quarta-feira, 31 de maio de 2017

Exército apresenta na AL dados da Operação Carro-Pipa no Ceará


O comandante da 10ª Região Militar, general Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, fez, durante o segundo expediente da sessão plenária desta terça-feira (30/05), uma explanação sobre o funcionamento da Operação Carro-Pipa no Ceará.



A visita atendeu a convite do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Zezinho Albuquerque (PDT). O parlamentar enalteceu o trabalho da instituição e defendeu que o Exército Brasileiro assuma as obras da transposição do rio São Francisco e conclua o trecho que vai trazer água ao Ceará.

“Queremos que a água chegue, como chegou à Paraíba e a Pernambuco”, solicitou. Na avaliação do parlamentar, o Exército poderia concluir o projeto mais rápido que as empreiteiras.

Segundo o general, a corporação teria condições de assumir as obras, desde que fosse autorizado pelo Governo Federal. O militar explicou ainda como a Operação Carro-Pipa é organizada no Ceará e como é feita a fiscalização do trabalho dos pipeiros – responsáveis pelo transporte da água.

O general Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira informou que a operação contempla 88 municípios cearenses, atendendo a cerca de 600 mil habitantes. “Isso muda a cada mês, de acordo com a estiagem”, comentou. Há ainda 1.229 pipeiros prestando o serviço. “É uma operação complexa e integrada”, enfatizou. Ele ressaltou que o planejamento da operação cabe ao Ministério da Integração Nacional.

Além disso, esclareceu sobre o atraso no pagamento dos profissionais – queixa apresentada durante audiência pública realizada na AL na segunda-feira (29/05).

 “Para fazer o pagamento, temos que ter a prestação de contas, e o pipeiro tem que fazer de acordo com as ‘carradas’ comprovadas”, esclareceu o general.

O coronel Claudemir Rangel, chefe do Escritório da Operação Carro-Pipa, afirmou que a operação tem que prestar apoio prioritário às populações rurais, podendo, em casos excepcionais, atuar nas sedes dos municípios – para abastecer escolas e hospitais, por exemplo.

O valor final recebido pelos profissionais leva em conta diversos fatores, como distância percorrida, quantidade de viagem e as vias utilizadas no transporte.

Claudemir Rangel informou ainda que, no Nordeste, são atendidos 874 municípios, beneficiando 3,9 milhões de pessoas. No total, são 29 organizações militares responsáveis pela distribuição e 23 mil carros-pipas contratados. “Em um dia, são 650 militares cumprindo essa nobre função de fiscalizar a Operação Carro-Pipa”, disse.

Os deputados Fernanda Pessoa (PR), Dra. Silvana (PMDB), Walter Cavalcante (PP), Roberto Mesquita (PSD), Carlos Felipe (PCdoB) e Manoel Duca (PDT) parabenizaram o trabalho desenvolvido pelo Exército Brasileiro no País.  

Além disso, Fernanda Pessoa solicitou que o Exército atue em Boa Viagem, pois a sede do município está há mais de 20 dias sem água. O general Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira explicou que a responsabilidade do Exército é de abastecer as áreas rurais, mas que a situação poderia ser avaliada.

Já o deputado Carlos Felipe pediu que fossem analisadas as queixas apresentadas pelos pipeiros na audiência, tais como: problemas com o sinal de telefonia para captação do GPS dos veículos; demora nos pagamentos e defasagem dos valores. Participou ainda do debate o chefe da Assessoria Parlamentar do Exército Brasileiro, coronel Luiz Benício.
Enviar

Deixe seu comentário: