Pular para o conteúdo principal

Mulher obtém na Justiça direito à fertilização pelo SUS, mas terá que fazer o procedimento em outro Estado

 O desejo de gerar um filho pode ser um desafio para mulheres e homens com diagnóstico de infertilidade ou com dificuldades para obter gravidez de modo natural e que precisem de assistência mas não possuem recursos. Isso porque uma das técnicas utilizadas, a chamada Fertilização in Vitro (FIV), não é feita pelo Sistema Único de Saúde no Ceará. Para obter este tipo de tratamento, somente entrando na justiça e com disponibilidade para deslocamentos para outros estados do Nordeste.  

A notícia veio como uma bomba para a auxiliar de escritório Paula da Costa, de 29 anos, diagnosticada com problemas de infertilidade de origem tubária. A doença impede a gravidez em consequência de algum fator incidente sobre tubos ligados aos ovários e ao útero. Ela, que sempre sonhou em ser mãe, descobriu que a sua única opção de tratamento seria a Fertilização in Vitro (FIV). Pela FIV, a reprodução é assistida, acontecendo a fecundação dentro de laboratório, com o embrião posteriormente transferido para o útero da mãe.

Sem condições de arcar com as despesas do procedimento, que são bastante elevadas, Paula decidiu lutar pelo direito e buscou o Núcleo de Defesa da Saúde da Defensoria Pública (Nudesa) munida de toda a documentação da sua necessidade e diagnóstico com vistas a tentar o custeio da intervenção através do poder público. A ação foi proposta pela defensora Glaiseane Porto.

O processo foi longo. Em setembro de 2019Paula obteve a sonhada decisão judicial. Mas outro susto. Teria que se deslocar para o Rio Grande do Norte para realizar o tratamento. Além disso, a pandemia pegou todos de surpresa e as sinalizações de como proceder, vindas da Secretaria da Saúde do Estado, demoraram e ainda seguem sem muita clareza, como explica o defensor titular da 4ª Defensoria da Fazenda Pública, Fábio Palácio, que acompanha o caso. “Está uma coisa muito solta ainda. O Estado vai custear o tratamento completo dela? O deslocamento dela? Como é lá no Rio Grande do Norte? Ela vai entrar numa fila? Como é essa fila? Quais são os critérios? Paula tem uma decisão judicial favorável, mas precisamos entender como o Estado vai cumprir todos os momentos do tratamento”, destaca. Para ele, a falta do procedimento de Fertilização in Vitro no Estado dificulta a vida de quem precisa do SUS para se tornar mãe.

Para sanar as dúvidas, Paula foi à Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) entregar exames atualizados e outros documentos necessários para conseguir a liberação das passagens que possibilitará sua ida ao Rio Grande do Norte. Enquanto o dia da viagem não é marcado, a auxiliar de escritório aguarda ansiosamente para conseguir dar mais um passo rumo ao sonho de ser mãe.

“Foi difícil conseguir o direito de realizar o tratamento. Procurei a Defensoria, a qual me deu assistência. A dificuldade aumentou devido ao procedimento não ser feito no SUS (Sistema Único de Saúde) do Ceará. Como eu desejo ter uma família, estamos dispostos, eu e meu marido, a enfrentar. Tenho fé em Deus que tudo dará certo! Agilizei toda a documentação para fazer a ficha de inscrição e dar início”, diz.

O tratamento FIV não está incluído na tabela de procedimentos cobertos pelo SUS. Ainda que alguns hospitais públicos ofereçam o serviço, são poucos com gratuidade total. A maioria cobra valores referentes a despesas como medicamentos e/ou procedimentos. Embora o procedimento não faça parte da tabela do SUS, os hospitais recebem repasses da União para Fertilização in Vitro, mas no Ceará o procedimento só é feito em clínicas particulares. O único serviço disponibilizado gratuitamente é para descobrir se a(s) pessoa(s) interessada(s) são acometidas de alguma disfunção.

Para conseguir este tipo de tratamento, somente uma medida judicial. A supervisora do Núcleo de Defesa da Saúde (Nudesa), Yamara Lavour, reforça o direito à saúde plena como constitucional, cabendo a qualquer mulher que decidir pelo procedimento, entrar na justiça para assegurar este direito. “É nesse sentido que a Defensoria Pública, através do Núcleo de Defesa da Saúde, atua na assistência integral e gratuita à população vulnerável visando a promoção e defesa do direito à saúde em casos de omissão ou serviço de saúde prestado de forma deficitária. Os tratamentos de reprodução assistida são demasiadamente caros, não estando ao alcance da maioria da população, e o sonho e direito à maternidade/paternidade não pode ser tolhido pela ausência de recursos financeiros.”, declara a defensora pública.

 

SERVIÇO

NÚCLEO DE DEFESA DA SAÚDE – NUDESA

Celular: (85) 98895-5436 

(Demandas de saúde em geral) (85) 9 8433-0004 (Exclusivo para demandas de vaga em leito de UTI, transferência hospitalar e pacientes oncológicos. 

Ligação e whatsapp (somente por mensagem)). 08h às 12h e de 13h às 16

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Irmão do prefeito de Caucaia e candidato a reeleição, Naumi Amorim, teria sido preso suspeito de crime eleitoral com grande quantidade de dinheiro. Polícia Federal não confirma prisão

 A abordagem foi realizada pela Polícia Civil e por se tratar de possível ilícito eleitoral. Ele teria sido encaminhado para a Polícia Federal juntamente com três secretários da Prefeitura. Além do dinheiro, cerca de 1 milhão de reais, foram apreendidos “Livros-caixas” da contabilidade. Por enquanto não foi confirmada a prisão pela Polícia Federal. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, se foi para a PF, tem todo um procedimento de formalidades, desde ouvir o conduzido, testemunhas, analise do que foi apreendido etc. A PF não informa nome de pessoas. O site Ceará é Notícia entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do candidato a fim de saber se o mesmo vai se manifestar. 

Boletim de saúde sobre Normando Sóracles

 Boletim manhã 05/12 Normando Soracles segue internado na UTI do hospital São Camilo em Fortaleza onde deu entrada na noite do dia 01/12. Encontra-se sedado, se mantendo clinicamente estável após intubação orotraqueal realizada na manhã do dia 03/12. Apresentou melhora significativa do quadro respiratório e dos exames laboratoriais em comparação ao dia anterior. Mantendo-se sem febre e sem leucocitose. Vem respondendo satisfatoriamente a pronação (técnica que consiste em alternar a posição de deitada) mais conhecida como "posição do nadador". Novos exame serão realizados ao fim desta tarde.   Seguimos cada vez mais confiantes na sua plena recuperação. Tendo a convicção plena que Deus é conosco!