Pular para o conteúdo principal

Médicos alertam para necessidade de manter calendário vacinal em dia



Cobertura vacinal segue em queda no País tanto para as crianças quanto para os adultos


Em três anos, a cobertura de vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola (Tríplice Viral D1) caiu, no Brasil, de 93,1% em 2019 para 71,49%, em 2021. Além da tríplice viral, a cobertura da vacinação contra poliomielite caiu de 84,2%, em 2019, para 67,7% no ano passado. O levantamento foi feito pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), com base nos dados disponibilizados pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde. 


Por conta dos números, a pediatra e professora do Instituto de Educação Médica (Idomed), Sandra Coenga, alerta que a baixa cobertura vacinal deixa as crianças descobertas e expostas a doenças graves, como sarampo e meningites. “O sarampo já voltou a aparecer em áreas onde essa cobertura estava baixa. Assim vai ser com meningites, varicela, caxumba e tantas outras. Uma boa cobertura vacinal para conferir proteção tem que estar em torno de 90% ou mais”, explica a médica.  


Primeira infância


Para evitar o reaparecimento destas doenças, o cumprimento do calendário vacinal, principalmente na primeira infância, é fundamental, segundo Sandra Coenga. Com as vacinas, é possível que o organismo produza anticorpos para doenças como pneumonias, difteria, tétano, meningites, paralisia infantil, diarreia por rotavírus - que pode levar à morte por desidratação grave, febre amarela, sarampo, caxumba, coqueluche, varicela, hepatite A e B. 


“Na primeira infância é muito importante que as crianças recebam todas as vacinas que previnem doenças para que elas construam suas próprias defesas e produzam os anticorpos necessários”, afirma Sandra Coenga. 


Para adultos


O infectologista e professor do Idomed, Cláudio Querido Fortes, explica que, com a queda no número de crianças vacinadas, é mais improvável que se alcance uma imunidade de rebanho para algumas infecções, como sarampo, varicela, difteria, coqueluche, entre outras.  “Isso aumenta as chances de ocorrerem surtos, o que colocaria em risco os adultos que não se vacinaram na infância ou que não fizeram os reforços recomendados na vida adulta. Vale lembrar que essas viroses da infância, quando ocorrem nos adultos, habitualmente, são bem mais graves”, explica Fortes. 


O professor do Idomed explica, ainda, que algumas vacinas, como a contra a hepatite B, poliomielite, sarampo, varicela e caxumba, aplicadas na infância, conferem uma imunidade muito duradoura. “Se o indivíduo completou a vacinação na infância, estará menos suscetível a se infectar durante a vida adulta”, completou. 


Entrevista com o especialista:


Na vida adulta, qual a importância da vacinação?


Cláudio Querido Fortes - Sem dúvida alguma a vacinação é muito importante na vida adulta. Aqui nós temos três situações distintas: uma é que o adulto tem que fazer os reforços das vacinas que não conferem imunidade duradoura, como é o caso da difteria e do tétano. 


Outra situação é em relação aos vírus que se modificam anualmente ou, até mesmo, com intervalos menores, como o caso da gripe e, agora, o SARCOV-2. 


A terceira situação se relaciona com a imunosenescência, ou seja, os adultos idosos se tornam mais vulneráveis a desenvolver doenças como pneumonia. Daí a necessidade da vacina contra o pneumococo nos idosos e, também, tem um maior risco de fazerem uma recrudescência do vírus varicela-zoster, o que se torna menos provável com a vacina para herpes zoster. 


Além das vacinas para doenças reemergentes, como foi o caso da febre amarela silvestre em áreas que não eram de risco anteriormente, existem as infecções emergentes, como SARCOV-2, e agora, talvez tenhamos vacinação para a varíola do macaco.  


Quais são as vacinas que devem ser tomadas nesta fase da vida?


Cláudio Querido Fortes - Algumas vacinas só serão recomendadas se o adulto não estiver com o esquema vacinal completo como a vacina para sarampo, rubéola, caxumba, febre amarela e a vacina para hepatite B. 


Mesmo que o adulto tenha feito todas as vacinas de forma adequada, algumas não conferem imunidade duradoura, como é o caso de difteria e tétano e, por isso, os adultos têm que fazer reforço da vacina a cada 10 anos. 


Existem vacinas que precisam ser administradas anualmente ou até com intervalos menores, porque o vírus muda sua constituição de tempos em tempos, como é o caso da gripe e do COVID. 


Por último, existem as vacinas que devem ser administradas nos adultos, mas, principalmente, nos idosos, por estes apresentarem uma imunosenescência e se tornarem mais propensos a desenvolver determinadas infecções como pneumonia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340

Idomed Canindé realiza capacitação de profissionais da saúde sobre acolhimento e humanização do atendimento no SUS

  Os profissionais da saúde da atenção básica no município de Canindé, além dos profissionais que atuam na Central de Marcação do município e na Central de Abastecimento Farmacêutico, participaram de capacitação sobre acolhimento e humanização do atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), na última semana. O evento aconteceu no auditório do  Instituto de Educação Médica Idomed Canindé em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Canindé e com o Ciclo Permanente de Educação Continuada da Faculdade Estácio de Canindé. Segundo o professor Dr. Orleâncio Gomes Ripardo de Azevedo, coordenador do programa de extensão do Idomed de Canindé, a capacitação é um importante passo para o fortalecimento dos trabalhos da rede pública de saúde. “Esse tipo de ação de aprimoramento que estamos proporcionando aos profissionais da saúde irá beneficiar todos, principalmente a população que utiliza os serviços de saúde pública”, explica. A diretora da unidade de Canindé, Iael Marinheiro, explica que