terça-feira, 10 de julho de 2018

Inovação - Aplicativo possibilita a população votar nas pautas do Congresso Nacional


A tecnologia é utilizada para pedir um táxi, comida, ver filmes e agora, poderá ser usado para capturar os votos da população em pautas no Congresso Nacional. Desta forma surge o "Nosso Mandato", novidade desenvolvida pelo Instituto de Inteligência Política.

"Em tempos quando a população se vê cada vez mais distante da política, precisamos expandir a maneira como ela se relaciona com o Congresso. Por isso, utilizaremos o aplicativo Nosso Mandato para possibilitar que, caso eleitos, a população possa votar nas pautas do Congresso. Contanto que o voto da população não fira um dos nossos princípios de mandato, nós seguiremos o seu voto, ainda que discorde do nosso", afirmou o empreendedor e pré-candidato Ítalo Alves.

Além de acompanhar as votações, os usuários do serviço poderão fiscalizar os gastos de gabinete, o número de presenças do deputado em sessões da câmara, propor projetos de lei, acompanhar os compromissos da gestão, e até marcar reuniões com o deputado e sua equipe. "É uma novidade importante. A política nacional poderá ser feita de casa, da rua, da escola, enfim. De qualquer lugar do Ceará e do Brasil, o nosso mandato estará aberto para a população participar, sugerir e reclamar", explicou Videl Duarte, pré-candidata a codeputada federal também no projeto de mandato coletivo do Ítalo Alves. 

Modernidade
Além do "Nosso Mandato", os eleitores poderão ajudar a construir projetos de lei do mandato com a plataforma online chamada "Wikilegis". "Ela [população] poderá escrever, propor adições, exclusões e comentar sobre cada artigo. Quando tudo for concluído, o texto passará por uma revisão por especialistas. Se aprovado, será protocolado no Congresso, e depois será feita a tramitação do mesmo, publicamente", adicionou ítalo.

O mandato também estará aberto para auditorias públicas externas, como as das instituições Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS) e RenovaBR. "Nós publicaremos nossos planejamentos anuais com previsão de metas de redução de gastos, impacto, entre outras publicações. Essas instituições vão nos fiscalizar. Tudo estará disponível online para consulta popular também," finalizou Videl.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.