Profissional alerta sobre cuidados com uso do repelente no período chuvoso



Cearense sempre pede chuva, mas com elas chegam os indesejáveis mosquitos, e alguns, como o Aedes aegypti, em uma simples picada pode trazer várias doenças. Vale tudo para evitar o ataque dos insetos. A orientação primeira é evitar o acúmulo de água parada, mas feito isso, é importante também o uso de outras estratégias como mosquiteiros e repelentes.

Mas ao contrário do que o senso comum diz, o uso de repelentes requer muito cuidado. O primeiro e mais trivial dos cuidados é evitar aplicar o produto em locais com lesões na pele ou em caso de alergias a algum dos componentes.

“Os repelentes são importantes aliados contra a ação de mosquitos, porém, é preciso estar atento ao modo de aplicação presente no rótulo e aos componentes químicos do produto. E lembra que o uso exagerado do produto é prejudicial à saúde”, explica André Ramalho Guanabara, médico especialista em vida saudável.

Dentre as recomendações, há um lembrete: o produto perde o efeito conforme as horas passam, entretanto, os mais eficientes, que incluem icaridina na fórmula, oferecem uma proteção de até 10 horas. Em adultos, o recomendado é aplicar o produto no máximo três vezes por dia.

Dr. André alerta ainda sobre o uso do produto por gestantes. “Os repelentes considerados mais seguros para as grávidas são aqueles que são à base de icaridina, DEET  e possuem óleos essenciais de citronela. Os de DEET são ainda melhores”, aconselha.

Em crianças, o uso de repelentes deve ser ainda mais comedido. “Em bebês até seis meses não é recomendado o uso do produto. Para proteger a criança, isole a pele dele com óleo infantil, que ajuda a evitar que o mosquito identifique o cheiro do suor do bebê. O ideal é deixar a pele oleosa. Use telas de proteção na janela e mantenha ambientes fechados” orienta Dr. André.

Ele afirma ainda que entre seis meses e dois anos ainda é aconselhável evitar, mas se houver muita necessidade é preferível os repelentes à base de termetrina, menos tóxico do que o D.E.E.T. Já nas crianças entre 2 e 7 anos o produto deve ser usado com moderação, a concentração deve ser menor que 10%.

Se a população seguir essas orientações, estará protegida dos insetos e dos possíveis efeitos nocivos que uso equivocado do repelente pode causar.

Nenhum comentário:

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.

Tecnologia do Blogger.