Cariri - ​​​​Arajara Jazz e Blues mescla cultura nordestina e ritmos internacionais em três dias de festival na Chapada do Araripe



Luiz Fidélis, Valdi Júnior e BluesIN estão entre as atrações da primeira edição do evento, que acontece de 29 de junho a 1º de julho
Já é hora de programar as férias e ir conhecer a Chapada do Araripe, mais especificamente Araraja, no Sul do Ceará. O distrito do município de Barbalha, situado no pé da serra, oferece ao visitante um clima frio e aconchegante e muito contato com a natureza. E, pela primeira vez, sediará um festival de jazz e blues, que mesclará os ritmos afroamericanos com o repertório popular nordestino. 
Arajara Jazz e Blues 2018 ocorrerá de 29 de junho a 1º de julho com shows nos três dias, sempre a partir das 19 horas. O palco do evento foi batizado de soldadinho-do-araripe, em homenagem ao pássaro símbolo da região, raro e criticamente ameaçado de extinção. 
Uma das 12 atrações do festival será o compositor e cantor Luiz Fidélis. A canção Flor do Mamulengo e outras 200 composições do músico caririense são hinos da música cearense e do forró de raiz. Conhecido também como a "máquina de fazer forró", o compositor tem seus trabalhos gravados por grandes artistas brasileiros como Fagner, Elba Ramalho, Dominguinhos, Frank Aguiar, entre outros. Nos anos 90 fez parceria com a Banda Mastruz com Leite, lançando músicas que retratam a vida do cidadão do interior nordestino com repercussão nacional.
Quem também subirá ao palco soldadinho-do-araripe é Valdi Júnior, natural de Exu, sertão pernambucano, terra do mestre Luiz Gonzaga. Desde jovem recebia diariamente do pai doses generosas do amor pela música de raiz. Também pudera, o pai do músico, Valdi Geraldo Teixeira, atuou junto ao Rei do Baião. Aos 9 anos, Valdi Júnior teve seu primeiro contato com um instrumento musical, a sanfona. Mas foi aos 10 anos que recebeu do pai o que seria o seu melhor e fiel amigo, o violão. 
Durante a adolescência, conheceu a dança, o Break da cultura Hip-Hop e foi nesse período que sua cartela musical foi sendo ampliada. O xote, o baião e o xaxado, típicos da sua região, ganharam a companhia de novos ritmos como o Rap, o blues e a MPB de Caetano Veloso e Djavan. No palco Arajara Jazz e Blues, Valdi fará um tributo a Belchior, morto em abril do ano passado.
Outra atração do Araraja Jazz e Blues 2018 é a banda Bluesin que buscou um timbre musical inspirado nas origens do blues norte-americano e nos ícones do rock’n roll das décadas de 1970 a 1990. Nascido no enorme celeiro artístico/cultural que é o Cariri Cearense, o power trio composto por Pedro Grangeiro (guitarra e vocal), Dion Saraiva (bateria) e Emerson Gomes (contrabaixo) executa interpretações de grandes bandas e artistas como Jimi Hendrix, Led Zeppelin, The Beatles, Eric Clapton e Stevie Ray Voughan.

