terça-feira, 23 de maio de 2017

TJA recebe show em homenagem a Belchior apresentado pela banda Trovador Eletrônico, nesta quarta, 24/5


A apresentação conta com participações de Lídia Maria, Marcus Caffé e Quésia Carvalho.


Para reviver a poesia das canções de Belchior, o Theatro José de Alencar (TJA), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe o show "Sujeito de Sorte" da banda Trovador Eletrônico, nesta quarta-feira, 24/5, às 19h. Para a ocasião, o grupo sobralense selecionou as principais canções do álbum Alucinação e do disco "Coração selvagem", que completa 40 anos de lançamento em 2017. A apresentação conta com participações de Lídia Maria, Marcus Caffé e Quésia Carvalho. Os ingressos para o show custam R$20,00.

No espetáculo, o grupo que tocou no Theatro São João, em Sobral, durante o velório do cantor, compartilha algumas histórias que puderam ouvir no contato com Edna Araújo, com quem Belchior viveu quase que exclusivamente durante os últimos dez anos de vida. Segundo ela, as histórias sobre Sobral eram pauta cotidiana das conversas. Tanto que ela o chama carinhosamente de “um menino de Sobral”.

O show também contará com a participação de músicos de renome no Estado. Entre os confirmados estão Lídia Maria, Quésia Carvalho e Marcus Caffé. “Estamos esperando confirmação de outros músicos e, por isso, ainda não podemos divulgar”, diz Simone Passos, produtora da banda. Os músicos convidados além de cantarem uma canção, contarão um pouco da sua relação com Belchior e a música que escolheram pra cantar.


Belchior conferiu o som do grupo

Há mais de 1 ano, o grupo Trovador Eletrônico faz show e homenagens a Belchior e aguardava o dia em que pudessem ter o contato com o ídolo. Uma grande surpresa foi revelada no velório, em conversa do vocalista Léo Mackellene, com a viúva do cantor e compositor, Edna Araújo. 

"Quando fomos ao velório do Bel, a mulher dele nos reconheceu, ‘Vocês são aqueles rapazes daquele grupo Trovador Eletrônico?’. E nos contou que o Belchior nos acompanhou todo esse tempo via youtube, dando detalhes disso: de que ele ligava o computador na televisão da sala e ficava assistindo", revelou Mackellene. 


"'Na primeira vez em que ele assistiu’, disse ela, ‘ele se emocionou muito. Chorou. E, apertando minha mão, disse ‘Valeu a pena!’. Sim! Nós também somos sujeitos de sorte!”, reconhece Léo.

“Desde quando eu soube disso, não soube como reagir. Ainda não sei. Está além da minha compreensão e vai permanecer assim por um bom tempo. Eu só lembrei das conversas com o Anderson (tecladista da banda) em que ele dizia que o sonho dele era que o Belchior soubesse ou visse a gente um dia. E soube, viu, gostou. Ficou feliz. Pra um fã como eu e o resto da banda, nenhuma palavra vai exprimir o que sentimos e vamos continuar sentindo”, comenta João Marcos (baixista), que no dia da morte de Belchior, estava tocando no festival Maloca Dragão, com sua outra banda, a "Freud explica?".

A homenagem em Sobral

Na noite do dia 6 de maio, a banda Trovador Eletrônico, fãs e outros artistas locais, com apoio da Secretaria de Cultura do Município de Sobral e da Escola de Artes e Ofícios (ECOA), organizaram uma homenagem póstuma ao cantor no palco do Theatro São João, seu palco de estreia, do qual fizeram parte músicos de Sobral (Edu Asaf, Kelly Brasil, Quésia Carvalho, Iago Brasil, o grupo 7 meninas, o coral Vozes de Sobral, regido pelo maestro Brasil, ex-diretor da Escola de Música, o coral infantil da Escola de Música, sob a regência de Layane Rodrigues, a banda Procurando Kalu, que ano passado foi destaque na Feira da Música, em Fortaleza) e de Fortaleza (os cantores Daniel Peixoto, Daniel Groove, Ilya Borges, Nayra Costa, Lorena Nunes, Marcus Caffé, Humberto Pinho, Lídia Maria e os instrumentistas Claudinho Mendes, Tauí Castro, Alex Ramon, Marinho, além dos produtores Márcio Caetano, Ivan Ferraro), todos tendo como banda-base a Trovador Eletrônico, anfitriã do evento, com participação especial do baterista Erasmo Silveira, da banda sobralense Casa de Conveniência e Pharmácia (CCP). 

Além dos músicos, a homenagem ainda contou com a exposição de fotografias do fotógrafo jornalístico Alex Costa, que cobriu todo o velório do cantor Belchior. Além dos poetas Rogênio Martins e Luís Pará, que recitaram a letra da canção Divina Comédia Humana.

A homenagem póstuma teve recorde de público – mais de 400 pessoas num teatro com capacidade para 300 (incluindo cadeiras extras) – e teve duração de quase duas horas. “A plateia se emocionou, cantou junto em vários momentos, chorou, riu das histórias contadas no palco”, comentou Xauí Peixoto, um dos organizadores do evento. “Tem momentos na vida que são difíceis de explicar, narrar. Sábado, em Sobral, foi um desses. [...] Só posso dizer que sou grata por ter vivido essa experiência.”, postou Lorena Nunes no seu perfil na rede social Instagram.

Serviço
Show "Sujeito de Sorte", com a banda Trovador Eletrônico
Participações de Lídia Maria, Marcus Caffé e Quésia Carvalho.
Quarta-feira, dia 24 de maio, às 19h
No palco principal do Theatro José de Alencar (Rua Liberato Barroso, 525 - Praça José de Alencar - Centro)
Ingressos: R$ 20,00
Enviar

Deixe seu comentário: