Pular para o conteúdo principal

MPCE deflagra Operação “Olavo Doce” no IPPOO II para coibir a prática de crimes no sistema penitenciário

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio do Núcleo de Investigação Criminal (NUINC) e das Promotorias de Justiça de Execução Penal e Corregedoria de Presídios, deflagrou, na quinta-feira (01/11), a Operação “Olavo Doce” na Unidade Penitenciária Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II), em Itaitinga, com o objetivo de combater a continuidade de práticas ilícitas dentro das unidades carcerárias, em especial, por facções criminosas.
A inspeção extraordinária revistou todas as 116 celas em 12 alas e foram encontrados diversos documentos relacionados à contabilidade de facções e aos crimes de tráfico de drogas e estelionato. Também foram apreendidos 174 aparelhos de telefonia móvel, entre os quais dois mini-celulares, além de drogas.
A operação contou com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), da Polícia Militar do Estado do Ceará, representada pelo Batalhão de Choque, e da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), por intermédio do Grupo de Apoio Penitenciário (GAP), do Núcleo de Segurança e Disciplina (NUSED), da Coordenadoria de Inteligência (COINT) e de agentes penitenciários da Unidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…