quarta-feira, 3 de outubro de 2018

ECONOMIA - Tecnologia revoluciona gestão e segurança em condomínios




Ao reduzir custos com mão de obra em condomínios, serviço de portaria virtual ganha espaço em Fortaleza, e empresa cresce acima dos 500%

No mundo pós-moderno, o uso de tecnologias está cada vez mais presente e mais próximos do dia a dia das pessoas. Indo desde uma simples compra numa mercearia ou a um supermercado, tendo acesso à conta bancária, cartões de crédito, estendendo-se até o simples ato de se usar o transporte público, afinal, são inúmeras plataformas e aplicativos disponibilizando os mais variados serviços. E no universo da segurança isso não tem sido diferente. 

Em Fortaleza, a portaria virtual é um exemplo de tecnologia que se destaca como um segmento de grande potencial, e que tem muito ainda a crescer.

Na capital cearense, a Hiseg Soluções Tecnológicas – primeira empresa a oferecer o serviço de portaria remota em Fortaleza, e de forma pioneira no Ceará – já revela os robustos números desse mercado.

 Desde maio de 2014, quando lançou o serviço, a empresa vem ampliando sua carteira de clientes – atendendo, atualmente, mas de 60 empreendimentos –, investindo massivamente em tecnologia, abrindo novas oportunidades de trabalho e ganhando espaço nesse segmento. E o melhor, reduzindo custos de muitos condomínios na Capital. 

“Temos mais de 60 condomínios (atendidos) e fizemos investimentos tanto nos equipamentos nos condomínios como na sede, na central de tecnologia, de mais de R$ 3 milhões – sem contar os investimentos na própria sede, em torno de R$ 1 milhão. Então, foram mais de R$ 4 milhões investidos em tecnologia, nesses últimos quatro anos”, detalha o diretor presidente da empresa, Harrison Pinho Júnior.

Economia
O gasto com pessoal é uma das partes mais onerosas nas despesas de um condomínio. Para aqueles que já substituíram a portaria convencional – muitas vezes terceirizada – pela nova tecnologia remota, os números também são surpreendentes. “Numa conta rápida, nos 60 condomínios (atendidos), a redução média, por mês, é em torno de R$ 7 mil. Anualmente, temos uma economia de mais de R$ 5 milhões. A gente está revolucionando o mercado”, contabiliza o sócio diretor da empresa, Venícius Santos – que é especialista em sistemas de alarmes.

Por sua vez, Harisson destaca que a tecnologia remota permite que, com a economia realizada pelo condomínio com esse serviço, o dinheiro em caixa seja transferido para outros investimentos infraestruturais dos demais equipamentos. 

“Um dos primeiros síndicos (da empresa), que está há quatro anos com a gente, destacou que, nesse tempo, a taxa de condomínio é a mesma, e, com o dinheiro economizado, vai reformar a fachada inteira do condomínio. Então, com a Hiseg, o condomínio conseguiu economizar e agora vai investir, valorizando o próprio condomínio”, informa o empresário.

Segurança
Além da economia, outro ponto forte da tecnologia é a segurança, tanto que, segundo Venícius Santos, em torno de 80% a 90% das intrusões em condomínios são, justamente, por falhas nos acessos. 

“Isso sem falar que a própria guarita é uma área de risco, e o porteiro, a qualquer momento, pode ser coagido. Então, a gente tira essa operação de lá e traz para a central de controle, com todo aparato de tecnologia, autonomia de abertura de portões, com todas as ligações gravadas. Tudo isso gera um registro; um relatório de quem entrou; quem autorizou; o morador que facilitou a entrada desse possível invasor, enfim”, detalha o especialista.

Ele explica que nesse segmento de portaria virtual há um público-alvo e específico, com empreendimentos que possuam, no máximo, 50 unidades.

 “Não é todo condomínio que tem um perfil de uma portaria remota. Isso (limitação) é para que não gere um fluxo alto e (a empresa) não consiga atender, de forma eficaz, os condomínios (maiores)” observou Santos. 

O especialista 

Um serviço importante, na portaria virtual, é a comunicação entre condomínio e central. A Hiseg utiliza sempre link dedicado de fibra ótica – que não é internet convencional. 

Temos a internet principal e o link redundante, ou seja, dois links dedicados para que, havendo o rompimento de um, sempre tem a redundância. 

Além disso, em caso de alguma situação que consideramos absurda acontecendo, enviamos, sempre, um profissional nosso ao local – que pode ser um técnico, patrulheiro, policial ou, se necessário for, um porteiro físico para situações que fogem do nosso controle.


Faturamento anual ultrapassa os 500%

Com o crescimento dos clientes, a expansão anual tem sido robusta na empresa. 

“O crescimento anual da gente tem sido absurdamente grande. De 2014 para 2015, tivemos um crescimento de 40%, com relação a faturamento e a grandiosidade da empresa; de 2015 para 2016, tivemos crescimento de mais de 500% no faturamento; e de 2016 para 2017, um crescimento de 560%. Nós falamos de faturamento, e nenhuma empresa no mundo esperava um crescimento desse”, enfatiza o sócio diretor da Hiseg, Venícius Santos. 

“Em 2014, nós faturávamos R$ 10 mil por mês – o que é uma coisa irrisória para o mercado da gente –, e, hoje, nós estamos faturando, em média, R$ 350 mil/mês”, completa o diretor presidente da empresa, Harisson Júnior.

Como resultado, a empresa também abriu novas oportunidades de trabalho. “Tínhamos seis funcionários (em 2014) e, agora, temos 45. Graças a Deus, estamos contratando mais, dando mais oportunidades e mais empregos, para fazer o melhor serviço para o nosso cliente”, destacou Harisson. 

Segundo ele, além de surgir outras demandas, como operador – função que não existia em Fortaleza –, a economia para os condomínios tem sido um grande impulso para o crescimento. “Em média, uma portaria terceirizada, em média, custa R$ 15 mil/mês de custo, enquanto a portaria virtual está girando em torno de R$ 5,5 mil a R$ 6,5 mil – um redução gigantesca”, ressalta.

“No segmento de portaria remota, temos, em Fortaleza, um mercado muito grande. Então, temos que focar aqui – onde há muito para se trabalhar -, mas queremos ser a maior – e melhor – empresa do Brasil. 

Primeiro vamos angariar o máximo de clientes que temos aqui, pois há muitos condomínios para se trabalhar – cerca de dois mil. Atingindo o máximo, partiremos para outros estados. Nossa ideia é bem agressiva, e vamos chegar lá”, finalizou Venícius Santos.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.