quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Economia do bem - *Negócios do Bem: empresas cearenses desenvolvem projetos para ajudar comunidades e instituições*


Seja na capital ou no interior, empreendedores buscam aliar a vida dos negócios com atitudes que auxiliem instituições e comunidades filantrópicas

Para muitos empreendedores, a cultura empresarial pressupõe que o ganho financeiro deve obrigatoriamente vir acompanhado de um objetivo maior: transformar o mundo em um lugar melhor. Desenvolver projetos no meio social, valorizar as comunidades e instituições filantrópicas estão entre os principais intuitos de algumas empresas cearenses.

É o caso do empresário italiano Giorgio Bonelli, que investe no Ceará há mais de 7 anos. Além de fomentar  a economia local, também se dispôs a aliar os negócios com a ajuda ao próximo. Uma das atitudes do empreendedor italiano é o seu auxílio às atividades culturais de Jericoacoara, local onde é proprietário de uma barraca de praia. Bonelli, é apaixonado por arte e a incentiva na região, doando fundos para o Circo da cidade e para a Orquestra de Jeri. “Não basta apenas empreender em um local, temos que olhar além do negócio e criar uma rede que se sustente. Além de fomentar o emprego na cidade, estimulamos a cultura. Esse trabalho anda sempre conosco, seja aqui ou em qualquer lugar do mundo." Outra atitude do empresário é que todos os insumos da Barraca Alchymist Beach Club, empreendimento do italiano em Jeri, sejam comprados de moradores da localidade.

Em Fortaleza, o empresário do ramo imobiliário e advogado, Apolo Scherer Filho, desdobra sua atenção em duas situações: nos negócios e na Casa de Nazaré (local este que recebe mulheres que perderam vínculos familiares e precisam de cuidado especializado, atenção e companhia). “Há dez anos eu decidi fazer esse trabalho, minha intenção é sempre de fazer as reformas na Casa de Nazaré e dar uma dignidade às senhoras que estão lá. Sempre organizamos festas no local para arrecadar fundos e fazer reformas na instituição, além de outras ações que tem o intuito de ajudar emocionalmente e dignamente essas mulheres”, disse.

A psicóloga Caroline Vieira explica que dedicar tempo à filantropia,  – tanto faz se pequenas ações ou um serviço voluntário regular e até mesmo doações maiores – é uma maneira poderosa de reforçar nossa própria felicidade e a dos outros. “Ajudar vai muito além do que uma questão financeira, é dar ao outro algo simples como uma palavra, sorriso ou gesto gentil. Isso não só aumenta nossa capacidade de sentir empatia pelas pessoas, como também faz com que a cada um se engradeça no seu propósito de vida, trazendo um sentimento de plenitude, consciência e atitude", conclui.

A ideia dos empreendedores é continuar trazendo benefícios não só para a economia do Estado, mas também para a população. “Tenho um sentimento de satisfação quando vejo que os negócios estão indo bem, mas principalmente quando conseguimos fazer desse trabalho algo bom para outras pessoas que precisam”, conclui Giorgio Bonelli.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.