Mais atrações no palco Soldadinho-do-Araripe
Flash92– Para embalar os corações apaixonados e aficionados pelos sucessos da "década explosiva", a banda Flash92 fará uma verdadeira viagem no túnel do tempo com músicas de artistas como Scorpions, A-ha, Europe, Kansas, Bon Jovi, Pink Floyd, Bryan Adams, Roxette, Elton John e muitos mais. Formada em 2016, a banda composta por Débora Lopes (vocal), Bruno Lopes (guitarra), Emanoel Walter (baixo), Beto Magno (teclado) e Noel Batista (bateria) já passou pelos principais palcos alternativos da região do Cariri, como Cangaço Bar, Raul Rock Bar, Casarão e Tom Brasil. 
Calazans Callou e Banda Trimurti – Invocando as raízes populares no frondoso som roqueiro, Calazans transita por caminhos sonoros ácidos e tem forte influência nordestina (Zé Ramalho, Ednardo, Tom Zé, Odair José). No novo trabalho, "É pelo outro lado que vou", traz do blues ao brega em onze músicas em parceria com os poetas cratenses Carlos Rafael, Geraldo Urano, Wilson Bernardo, Gutu Bitu e Tiago Araripe. 
Terreiro Cultural Arte e Tradição – O grupo foi formado pelo mestre de capoeira e de cultura popular, o agricultor Francisco Gilberto da Silva, conhecido como Mestre Chico Ceará. Descendente de negro e índio, ele convive com diversas vertentes da cultura desde criança. É fundador da ONG Arte e Tradição, situada no Sitio Santo Antônio de Arajara. Para o Arajara Jazz e Blues 2018, o grupo preparou um espetáculo onde mostrará os seguintes segmentos da cultura: puxada de rede, capoeira Angola, côco de roda, maculelê, samba de roda, maneiro pau e capoeira mista.
Ney Alencar – O músico e compositor cearense promete fazer uma apresentação com releituras de canções de nome de peso da música brasileira, como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Roberto Carlos, além de músicas autorais. 
Miguel Tegenbosch e Iara Portela – Iara é uma cantora paulista de 22 anos e que atualmente mora na cidade de Barbalha. Em São Paulo, aos  9 anos de idade, iniciou estudos no teclado e, aos 14 anos, começou a cantar. Em 2015, quando foi morar no Cariri, mais precisamente na cidade de Barbalha, deu continuidade aos estudos em canto e técnica vocal, com intuito de sempre apresentar um bom trabalho para o público.  Apaixonada por MPB, possui repertório  com  o melhor da música popular brasileira, interpretando grandes canções de compositores como Alceu Valença, Maria Gadú e Roberta Campos. Já Miguel é músico barbalhense que iniciou estudos em música no ano de 1995, no Conservatório de Música Alberto Nepomuceno, na cidade de Fortaleza. Violonista e tecladista,  desenvolveu a maior parte da carreira durante os 18 anos que morou na capital do Ceará, sempre com o trabalho voltado para a valorização da música popular brasileira. Voltando a morar no Cariri, conheceu a cantora Iara Portela, em 2015, quando de imediato a sintonia musical aconteceu. Hoje, desenvolve um trabalho na região do Cariri se apresentando com o show piano e voz o melhor da MPB.
Testa de Veludo – A Testa de Veludo começou, em 2016, com uma compilação de 14 músicas autorais. Inspirada em bandas como Steel Panther, Toby Keith, Velhas Virgens, Matanza e Seasick Stev, a Teste de Veludo propõe letras divertidas e músicas que vão do blues, country rock, e rock n´roll. A banda é composta por David Alves (voz e guitarra), Pedro Ivo (guitarra), Thiago (baixo) e Romário (bateria).
Fernando Félix – O músico, compositor e violonista, natural da cidade de Barbalha, começou a carreira a aproximadamente 10 anos em bandas locais. Sempre tocando MPB, o artista vem fazendo shows com músicas autorais. O trabalho de maior destaque é a música “Vai lembrar de mim”, inspirada na história real de amor de dois jovens apaixonados separados pelo destino. E é exatamente sofre o amor, alegrias e sofrimentos, que Fernando Félix compõe seu repertório.
João do Crato – No show Uranianus, os poemas de Geraldo Urano são untados pela melodia dos grandes nomes do cancioneiro moderno do Crato. Acrescidos da interpretação visceral/corpórea de João do Crato e temperados por acordes e ritmos de músicos geniais. João do Crato estreou profissionalmente nos palcos musicais como vocalista da banda Chá de Flor, por ocasião do Festival Credimus, ocorrido no Teatro São José, em Fortaleza, no ano de 1980. Posteriormente, a banda Chá de Flor excursionou pelo Cariri, onde se apresentou no palco central da Exposição do Crato. Ao lado de Lúcio Ricardo, Batista Sena, Mona Gadelha, Zé Wertz, Siegbert Franklin, dentre outros, João do Crato era um dos nomes que movimentava a cena roqueira do Ceará.
Trilhas
Durante o Arajara Jazz e Blues, quem gosta de se aventurar praticando mountain bike ou fazer aquela caminhada pode se embrenhar nas diferentes trilhas da Floresta Nacional do Araripe. Uma das melhores vistas é alcançada na Trilha do Mirante do Picoto de Arajara, de cerca de 8 quilômetros. Do topo é possível avistar cinco cidades, inclusive Juazeiro do Norte com vista da estátua de Padre Cícero.
Outra trilha bastante conhecida é que passa pelo Cruzeiro do Farias e chega no Picoto da Macaúba, também chamado de Mirante de Seu Mundô, um senhor que viveu até mais de 80 anos dentro da floresta, colaborando com os programas de preservação e estudo do Ibama. O mirante forma uma emocionante passarela suspensa, natural, que feito um “narigão” se insinua no meio das alturas da chapada e pela qual pode-se desfrutar de uma visão privilegiada tanto da parte selvagem e incontaminada da encosta e suas escarpas rumo o pé de serra, quanto da parte ocupada pelas comunidades da encosta e do Vale do Cariri. Para participar das trilhas é preciso fazer uma inscrição pelos números (88) 9 9936-550 / (88) 9 8106.9944 e pagar uma taxa de R$ 20.

Apoio
Arajara Jazz e Blues 2018 é uma realização do Instituto Social de Arte e Cultura do Ceará (ISACC). Produção: MB Produções e J A Lima Produções. Apoio: Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e da Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado (SDA), Sesc, IKnet, Arajara Park, Instituto Agropolos do Ceará, Escola de Saberes de Barbalha, Solibel, Vila da Música e Balaiu's Comunicação. 

Nenhum comentário:

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.

Tecnologia do Blogger.