quinta-feira, 27 de abril de 2017

VIDA E OBRA DE NOEL ROSA SÃO REVIVIDAS EM MONTAGEM MÚSICO-TEATRAL

O espetáculo ‘Noel Rosa, o poeta da Vila e seus amores’ narra de forma não linear os momentos marcantes da vida do lendário compositor e cronista brasileiro

Foto: Barbara Campos

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 28 a 30 de abril de 2017, o espetáculo Noel Rosa, o poeta da Vila e seus amores. Com texto de Plínio Marcos e direção de Dagoberto Feliz, a montagem músico-teatral passeia pela história de Noel Rosa, trazendo diversas músicas de sua carreira e convidando o público a entrar no clima dos botequins cariocas, ambientes favoritos do cantor.

Um Noel Rosa moribundo, que se coloca a recordar os grandes momentos de sua vida é o fio condutor para o espetáculo, que narra em forma não linear os fragmentos da história do compositor. Mulheres como a mãe de Noel, as damas que abalaram seu coração e suas intérpretes favoritas, Araci de Almeida e Marília Batista, protagonizam uma espécie de delírio, que recria o clima boêmio da era do rádio, dos grandes carnavais e cabarés típicos dos redores dos Arcos da Lapa.

Os dados históricos que compõem o espetáculo servem de apoio para falar de um Noel Rosa pessoa e não do mito musical. O roteiro da peça parte de texto originalmente escrito por Plínio Marcos. Contudo, para levar a peça para um caminho mais fantasioso, algumas cenas foram ambientadas em locais diferentes dos propostos pelo dramaturgo.

Composto por atores e músicos, o espetáculo conta com 12 pessoas no elenco. “Gosto de atores que cantem e músicos que representem. O trabalho acaba não ficando complexo quando essas diferenças de formação são consideradas só tecnicamente e não na encenação em si”, afirma o diretor Dagoberto Feliz, que acredita que encenar engloba todas as áreas sem distinção.

Com foco especial em canções que marcaram a carreira do compositor e cronista brasileiro, a montagem visa um caminho de maior interação com o público. “O espetáculo busca fazer com que o público se sinta quase que nos bares e locais em que Noel Rosa transitou, numa aproximação ‘fantástica’ do universo boêmio”, conta Dagoberto.

Por todo o espaço cênico são espalhadas mesas e cadeiras, nas quais os espectadores são convidados a se acomodarem e a degustarem quitutes e bebidinhas. Nasce, então, um cenário de botequim ou cabaré, que envolve atores e público no mesmo universo de nomes como o radialista Casé e o sambista Wilson Batista – figuras que emolduram o Rio de Janeiro da década de 30.

Ficha técnica:

Texto: Plínio Marcos
Direção: Dagoberto Feliz
Elenco: Cristiano Tomiossi; Cibele Bissoli; Lucélia Sérgio; Deborah Veneziani; Gisela Millás; Joaz Campos; José Eduardo Rennó; e Katia Naiane.
Músicos: Alexandre Moura; Flavio Rubens; Ildo Silva; e Miró Parma.

Serviço:

Teatro: Noel Rosa, o poeta da Vila e seus amores
Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 28 a 30 de abril de 2017
Horários: sexta-feira, às 20h | sábado, às 18h e 20h | domingo, às 19h
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Ingressos:  R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)
Vendas a partir do dia 27/04, das 10h às 20h, na bilheteria do local
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista gratuito no local 

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza: 
(85) 3453-2770

CAE aprova relatório de Pimentel que dificulta uso de loterias para lavagem de dinheiro

Os procedimentos serão adotados para prêmios superiores a R$ 1.903,98
A Comissão de Assuntos Econômicos aprovou, nesta terça-feira (25/4), em turno suplementar, relatório do senador José Pimentel (PT-CE) favorável ao projeto que amplia medidas destinadas a coibir o uso de loterias para lavagem de dinheiro. O PLS 62/2007 estabelece que o pagamento de prêmios só ocorrerá após a adoção de uma série de procedimentos pela Caixa Econômica Federal (CEF) ou qualquer outra pessoa jurídica autorizada a explorar loterias.
Essas exigências estão previstas para o pagamento de prêmios com valor superior ao limite de isenção de Imposto de Renda (R$ 1.903,98 pela tabela do IR em vigor). O limite foi proposto em emenda do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), acatada por Pimentel. Segundo a justificativa da proposta, 99,96% dos prêmios pagos pelas loterias federais são inferiores a esse valor.
Segundo Pimentel, “a proposta tem grande relevância, pois visa prevenir o crime de lavagem de dinheiro”. Em seu relatório, o senador afirma que, muitas vezes, a lavagem visa dar aparência legal a recursos financeiros de origem ilegal, muitas vezes advindos de crimes como corrupção, sonegação de impostos, ou do tráfico de drogas e armas.
Regras - O projeto prevê que a Caixa Econômica Federal ou qualquer outra pessoa jurídica autorizada a explorar loterias deve manter, por no mínimo cinco anos, o registro de informações sobre as edições dos concursos e sobre os ganhadores. A obrigação também alcança casas lotéricas revendedoras e permissionárias.
Deverá ser mantido também o registro do tipo ou modalidade de loteria ou sorteio, o número e data do concurso, a data do pagamento do prêmio, o valor do prêmio, a descrição do prêmio - se em dinheiro ou em bens, e a forma do pagamento.
Pelo texto aprovado será preciso registrar ainda o nome completo do ganhador, o número de documento de identificação e o de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas da Secretaria da Receita Federal (CPF).
Outra exigência da proposta é o registro dos dados das casas lotéricas com identificação dos responsáveis legais e endereço das unidades responsáveis por receber as apostas e do estabelecimento pagador.
A matéria segue para apreciação na Câmara dos Deputados, caso não haja recurso ao plenário. 

OAB Nacional reconhece Moção de Repúdio à PEC 287 proposta pelo vereador Iraguassú Filho

Na manhã desta terça-feira, 26/04, o vereador Iraguassú Filho (PDT) agradeceu o reconhecimento do presidente da OAB Nacional, Claudio Lamachia ao envio da Moção de Repúdio à Proposta de Emenda Constitucional- PEC 287/2016 que tramita no Congresso Nacional, objetivando a Reforma da Previdência Social no Brasil que foi enviado em março deste ano para o Senado Federal, Câmara dos Deputados, entidades nacionais e estaduais.  

As mudanças sugeridas pelo Governo Federal que constam na proposta afetam substancialmente todos os trabalhadores ativos do sistema público e privado bem como todos os pensionistas, trazendo profundos prejuízos aos beneficiários do sistema previdenciário. É inaceitável e temerário que a Reforma seja encampada pelo Governo, apenas sob o único enfoque da crise econômica, sem as discussões necessárias acerca dos aspectos jurídicos e sociais com toda a sociedade.

“Nossas ações e manifestações aqui na Câmara Municipal e na Assembleia Legislativa mostram que estamos levando para fora das portas do município de Fortaleza a indignação do povo fortalezense sobre essa Reforma da Previdência. Atitudes como essa devem ser estimuladas por todas as Câmaras Municipais do país”, enfatizou Iraguassú Filho.