terça-feira, 25 de julho de 2017

Reajuste da gasolina será questionado pela Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara dos Deputados

O reajuste do preço da gasolina, em 41 centavos por litro, será questionado na Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara dos Deputados. O deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) apresentou requerimento de audiência pública para convocar a direção da Petrobras, o Ministério de Minas e Energia e a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça, para debater o reajuste que penaliza todos os brasileiros, pelo aumento de preço das mercadorias em geral a partir do combustível e do frete , e faz com que, no Ceará, os motoristas tenham de pagar até R$ 4,00 por um litro de gasolina.

"Parece que o presidente Temer escondeu o jogo o quanto pôde, mas agora resolveu fazer o cidadão pagar a conta de tudo aquilo que ele prometeu que faria, mas não cumpriu", aponta Chico Lopes, sobre a justificativa do Governo Federal para a elevação de impostos que resultou no reajuste da gasolina. O questionamento na Comissão de Defesa do Consumidor tem por base o elevado e injustificado percentual de reajuste e o alto impacto para as mercadorias em geral, a partir do aumento do frete, o que penaliza a todos, principalmente os mais pobres.

"A promessa era que iriam equilibrar as contas do governo sem aumento de impostos, que fariam o possível e o impossível, que haveria imediato crescimento econômico, geração de empregos. Mais de um ano de governo depois, nada disso aconteceu", enfatiza Lopes.
"Pelo contrário. O desemprego cresce, a economia não anda e o trabalhador ainda é penalizado com aumento de impostos, além de ter ficado sem direitos trabalhistas, com saúde e educação congeladas por 20 anos, com precarização do trabalho terceirizado liberado para todas as atividades", relaciona o deputado.

Reflexo no aumento da inflação

Além de toda a retirada de direitos e do aumento de impostos, para Chico Lopes a própria lógica de mercado é contrariada pelo reajuste da gasolina, em percentual muito maior que o da inflação no período. A mesma inflação que o governo prometia controlar, mas que será elevada com o reajuste do combustível.

"O percentual de reajuste é injustificável. Mais 40 centavos em cada litro significam muito para o motorista e para o consumidor em geral. Uma grande escalada nos preços vai ser feita tendo esse aumento como justificativa real ou como pretexto, o que vai impactar seriamente na inflação", ressalta Chico Lopes.

Novos aumentos de impostos

"O consumidor e, mais do que isso, o cidadão precisa estar atento e mobilizado contra esse aumento de imposto, que é só o primeiro. A equipe econômica do ainda presidente Temer já disse que novos aumentos de impostos virão", alerta Chico Lopes.

"São medidas incoerentes com esse momento de crise, em que o governo deveria era baixar juros, alargar o crédito, incentivar a produção, gerar empregos e desenvolvimento, e não taxar o combustível, o que implica aumentar o imposto sobre a produção e sobre o consumo".
Enviar

Deixe seu comentário: