terça-feira, 11 de julho de 2017

Iniciadas as obras do Data Center que vai conectar Ceará a Angola

170710_ANGOLA_CABLES_CG8763_web.jpg

O Ceará conectado diretamente com a África. Esse é o objetivo do Data Center que vai abrigar cabos submarinos de fibra ótica da companhia de infraestrutura Angola Cables. Uma solenidade na tarde desta segunda-feira (10), na Praia do Futuro, com a presença do governador Camilo Santana, marcou o início das obras. O equipamento tem previsão de início de operação no primeiro semestre de 2018.

"Esse é um momento histórico. Num momento difícil que vive a economia do país, receber um investimento desse nível é gratificante. Mostra que, além do nosso potencial tecnológico, nossa posição geográfica é favorável para fazer Fortaleza um centro de conexão com o mundo todo. Será um dos maiores Data Center da América Latina, dividindo informações com países da América do Norte, Europa, e agora com a África. Serão cerca de U$ 300 milhões investidos, isso mostra muita confiança em nós. Se Deus quiser, vamos vir aqui no ano que vem inaugurar essa obra", disse o governador.

A capital cearense passa a abrigar a saída brasileira para a rota que liga à Luanda, em Angola, através do South Atlantic Cable System (Sacs), com alta tecnologia de processamento e armazenamento de dados. O projeto também conecta o sistema Monet (em parceria com Algar Telecom, Google e com a operadora uruguaia Antel), entre as cidades de Santos (SP) e Miami (EUA).

170710_ANGOLA_CABLES_CG9075_web.jpg

O executivo da Angola Cables, engenheiro António Nunes, ressaltou a dimensão da obra. "É um sonho que tiramos do papel. Hoje, um Data Center é uma infraestrutura essencial no dia a dia das empresas. Ao baixar uma foto ou um filme pela internet, o uso da nuvem, não é diferente do acontece num Data Center. Os projetos da Angola Cables quebram paradigmas, pois Fortaleza, que já é um dos grandes polos tecnológicos, agora será referência em processamento de dados. É uma obra de grande importância para desenvolvimento da economia digital de toda a região Nordeste, a partir do Ceará", afirmou.

Também participaram da solenidade o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Inácio Arruda; o secretário do Desenvolvimento Econômico, César Ribeiro; o secretário de Assuntos Internacionais, Antônio Bahlmann; o vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Torgan; o deputado estadual Jeová Mota; entre outros.

Geração de empregos

Além do Monet e do Sacs, com investimentos na ordem de U$ 110 milhões e U$ 160 milhões, a Angola Cables investirá mais U$ 30 milhões para a construção das duas estações que vão abrigar os cabos, o Data Center, e demais equipamentos. A previsão é de gerar cerca de 40 empregos diretos e 800 indiretos até 2030, segundo projeções da própria empresa.

O Monet se encontra em estágio avançado, com construção de rota terrestre já iniciada e com parte dos equipamentos no País e outra sendo encaminhada para embarcação especial (para navegar em águas rasas), que instalará o cabo no mar.

Enviar

Deixe seu comentário: