Pular para o conteúdo principal

Profissionais da segurança pública que atuam na linha de frente se utilizam da tecnologia para celebrar o Dia das Mães

Em um ano atípico, onde todos foram surpreendidos com uma pandemia, o isolamento social tem sido uma medida de proteção necessária no combate ao novo coronavírus (Covid-19). Porém, policiais militares, policiais civis, bombeiros, profissionais da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) e da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) seguem suas atividades em uma mistura de comprometimento e saudade dos familiares. Neste domingo (10), é celebrado o Dia das Mães e, diante disso, a tecnologia virou alternativa quando os beijos e os abraços não poderão ser concedidos.

Vidas novas a caminho

Com o distanciamento exigido, a rotina de muitos servidores da segurança mudou, mas não influenciou a dedicação ao trabalho realizado por eles no dia a dia. E quando uma surpresa no meio do caminho chega pedindo mais espaço? É o caso da servidora Juliana Tavares, grávida de oito meses e inspetora lotada na Delegacia Geral da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Ela conta como tem conciliado a rotina do trabalho com a saudade da mãe, e as descobertas que a gravidez traz.
“Trabalho na Polícia Civil há dois anos, e agora, mesmo grávida de 35 semanas, sei que minha função é fundamental para a sociedade cearense. Tem sido um momento desafiador, mas o que me acalenta e conforta é saber que vou poder contar para o meu filho o quanto a mãe dele foi forte nesse período histórico. Também estou longe da minha mãe, mas nos falamos todos os dias via telefone ou videochamada, para contarmos as novidades do dia. Aproveito para desejar um feliz Dia das Mães para ela, estamos distantes, mas bem perto, porque a tecnologia tem nos ajudado a diminuir essa distância”, revela a inspetora.
A primeira tenente da Polícia Militar do Ceará (PMCE), Helena Meireles, também tem vivido o sonho da maternidade durante a pandemia. Grávida de dez semanas, ela ressalta o orgulho da profissão e a importância do isolamento social. “Estou muito feliz e grata a Deus por ele ter me concedido, mesmo nesse momento tão difícil, essa benção do dom da vida. Continuo exercendo a minha profissão, a qual me orgulho muito, diariamente, e cumprindo todas as medidas de saúde. Acredito, sim, que ficar em casa e cumprir o isolamento social ainda é a melhor maneira de proteger quem nós amamos. Estou com muita saudade da minha mãe, mas tenho fé que isso vai passar e estarei no conforto do abraço dela. A amo muito, e logo estaremos juntas curtindo a minha gravidez”.

Na linha de frente

Quem não pode ficar em casa, devido ao fato de estar na linha de frente, tem se rendido aos meios de comunicação para poder expressar o amor e manter o elo afetivo vivo. A primeira tenente do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), Isabel Cristina, ressalta que sempre tem conversado com dona Jovenila, por meio de um aparelho celular, já que precisou se isolar por causa do trabalho.
“Faço parte de um serviço que também é essencial, não paramos e não podemos parar. Aí tive que me distanciar dos meus familiares, para resguardá-los, já que estamos expostos ao vírus a todo momento. Nessa data tão especial, não lembro a última vez que passei longe da minha mãe, mas sei que ela está bem guardadinha em casa lá no Interior. Não podendo nos ver, mas matamos a saudade por ligação. Sei o quanto ela admira a minha profissão e admiro mais ainda a mulher que tenho como mãe. Aproveito para desejar um feliz Dia das Mães para todas as mamães. Que essa próxima comemoração seja um dia de mesa farta, farta de muito amor e gratidão”.

A falta de um abraço

Há mais de um mês, o soldado lotado na Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), Estanislau Gomes, convive com a saudade do abraço da Dona Lia. “Trabalhar na Ciopaer, onde o serviço é vital para a população, me fez ter que distanciar da minha mãezinha. É um momento em que precisamos segurar a onda e acreditar que tudo isso vai passar. Nessa data especial, gostaria de dizer que vale a pena mantermos o distanciamento nesse período, para que possamos estar juntos de novo e abraçados. Te amo, mamãe”, finalizou ele.

Saudades sem fim

Para o auxiliar de perícia da Pefoce, Francisco Monteiro, as noites de trabalho durante o plantão têm sido mais difíceis devido à ausência da mãe. “Está sendo difícil manter esse isolamento, mas é algo extremamente necessário. É a forma que nós, servidores, encontramos de preservar a vida dessas pessoas tão especiais. Estou gravando esse vídeo para dizer o quanto sou orgulhoso da mãe que tenho e falar também para todas as mães dos profissionais, em especial daqui da perícia forense, que logo tudo isso vai passar. A saudade só aumenta, mas em breve, todos nós estaremos nos encontrando, nos abraçando e nos beijando”.

O encontro precisa aguardar

Mesmo diante da complexidade do momento em que vivemos, os profissionais da segurança seguem firme na missão de servir e proteger o bem mais valioso: a vida. O soldado Duarte Brito, lotado no Regimento de Polícia Montada (PRMont), a Cavalaria da PMCE, frisa a importância de comemorarmos, apesar da distância, o dia daquelas que possuem sutileza e força ao mesmo tempo. “Este ano será atípico, apesar da vontade de passarmos esse dia juntos, tomando um café da manhã ou fazendo aquele almoço para reunir a família, sei que preciso proteger a minha mãe, preciso ficar distante. Mãezinha, te amo muito, literalmente levo a senhora no peito aonde quer que eu vá. Através da senhora, parabenizo todas as mães desse mundo, na certeza que logo poderemos nos abraçar”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Pá eólica- Gravíssimo acidente na BR-020, em Parambu, deixa dois mortos ; uma das vítimas sócio do Floresta Bar

Um gravíssimo acidente foi registrado no inicio da manhã deste domingo, 30, na BR-020, KM 45, à altura da localidade de Pau Preto, Parambu. Segundo as informações preliminares, um carro de passeio de luxo, Modelo Audi, ano 2019, cor cinza, placas PBU- 1521, inscrição de Brasilia, DF, colidiu com uma carreta que transportava peças de energia eólica e acabou sendo praticamento esmagado. Segundo ainda informações preliminares, no veículo duas pessoas vieram a óbito e ficaram presas as ferragens. O Corpo de Bombeiros de Tauá foi acionado para resgatar os corpos que posteriormente foram identificados como: Omar Falcão Soares, 67 anos, e Alexandre Barbosa Soares, pai e filho, residentes em Fortaleza. A BR-020 se encontra interditada.Com informações do Repórter Abraão Barros e fotos de internautas