quarta-feira, 7 de junho de 2017

Cia de Dança do BCAD estreia “O Quinze” no Cine Teatro São Luiz, durante a abertura do FENDAFOR 2017




Com direção de Jane Ruth, o novo espetáculos da ONG Bailarinos de Cristo, Amor e Doações é inspirada na célebre obra da literatura brasileira escrita pela cearense Rachel de Queiroz.

A Cia de Dança do BCAD – Bailarinos de Cristo, Amor e Doações, existe desde 1991 e tem participado de importantes eventos no Ceará, no Brasil e no exterior, levando formação e realizando apresentações como convidada em renomados Festivais, graças ao trabalho incansável da equipe de criação, à garra dos nossos bailarinos e ao impecável trabalho . O BCAD tem alcançado enorme destaque trazendo para o Brasil e o Ceará importantes prêmios (250 No Total) e o reconhecimento do público e da crítica pelo seu trabalho.

Por último a Companhia por três anos ficou em cartaz com o espetáculo NEURA, em cidades cearenses, capitais brasileiras e no exterior e recebeu mais de 15 prêmios. A Cia de Dança agora estréia uma nova obra intitulado em “O QUINZE,  A Escassez da Alma”, a obra foi coreografada por Gleidson Vigne – Carioca, Diretor da Nimo Cia de Dança do RJ, foi bailarino do Quasar Cia. de Dança, do Ballet da Cidade de São Paulo e Débora Colker. O Ballet foi pensado e idealizado, bem como pesquisado pela Professora Janne Ruth, com o apoio dos bailarinos da Companhia de Dança, textos e laboratórios também de Janne Ruth, Ruth Arielle, Felipe Souza , Atenita Kaira e Gleidson Vigner, com a Direção Geral de Janne Ruth, que completa esse ano 51 amos de Dança.
Release da próxima Obra da Companhia de Dança “O QUINZE”.


Escassez, seca, falta, solidão... Uma destas palavras leva a outra como que numa simples continuidade. Não são estas características inerentes à própria humanidade? Parece um corredor que todos os seres percorrem como que por uma necessidade. Podem-se definir estas características apenas por acontecimentos meramente físicos ou externos? O que é uma seca senão algo que primeiramente ocorre dentro dos homens? O ser humano é constituído e, ao mesmo tempo, constitui uma teia extensiva e intensiva de relações, problemáticas e questões. De tal forma que já não sabemos onde a seca, a tristeza ou a solidão começam, qual vem primeiro, se vem de dentro ou de fora, não sabemos nem ao certo se existe essa divisão entre dentro ou fora. Uma seca começa no nordeste brasileiro e todo o país, em questão de segundos de transmissão pela frágil, mas, paradoxalmente, poderosa fibra ótica, está não só informado, mas também profundamente afetado. É neste ínterim, na incapacidade de definir a escassez na modernidade, propõem-se momentos de contraponto dessas questões através da arte. A seca, nos dias de hoje, não é mais um fenômeno do sertão. Não é mais somente um fenômeno que tornava o sertanejo triste porque não teria seus dias de colheita e/ou fartura. Parece que o sertanejo já está triste... Parece que a seca alcançou a área urbana. Parece que quando a natureza chora o homem já chorou antes. O que falta e o que realmente está escasso? É neste entrecruzamento da seca do sertão e urbana, interna e externa, da natureza e do coração que não sabemos mais o que tem sustentado a subjetividade na modernidade. Terminamos este texto com uma frase do cantor e artista Oswaldo Montenegro: “Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba”.


A CIA DE DANÇA JANNE RUTH ESTREIOU O ESPETACULO O QUINZE, DURANTE O FESTIVAL DO CONSELHO BRASILEIRO DA DANÇA – CBDD DO RIO DE JANEIRO, EM ABRIL DE 2017, FOI ESPETACULAR ESSA APRESENTAÇÂO NO TEATRO LICEU – RJ E O PÙBLICOU VIBROU COM A PEFORMANSE  QUE FALA POETICAMENTO DOS 100 ANOS DE SECA NO NORDESTE BRASILEIRO.


