Pular para o conteúdo principal

Pesquisas da Uece podem ajudar a impulsionar produção de hidrogênio no Ceará

 Produzir energia no ritmo e na quantidade suficientes para o desenvolvimento econômico sem prejudicar o meio ambiente é um dos grandes desafios enfrentados em todo o mundo. Uma alternativa que vem amadurecendo nos nas últimas décadas e que deve se transformar em uma das principais fontes de energia nos próximos anos é a utilização do hidrogênio verde, obtido a partir de fontes renováveis em um processo no qual não há a emissão de carbono. No Ceará, o futuro dessa fonte de energia é promissor, uma vez que o Governo do Estado lançou, em fevereiro deste ano, o Hub de Hidrogênio, e que instituições de ensino como a Universidade Estadual do Ceará (Uece) acumulam décadas de estudos na área.


“O Ceará possui as condições necessárias para ser um grande produtor de gás hidrogênio verde. O Estado hoje é um dos maiores produtores de energia limpa por meio de fontes renováveis como a eólica e a solar, que podem ser utilizadas para a produção de hidrogênio verde, reduzindo consideravelmente a poluição ambiental e proporcionando uma fonte de energia adequada para empreendimentos que se instalarem aqui, sobretudo aqueles na área de fertilizantes e siderurgia”, destaca o professor Lutero Carmo de Lima, professor do Mestrado Acadêmico em Ciências Físicas Aplicadas da Uece e pesquisador da área de hidrogênio há mais de duas décadas.

Conforme o professor, o Ceará sai na frente no processo de diversificação da matriz energética e tem potencial para ser um dos maiores produtores brasileiros de hidrogênio verde, impulsionando a indústria local sem ameaçar a sustentabilidade ambiental. A criação do Hub de Hidrogênio é um passo importante para aproveitar o potencial local e os benefícios do combustível, cujo principal obstáculo à produção consiste no custo maior que o de outras fontes, tendo em vista que a produção e o armazenamento de hidrogênio requerem tecnologia moderna. Esse entrave, contudo, já está sendo superado e, até 2030, o hidrogênio deverá ficar competitivo em relação a outras fontes de energia, conforme o Green hydrogen cost reduction, relatório da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena, na sigla em inglês) divulgado no início deste ano.

Para Lutero, a produção de energia a partir do hidrogênio verde deve começar a virar realidade no Ceará em dois ou três anos, podendo levar de 10 a 15 anos para amadurecer. “O Ceará vai se destacar no Brasil e, talvez, no mundo. A proposta da Uece não é produzir hidrogênio para exportar esse combustível, mas para que ele seja utilizado pelos empreendimentos que estão instalados aqui. A Siderúrgica do Pecém, por exemplo, que hoje utiliza carvão, no futuro deverá ser movimentada por hidrogênio no futuro. O hidrogênio pode ser usado para a produção de ferro e fertilizante agrícola, por exemplo, ou ser agregado ao gás natural, deixando-o mais energético”, diz.

Estudos de viabilidade

O professor acrescenta que a Uece pode agregar valor aos trabalhos para tornar o Ceará um grande produtor de hidrogênio, tendo em vista sua larga experiência com pesquisas na área, as relações internacionais que mantém com pesquisadores e empresários interessados no hidrogênio e a expertise da Universidade para a realização de estudos de viabilidade econômica e formação de mão de obra qualificada.

“A Uece tem conhecimento e boas relações com investidores internacionais que já dominam a tecnologia de produção de hidrogênio. Assim, podemos trabalhar para ajudar a atrair esses investidores com tecnologia pronta para o Ceará. O uso do hidrogênio na atividade de produção de fertilizantes é muito promissor, pois grandes produtores mundiais de fertilizantes já dominam a produção de hidrogênio e poderiam se instalar no Estado. Vejo o Ceará, no futuro, como um grande produtor de fertilizante agrícola, que poderá ser exportado para diferentes países, tendo em vista a posição geográfica privilegiada do nosso Estado”, destaca Lutero.

Formação de mão de obra

De acordo com o professor, a Uece já formou pelo menos 15 profissionais dedicados à pesquisa na área do hidrogênio verde, sendo a maioria ex-alunos do Mestrado Acadêmico em Ciências Físicas Aplicadas.

“Temos pesquisas sobre o tema que podem ser fundamentais para o sucesso da produção de hidrogênio verde no Estado. Adaptamos, por exemplo, um modelo mundial de viabilidade do hidrogênio em todos os aspectos em um cenário de 100 anos no Brasil, até 2099, considerando como seria o desenvolvimento do País se a gente adotasse a economia do hidrogênio produzido a partir da energia solar ou eólica. A Uece está preparada para continuar os estudos de viabilidade econômica do hidrogênio no Ceará e formar a mão de obra necessária para que o Estado explore da melhor forma possível as possibilidades decorrentes dessa fonte de energia”, finaliza.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Irmão do prefeito de Caucaia e candidato a reeleição, Naumi Amorim, teria sido preso suspeito de crime eleitoral com grande quantidade de dinheiro. Polícia Federal não confirma prisão

 A abordagem foi realizada pela Polícia Civil e por se tratar de possível ilícito eleitoral. Ele teria sido encaminhado para a Polícia Federal juntamente com três secretários da Prefeitura. Além do dinheiro, cerca de 1 milhão de reais, foram apreendidos “Livros-caixas” da contabilidade. Por enquanto não foi confirmada a prisão pela Polícia Federal. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, se foi para a PF, tem todo um procedimento de formalidades, desde ouvir o conduzido, testemunhas, analise do que foi apreendido etc. A PF não informa nome de pessoas. O site Ceará é Notícia entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do candidato a fim de saber se o mesmo vai se manifestar. 

Boletim de saúde sobre Normando Sóracles

 Boletim manhã 05/12 Normando Soracles segue internado na UTI do hospital São Camilo em Fortaleza onde deu entrada na noite do dia 01/12. Encontra-se sedado, se mantendo clinicamente estável após intubação orotraqueal realizada na manhã do dia 03/12. Apresentou melhora significativa do quadro respiratório e dos exames laboratoriais em comparação ao dia anterior. Mantendo-se sem febre e sem leucocitose. Vem respondendo satisfatoriamente a pronação (técnica que consiste em alternar a posição de deitada) mais conhecida como "posição do nadador". Novos exame serão realizados ao fim desta tarde.   Seguimos cada vez mais confiantes na sua plena recuperação. Tendo a convicção plena que Deus é conosco!