Serviço
LGBTs no Poder
Data: 25/9 (terça-feira)
Horário: 9h
Local: Teatro Celina Queiroz- Unifor (Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…