Pular para o conteúdo principal

DHPP prende motorista de aplicativo envolvido em latrocínio; apuração teve o apoio do Spia


23 DE JANEIRO DE 2020 - 16:51 # # # # # #

Um motorista de aplicativo, envolvido em um latrocínio e roubos na Capital e na Região Metropolitana de Fortaleza, foi preso após uma investigação conduzida pela 6ª delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Durante as diligências, a tecnologia do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) foi utilizada para chegar ao veículo utilizado pelo criminoso. A prisão ocorreu nessa quarta-feira (22), com o cumprimento de um mandado de prisão preventiva representado após os trabalhos policiais coordenados pelo DHPP.
Natanael de Sousa Lima (24), com antecedentes por receptação e porte ilegal de arma de fogo, foi preso no bairro Jardim Cearense – Área Integrada de Segurança 9 (AIS 9) de Fortaleza. Segundo as apurações do DHPP, ele conduzia o veículo que deu apoio ao latrocínio (roubo com resultado morte), que vitimou Dennis Pires do Nascimento (25), no dia 4 de janeiro, no bairro Jóquei Clube (AIS 6). Na ocasião, o jovem estava em um campo de futebol da região, quando foi abordado por um suspeito armado. Dennis teria se recusado a entregar o aparelho celular e foi atingido com um disparo de arma de fogo. Ele chegou a ser socorrido, mas veio a óbito.
Dennis Pires do Nascimento (25)
Logo após tomar conhecimento do fato, o DHPP realizou os primeiros levantamentos e instaurou um inquérito policial para apurar o crime. Com a utilização do Spia, a Polícia Civil chegou ao veículo de modelo Chevrolet Classic, cor preta, que era conduzido por Natanael. No Sistema de Informação Policial (SIP) da Polícia Civil, o carro, que era alugado, possuía uma queixa de roubo datada do dia 5 de janeiro, no bairro São Gerardo (AIS 4), mas com a recuperação no mesmo dia, na Bela Vista (AIS 6).
De acordo com as investigações, foi constatado que Natanael havia alugado o carro para trabalhar como motorista de aplicativo, mas o utilizava também para cometer assaltos. Inclusive, o Boletim de Ocorrência (BO), que noticiava o suposto roubo de veículo, sofrido por ele, um dia após o latrocínio de Dennis, foi um álibi falso utilizado pelo investigado, com o intuito de se desvencilhar de qualquer suspeita da Polícia.
No documento, ele alegava que havia sido rendido por criminosos e obrigado a dirigir enquanto o grupo roubava pessoas em diversos pontos da Região Metropolitana e também de Fortaleza. O suspeito foi encaminhado ao DHPP, onde foi ouvido. Agora, ele se encontra à disposição da Justiça. A Polícia Civil segue os trabalhos policiais visando capturar o autor do tiro que atingiu a vítima.

Denúncia

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ou para o número (85) 99111-7498, que é o WhatsApp do DHPP, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…