O Espetáculo vai estrear no Ceará, na Abertura do 17ª FENDAFOR, no dia 27 de Junho, no Cine Teatro São Luis, ás 18h30min, juntamente com outras ilustres apresentações como os Primeiros Bailarinos do Teatro Municipal do Rio de Janeiro “ Cícero Gomes e Karen Mesquita, contaremos ainda com uma Performance do Bailarino Cearense, radicado na Suíça Marcos Bento e a Pulsar Cia. de dança do Maranhão que vai apresentar o espetáculo Tão Simples Assim.
O Espetáculo o Quinze vai realizar temporada ainda no Teatr José de Alencar nos Dias 2 e 3 de Agosto, abre ainda o II Festival do CBDD Fortaleza dia 15 de Setembro, a convite da Presidente do Conselho Gisela Vaz e em seguida começa sua circulação por Vitória do Espirito Santo, Recife e Porto Alegre.


Quanto a Circulação; Essa circulação é relevante pelo conhecimento e plasticidade que oferecemos, tanto com as apresentações, rodas de conversas, cursos, como as ações que programamos com vistas à formação de platéia. Conhecemos ainda o desnível natural entre as condições de infra-estrutura técnica, financeira e artística de grupos do eixo Rio/SP e de um grupo cearense que conjuga suas atividades artísticas com um trabalho social. Ciente disto, o Grupo tem investido no desenvolvimento físico, artístico e técnico de seus bailarinos, agregando às atividades de criação de espetáculo, ao acompanhamento físico/nutricional, o incentivo à pesquisa e capacitação dos bailarinos.


Ciente da importância que é fortalecer a relação e os laços culturais entre cidades de Regiões diferentes do Brasil; Sul – Sudeste e Nordeste, que priorizem a cultura como Patrimônio Imaterial permanente, a Cia. de dança optou por essa circulação pensando no favorecimento e fortalecimento da Dança nesse cenário, as cidades de Vitória e Porto Alegre, não aparecem como evidência na Dança Contemporânea. Já a cidade do Recife foi para privilegiar o público nordestino e Dançar o nosso dia a dia, “A SECA”. Buscamos com este Intercâmbio a troca de experiência, mostrar o trabalho já bem sucedido do Grupo BCAD nesses 25 anos de atuação cultural, dividir experiências e habilidades.


A aproximação desses dois universos, a dança como experiência estética e a dança como forma de ressocializar o indivíduo, deu ao grupo sua principal característica: Uma dança energética, vivaz e de grande qualidade técnica e artística. O BCAD tem uma bagagem bastante significativa; São 560 alunos atendidos ao ano, 80 nas aulas de Karatê/Natação 480 nas aulas de Dança, Teatro, Inclusão Digital, Artes, Apoio Pedagógico e Música, todos em situação de vulnerabilidade social. 23 anos de Instituição, 17.000 pessoas atendidas, 34 Ballet’s montados, 06 tournées internacionais 48 Nacionais, o Grupo coleciona homenagens, reconhecimentos e 370 prêmios conquistados.

Conhecemos o desnível natural entre as condições de infra-estrutura técnica, financeira e artística de grupos do eixo Rio/SP e de um grupo cearense que conjuga suas atividades artísticas com um trabalho social. Ciente disto, o Grupo tem investido no desenvolvimento físico, artístico e técnico de seus bailarinos, agregando às atividades de criação de espetáculo, ao acompanhamento físico/nutricional, o incentivo à pesquisa e capacitação dos bailarinos.


Temos convicção da relevância que é poder compartilhar nossos resultados artísticos com outros artistas brasileiros, bem como multiplicar essa ideia que deu certo com o sério trabalho que desenvolvemos a partir de uma Instituição social. A continuidade das ações da Cia de Dança do BCAD O Grupo BCAD buscou parceria para garantir a realização do projeto o Quinze no qual tem como patrocinador a  Empresa ENEL FORTALEZA.

Enviar

Deixe seu comentário: