segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Prefeitura de Fortaleza testa novo asfalto em ruas do Centro


Após a conclusão e análise dos dados, o asfalto polímero poderá ser implantado em outras áreas da cidade

A Prefeitura de Fortaleza implantou, de forma inédita, um asfalto altamente modificado conhecido também como HIMA (sigla em inglês para Highly Modified Asphalt). A nova pavimentação asfáltica foi aplicada numa área com cerca de 2.500m² da Rua Conde D’eu (entre as ruas Senador Almir Pinto e Castro e Silva) e Rua Sobral (entre as ruas Governador Sampaio e Conde D’eu), próximo à Catedral Metropolitana de Fortaleza.

Obtido por meio da mistura em polímeros, este método garante uma superfície asfáltica mais durável, dotando a via com uma estrutura mais resistente e com maior flexibilidade.
Utilizando inicialmente de forma experimental, o novo recapeamento foi implantado e produzido pela construtora Insttale Engenharia, sendo autorizado e supervisionado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf).

Segundo especialistas em engenharia de pavimentos, os asfaltos modificados oferecem inúmeras vantagens como menor propagação de trincas e maior resistência. De acordo com a secretária de infraestrutura, Manuela Nogueira, a tecnologia está em fase experimental na Capital sem nenhum custo para a Prefeitura de Fortaleza. “Esse trecho onde o asfalto foi aplicado está em fase experimental e após a conclusão dos dados deste teste, iremos analisar a possibilidade de implantar este mesmo material em outras vias de Fortaleza. Para isso, será levado em consideração a intensidade de tráfego da via beneficiada e a característica apresentada pelo pavimento. O principal objetivo deste experimento é trazer para nossa cidade as melhores práticas e tecnologias, principalmente na área de pavimentação, visando um melhor desempenho, qualidade e durabilidade do asfalto de Fortaleza”, ressaltou.

Asfalto em polímeros
O asfalto modificado em polímeros resulta numa mistura que garante uma melhora considerável no pavimento, evitando fadiga na sua estrutura como erosões e trincamentos.
Usado em recapeamentos e tratamento de superfícies, a nova tecnologia resulta em pavimentos com espessura menor e com melhor desempenho se comparado à estrutura do asfalto convencional. 
Enviar

Deixe seu comentário: