quarta-feira, 25 de julho de 2018

Espaço Cordel e Repente leva cultura nordestina para a 25a Bienal Internacional do Livro de São Paulo



Entre os artistas confirmados estão o músico e compositor cearense Adelson Viana e Moraes Moreira, do “Novos Baianos”, que fará sessão de autógrafos e pocket show. A Programação promovida pela Editora Imeph terá a participação de cordelistas, repentistas e autores e compositores cearenses como Socorro Lira, Klévisson Viana, Paulo de Tarso entre outros.


25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece de 03 a 12 de agosto, no Anhembi, contará pela segunda edição seguida com um estande exclusivo criado para resgatar a Cultura Popular Nordestina. O espaço denominado “Cordel e Repente” e organizado pela Editora IMEPH em parceria com a Câmara Cearense do Livro (CCL) e Câmara Brasileira do Livro (CBL), levará um caminhão personalizado para dentro do pavilhão, que se transformará em um grande palco para artistas que se expressam através dessa literatura.

Entre os destaques da programação está o compositor e músico cearense Adelson Viana. Acordeonista, tem DVDs gravados além de participação em trabalhos de artistas como Dominguinhos, Lenine, Naná Vasconcelos e Zeca Baleiro. Também é autor do livro o Nordeste nas Canções de Luiz Gonzaga (Editora Imeph), onde interpertreta  as múicas do livros e partituras do livro.

Outra atração do espaço é do cantor e compositor Moraes Moreira, integrante do grupo “Novos Baianos”, que fará o lançamento de uma nova edição do livro “A História dos Novos Baianos e Outros Versos”, escrito em linguagem de cordel. Após o lançamento com sessão de autógrafos, o artista fará um pocket show para o público.

Outros nomes já confirmados são os ds artistas e escritores Maciel Melo, Socorro Lira, Paola Torres, Xangai, Chambinho do Acordeon, Adelson Viana, Paulo de Tarso, Klévisson Viana, Rouxinol do Rinaré, Marco Aurélio (BA), Crispiniano Neto (RN), Antônio Francisco (RN), Arlene Holanda (CE), José Walter, Bráulio Tavares, Celso Antunes, Marcos Mairton entre outros. (ver programação anexo)

"O Espaço do Cordel e Repente se consolidou como uma ação de grande porte na divulgação, preservação e disseminação das artes e saberes ligados a cultura tradicional nordestina. Com muita satisfação, vamos levar esse ano cerca de 100 artistas entre cordelistas, repentistas, escritores, músicos e contadores de histórias. Na edição de 2016, fomos eleitos pelo Instituto Data Folha como o segundo espaço mais visitado da 24ª Bienal, esse ano, gostaríamos de ser o primeiro.”, comenta Lucinda Marques, curadora do espaço.


Outra atração de destaque da programação da Editora Imeph na Bienal é o lançamento do livro “Andei por Aí – Narrativas de uma Médica em Busca da Medicina”, da pernambucana radicada no Ceará Paola Tôrres Costa com prefácio do médico Dráuzio Varella com quem gravou uma WebSérie sobre Linfoma (tipo de câncer do sangue) que é uma das suas especialidades.

Em Fortaleza, a médica ensina e pratica Medicina como professora Titular da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Unifor. Também é médica no CRIO (Centro Regional Integrado de Oncologia), onde atende pacientes com câncer. É escritora, cordelista, compositora, tocadora de rabeca e outros instrumentos. Ministra palestras e oficinas em educação médica, medicina integrativa, promoção de saúde em oncologia e outros temas da cultura popular e medicinas ancestrais do povo brasileiro. É fundadora e presidente do Instituto Roda da Vida, ONG que oferece de forma gratuita Medicina Integrativa para pessoas com câncer e seus familiares.

O Espaço Cordel e Repente da 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo conta com o patrocínio do Banco do Nordeste.

Conheça alguns destaques do espaço:

ADELSON VIANA
(6/8 – 18h40 - pocket show)
Acordeonista, tem DVDs gravados além de participação em trabalhos de artistas como
Dominguinhos, Lenine, Naná Vasconcelos e Zeca Baleiro. Músico de múltiplos recursos, que passeia por diferentes caminhos da sonoridade brasileira, tendo como referência ritmos nordestinos como xote, baião e frevo. Também é autor do livro o Nordeste nas Canções de Luiz. Interpertreta  as musicas do livros e partituras do livro

MORAES MOREIRA
(3/8 – 18h40 - Lançamento de livro “Os Novos Baianos”, sessão de autógrafos e pocket show)
Compositor, cantor e violonista, começa a carreira artística tocando sanfona de 12 baixos. Na década de 1960 opta pelo violão e muda-se para Salvador. Passa a estudar música e conhece Paulinho Boca de Cantor, Luiz Galvão – que viriam a integrar a banda Novos Baianos -  e Tom Zé. O grupo musical é considerado um marco na MPB e alcança sucesso de público e de vendas. Em 1975 parte para a carreira solo. Toca com o trio elétrico de Dodô e Osmar (pai do parceiro Armandinho) e faz grande sucesso com a marchinha Pombo Correio, parceria com Dodô e Osmar. Lá Vem o Brasil Descendo a Ladeira - com vários parceiros consagrados - consolida seu sucesso musical. A música Santa Fé - parceria com Fausto Nilo - é tema de abertura da novela Roque Santeiro (Rede Globo em 1985). Em 1997, reúne o grupo Novos Baianos e lança o disco ao vivo Infinito Circular, com canções dos discos anteriores e algumas inéditas. Em 2002 publica o livro A História dos Novos Baianos e Outros Versos, escrito em linguagem de cordel.

MACIEL MELO
(4/8 – 18h40 - Lançamento de livro “ O Refúgio das Interrogações”, sessão de autógrafos e pocket show)
(5/8 – 17h30 - Lançamento de livro “ A Poeira e a Estrada”, sessão de autógrafos)
Cantor e compositor, inovou o forró nos anos 90. É considerado uma referência da música nordestina, tendo como ponto de partida a canção Caboclo sonhador, que se tornou icônica. Seu primeiro disco, Desafio das Léguas, teve participações de Vital Farias, Xangai, Dominguinhos e Dércio Marques. Melodista, letrista e cantor afinado com a cultura tradicional, Maciel Melo fez releituras de clássicos de Geraldo Azevedo, José Marcolino e Gilberto Gil, entre outros. A temática de suas letras dá continuidade ao forró que teve as bases assentadas por Gonzagão. Ganhou diversos prêmios, dentre eles o de 1o lugar, no Canta Nordeste (Rede Globo/1995), com “Meninos do Sertão” - parceria com Petrúcio Amorim - que integrou a trilha sonora da novela Marcas da Paixão (TV Record). Em 2008 conquistou o 3º lugar no Festival de Música e Arte de Garanhuns-PE. Em 2003 teve a canção “Dama de Ouro” - parceria com Zéu Britto - incluída na trilha de Lisbela e o Prisioneiro. Em 2013 a música Rainha foi incluída na trilha sonora da novela Flor do Caribe (Rede Globo) e em 2016 atuou, juntamente com Xangai, na novela Velho Chico. Em 2012 fez uma homenagem ao Rei do Baião Luiz Gonzaga em Nova York. Lançou 01 LP, 17 CDs e 02 DVDs. Tem publicado o livro A poeira e a estrada, pela Editora IMEPH.

SOCORRO LIRA
(04/08 – 16h - Lançamento de livro “ A Língua que a Gente Fala”e sessão de autógrafos)
Poeta, compositora, intérprete, instrumentista e produtora cultural. Em 2012 recebeu o 23º Prêmio da Música Brasileira de Melhor Cantora (categoria regional). Em 1998 foi contemplada com o PRÊMIO EUROPA 98 da “Associazione Senza Frontiere” para intercâmbio cultural, de Lentate Sul – Seveso, Itália. Já se apresentou na Itália, França, Grécia, Espanha, Portugal, Moçambique, Gana, Argentina e Venezuela, em eventos coletivos e shows individuais.

BRAULIO TAVARES
(8/8 – 14h - Lançamento de livro "BANDEIRA SOBRINHO- UMA VIDA E ALGUNS VERSOS", sessão de autógrafos e pocket show)
Bráulio começou a escrever influenciado pelo pai e com a idade de oito anos já havia produzido alguns sonetos, nunca publicados. Teve vários livros de poesias e ficção científica editados, além de dois folhetos de cordel, a saber: "Cantoria: regras e estilos" e "Cabeça elétrica, coração acústico" no ano de 1981. Com forte influência da literatura de cordel, escreveu a peça "Folias Guanabaras", espetáculo dirigido por Ivaldo Bertazzo com o Corpo de Dança da Maré e a participação da atriz Rosi Campos e do ator, cantor e compositor Seu Jorge.

XANGAI
(8/8 – 20h - Pocket show)
(9/8 – 20h - Pocket show)
A influência da cultura tradicional formata sua obra. Filho e neto de sanfoneiros, teve seu primeiro disco, Acontecivento, lançado em 1976 pela gravadora CBS, mas depois seguiu uma carreira independente, desvinculada das grandes gravadoras. Cantador, trovador, violeiro, gravou, além dos discos individuais, um em parceria com Renato Teixeira e dois volumes do disco "Cantoria", resultado de um show ao lado de Elomar, Vital Farias e Geraldo Azevedo, realizado em 1984. Com sua voz forte e marcante, interpreta composições próprias e adaptações de textos da tradição oral nordestina em ritmo de Xote, Cocos e Toadas. Fez uma participação como ator na telenovela Velho Chico, da Rede Globo, e também é autor de canção integrante da trilha sonora. Foi escolhido como melhor cantor no 27° Prêmio de Música Brasileira, na categoria Música Regional.

CHAMBINHO DO ACORDEON
(10/8 – 20h - Pocket show)
Cantor, compositor, acordeonista e ator, teve sua carreira alavancada pela excelente intepretação de Luiz Gonzaga jovem. Aprendeu acordeom com seu avô, Zezinho Barbosa, passando, assim, a desenvolver um trabalho referenciado na obra de grandes sanfoneiros nordestinos. 

Realizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), serão 10 dias no qual os visitantes poderão viver diversas experiências culturais, ter contato direto com autores, participar de bate-papos e conferir palestras exclusivas. Com a assinatura “Venha fazer esse download de conhecimento”, a campanha deste ano enfatiza a importância do diálogo, da abertura de perspectivas e busca de novos conceitos. 

Os ingressos já estão à venda pelo site oficial do evento www.bienaldolivrosp.com.br e pelo telefone (11) 2626-1061.

Em breve, mais informações sobre a programação pelo www.bienaldolivrosp.com.br ou por nossas redes sociais. Acompanhe!

Serviço
25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
03 a 12 de agosto de 2018
Pavilhão de Exposições do Anhembi                        
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana / 02012-021 São Paulo – SP

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.