sábado, 23 de dezembro de 2017

Domingos Neto apresenta programa Internet para Todos

O deputado Domingos Neto (PSD) apresentou nesta quinta-feira (21) o programa Internet para Todos, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, para prefeitos e representantes de municípios cearenses. O programa vai levar banda larga a 40 mil localidades de todo o país que ainda não conta com acesso à internet. No Ceará, aproximadamente 50 municípios vão fazer parte do projeto nesta fase inicial, totalizando cerca de 2 milhões de pessoas beneficiadas.

Oficialmente, o Internet para Todos será lançado no início de 2018 pelo ministro Gilberto Kassab. Mas o Ceará sai na frente como projeto piloto. Na apresentação, Domingos Neto vai mostrar um mapa da velocidade média da internet no Brasil. “Infelizmente, o Ceará permanece muito distante de ter banda larga universal e é justamente isso que queremos mudar. A meta é levar internet rápida para o maior número possível de famílias e instituições, modernizar o interior, levar a qualidade de vida para esses locais”, explica Domingos Neto.

Como o programa vai funcionar
A conexão à internet será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), lançado pelo Brasil em maio deste ano. A partir do sinal do satélite, os municípios terão banda larga por via terrestre e satélite.

Fica a cargo dos municípios, através dos prefeitos, identificar os locais sem acesso e aderirem ao convênio. A meta é atender, primeiramente, telecentros, escolas, hospitais, postos de saúde, aldeias indígenas, postos de fronteira e quilombos.

Benefícios
Populações que já têm acesso amplo à banda larga há muitos anos, não avaliam mais os impactos positivos que a conexão trouxe. No entanto, locais que ainda não convivem com essa realidade, têm muito o que desenvolver com a internet rápida.

O primeiro benefício é na economia em geral. O município ganha uma nova oportunidade de gerar negócios e renda, já que a população pode oferecer serviços e produtos pela internet. Também há impactos na agricultura, turismo, trabalho, gestão pública e cultura.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.