#audioinclui

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Coronavírus: o que é e como se prevenir?






Os coronavírus (CoV) são conhecidos desde 1960 e são uma grande família de vírus de RNA, zoonóticos, o que significa que são transmitidos entre animais e pessoas. Esses vírus podem causar doenças que variam desde um resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars). Sinais comuns de infecção incluem sintomas respiratórios, febre, tosse e falta de ar. As investigações detalhadas sobre a transmissão identificaram que o coronavírus da Sars (Sars-CoV) foi transmitido de gatos da cidade para humanos e o coronavírus da Mers (Mers-CoV) de camelos dromedários para humanos.

Quando falamos em um novo coronavírus (nCoV), referimo-nos a uma nova cepa de coronavírus que não havia sido previamente identificada em humanos e que em dezembro de 2019 foi isolado por cientistas chineses de pacientes em Wuhan, na província de Hubei, na China. Embora os cientistas sugiram que os morcegos possam ser o hospedeiro original desse vírus, um animal vendido no mercado de frutos do mar em Wuhan pode representar um hospedeiro intermediário, facilitando o surgimento do vírus em humanos. A sequência genética do nCoV foi identificada por testes diagnósticos de PCR em tempo real e tem a inerente característica de uma alta taxa de mutação. Este aspecto fornece a possibilidade deste recém-introduzido vírus se adaptar e ser transmitido mais eficientemente de pessoa para pessoa e, possivelmente, se tornar mais virulento.

Atualmente, não existe tratamento específico para a doença causada pelo novo coronavírus e não tem vacina para prevenir a infecção. A melhor maneira de prevenir é evitar ser exposto ao vírus. As recomendações padrão da Organização Mundial de Saúde (OMS) para ajudar na prevenção incluem: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, por pelo menos 20 segundos; usar um desinfetante para as mãos à base de álcool a 70%; evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas; evitar contato próximo com pessoas doentes; cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo; e limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência. O consumo de produtos de origem animal crua ou sem um cozimento adequado deve ser evitado, assim também como a carne crua, leite ou órgãos de animais devem ser manuseados com cuidado, para evitar a contaminação cruzada com alimentos não cozidos.


Profª. Drª. Markênia Kélia Santos Alves Martins
Coordenadora e docente do Curso de Farmácia do Centro Universitário Ateneu
Doutora em Biotecnologia em Saúde

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.