#audioinclui

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

*Reajuste para aposentados que ganham mais de um salário mínimo será de 3,43%; valor será maior que no ano passado*



O reajuste salarial para aposentados e pensionistas do INSS que ganham acima de um salário mínimo será de 3,43% neste ano. O número é maior que o registrado no ano passado, de 2,07%. O índice usado para reajustar os valores foi divulgado na tarde desta sexta-feira (11), pelo IBGE, responsável pelo calculo do INPC (referência para o reajuste dos benefícios previdenciários). Os novos valores já caem na conta dos beneficiários na folha de janeiro.

Como fonte desta matéria sugerimos o contador e consultor Marcos Sá. Ele pode explanar sobre os impactos na prática desse reajuste, se serão favoráveis ou desfavoráveis. Além de explicar qual a possível diferença no novo valor.

“Esse reajuste representa um aumento entre cerca de R$ 68 e R$ 69 reais. O que significa que uma pessoa que ganha mensalmente o valor de R$ 2.000 vai passar a ganhar 2.068,60”, explica.

*Sustento da casa*

Uma pesquisa feita pelo Banco Bradesco, no segundo semestre do ano passado, revelou que 80% dos idosos brasileiros são os responsáveis por grande parcela de contribuição nos lares em que vivem. Em contra partida, o número de pessoas que vivem sustentadas por parentes ficou em 19% do total de 2 mil entrevistados.

O levantamento Longevidade Brasil entrevistou pessoas das classes A, B e C em seis cidades do país. Neste sentido, podemos também conseguir um personagem que seja responsável pelas despesas da casa ou que morem sozinho. Ainda de acordo com Marcos Sá, com a expectativa de vida aumentando é normal que cenários como esses de sustento concentrado em uma pessoa de idade mais elevada seja comum.

“O brasileiro está vivendo mais e muitos idosos preferem a liberdade que sempre tiveram em suas vidas do que se manter sustentado por familiares. É uma prática que pode inclusive estimular na responsabilidade financeiro das pessoas, que mesmo com os anos passando continua vendo necessária a necessidade de economizar”, avalia.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.