Alimentação: aliada no combate à Covid-19



O cenário atual demanda um cuidado redobrado não só com a higiene, mas também com a alimentação. A resistência às doenças, inclusive de origem viral, é influenciada pela alimentação. Uma boa alimentação não é capaz de evitar o contágio pelo novo coronavírus, mas sua ausência pode comprometer a resistência do corpo às doenças infecciosas, em geral. Estar com as condições nutricionais otimizadas, por meio do consumo adequado de alimentos saudáveis e água potável, contribui para o fortalecimento do sistema imunológico, para a manutenção e a recuperação da saúde.

De acordo com a endocrinologista Ana Flávia Torquato, a função dos alimentos vai muito além de ser uma fonte de energia para o corpo. Uma alimentação saudável, variada e equilibrada contribui para o funcionamento adequado das células. Consumir alimentos in natura, frutas, legumes, verduras, grãos diversos, oleaginosas, tubérculos, raízes e peixes, contribui para a saúde por constituir excelentes fontes de fibras, vitaminas, minerais e várias outras substâncias que ajudam na prevenção de diversas doenças. Entre estas, estão incluídas obesidade, hipertensão arterial, doença cardiovasculares e diabetes tipo 2, doenças que aumentam o risco de complicações pela Covid-19.

Em tempos de quarentena, Ana Flávia alerta para os excessos na ingestão de alimentos industrializados, comumente ricos em açúcar, gordura, sal e conservantes, já que alimentos frescos necessitam de idas mais frequentes ao supermercado. Além disso, a falta de atividade física, o hábito de beliscar, e o aumento na ingestão de bebida alcoólica podem contribuir para o ganho de peso neste período.

Segundo a pediatra pós-graduada em Nutrologia Vanuza Chagas, a manutenção de uma alimentação saudável e equilibrada neste período é muito importante também para prevenir a obesidade infantil. Isso porque atividades ao ar livre, passeios ao parque, caminhadas até a escola ou na hora do recreio e aulas de educação física não estão mais acontecendo, o que significa que as crianças estão gastando menos energia. Ela chama a atenção também para o comportamento sedentário e ao estresse emocional.

O estresse do confinamento tem causado transtornos na rotina infantil e prejudicado a saúde das crianças. Vanuza lembra que manter as vacinas em dia também é uma aliada na manutenção da imunidade. “Os cuidados com alimentação, juntamente com uma rotina de atividades e o calendário vacinal atualizado, são essenciais para proteger as crianças na pandemia”, afirma a pediatra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça