Pular para o conteúdo principal

*Escassez da água: exemplo australiano pode ajudar Fortaleza a garantir segurança hídrica*



Fortaleza é uma das sete cidades do Brasil com risco hídrico. É o que aponta o estudo realizado pelo Word Resources Institute (WRI). A informação consta no Atlas Aqueduct da instituição.

     Para minimizar os efeitos da escassez hídrica na Capital cearense, a adoção de políticas públicas voltadas à preservação dos recursos, conscientização da população sobre o uso racional da água e pensar em dessalinização são algumas das medidas.  De acordo com o Marlos de Souza, secretário da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Fortaleza pode aprender com o exemplo australiano.

     “A resposta para o estresse hídrico não passa apenas por bons reservatórios, como o Castanhão, mas também pela conscientização da população, além de políticas públicas que reduzam a perda de água no sistema de abastecimento”, afirma o especialista que é um dos congressistas do Seminário Água Innovation 2019.

     Segundo ele, é preciso ir além e realizar investimentos e conceder incentivos financeiros para que todo o sistema se adeque. “Na Austrália, o consumo caiu de 250 litros de água por habitante/dia para 145 litros/dia. No Brasil, nas grandes cidades, chega-se ao valor impraticável de 330 litros consumidos por dia”, alerta.

     A implantação de usinas dessalinização também proporcionaria segurança em caso de estiagem prolongada não somente para Fortaleza, mas para outras cidades do Ceará. Contudo, o tratamento e o reuso do esgoto beneficiariam ainda mais as populações, além dos setores produtivos da indústria, comércio e serviços.

     “A Austrália é um dos países mais secos do mundo. Como se vive lá? Usando a água de maneira inteligente. Antes o agricultor australiano que retirava a água do lençol freático passou a comprar água reutilizada. No Brasil, a água reciclada não é utilizada por conta da resistência das pessoas”, explica.

Água Innovation 2019

O Seminário Água Innovation 2019 acontecerá nos dias 19 e 20 de agosto. Dentre os temas discutidos estão a gestão dos recursos hídricos, políticas públicas e inovações tecnológicas que podem mudar o cenário de desperdício, além de promover a responsabilidade econômica e ambiental.

     Está confirmada a participação das seguintes empresas e instituições: Coca-Cola, Adece, Banco do Nordeste, Sebrae, Senai, Fiec, Sisar, Sindienergia, IFCE, Cogerh, Dnocs, Sedet, Ematerce, Enel e Assembleia Legislativa do Ceará.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…