Pular para o conteúdo principal

*Casa de Bomba no cais comercial do Porto de Fortaleza é reformada*



_A tubulação de combate a incêndio mede 1.650 metros_

As medidas preventivas têm sido prioridade na gestão da Companhia Docas do Ceará. Mesmo sem ocorrência há mais de uma década, a reforma da Casa de Bomba no cais comercial do Porto de Fortaleza incluiu reparos nas bombas jocker (responsável pela pressurização do sistema), elétrica (vazão e pressão) e diesel (aumenta a pressão e vazão da água); recuperação do quadro de comando; e correção de algumas imperfeições na tubulação – além da limpeza – (numa extensão de 1.650 metros). O trabalho, que durou 30 dias, foi executado pela própria equipe especializada do porto, sob a supervisão de dois engenheiros.

A segunda Casa de Bomba, localizada na área do píer petroleiro, também passará por reforma no próximo mês de setembro. Nesta outra unidade, que conta com duas bombas elétricas, uma jocker e uma diesel e atende uma extensão de 300 metros via tubulação subterrânea, também não há registro de sinistro há mais de 10 anos. Ao todo, o Porto de Fortaleza dispõe de 30 hidrantes distribuídos em pontos estratégicos da área operacional, dos quais 20 ficam localizados no cais comercial.

Segundo explicou o diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária, Miguel Andrade, a manutenção, reparos e reformas que estão sendo realizadas na área operacional visam dar mais segurança aos trabalhadores, clientes e colaboradores do Porto de Fortaleza que circulam pelo local. E um dos projetos que avança na infraestrutura é a ampliação da tubulação de combate a incêndio no cais comercial em mais 400 metros.

“A reforma do sistema de combate a incêndio do porto é uma continuidade do processo de modernização e melhorias que a nova administração vem implementando. Dessa forma, as operações, os colaboradores, clientes e usuários ficam mais seguros e confiantes”

Miguel Andrade (diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária)

Cabe ressaltar que o Porto de Fortaleza vem recebendo atenção especial também na substituição de lâmpadas fluorescentes por LED; modernização das instalações elétricas do píer petroleiro; ampliação do sistema de proteção contra descarga atmosférica; ampliação do sistema de detecção de incêndio; modernização da balança rodoferroviária; modernização do sistema de pressurização das subestações; substituição da linha de abastecimento de água do píer petroleiro e a construção de uma nova oficina para manutenção mecânica.

A diretoria da CDC também priorizou a reforma do parque de tomadas reefer; obra no berço 106 para fuga de material; manutenção corretiva nos armazéns; modificação dos procedimentos de abastecimento dentro do Porto de Fortaleza; manutenção nas torres de iluminação; requalificação da área do Corpo de Bombeiros; reparo nas defensas; e o projeto de reestruturação do pátio de contêineres.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…